CALIBRAÇÃO DE EQUIPAMENTO DE TDR EM CONDIÇÕES DE LABORATÓRIO E CAMPO PARA DOIS TIPOS DE TUBOS DE ACESSO

Autores

  • Clinimar Oliveira Amaral Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense
  • Mário Sérgio Paiva Araújo Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Elias Fernandes Sousa Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Flávio Gonçalves Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais
  • Cláudio Roberto Marciano Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v27i6.8091

Palavras-chave:

Reflectometria no Domínio do Tempo, constante dielétrica, umidade do solo, Argissolo, Cambissolo

Resumo

A Reflectometria no Domínio do Tempo (TDR) se destaca entre as técnicas utilizadas para a determinação do conteúdo de água no solo devido a características como: alta precisão, manutenção da estrutura física do solo, facilidade de manuseio e portabilidade. Todavia, sua aplicação tem sido limitada à pesquisa devido ao alto custo do equipamento, tubos de acesso e a necessidade de calibração. Nesse sentido, objetivou-se com este trabalho calibrar o TDR, em condições de laboratório e em campo, com a utilização de tubos de acesso de TECANAT e de PVC. Os resultados em laboratório foram satisfatórios para todas as calibrações nos dois tipos de tubos, com a leitura do TDR sendo representativa para estimar a umidade do Cambissolo Háplico eutrófico. Os resultados em campo foram razoáveis, para calibração da constante dielétrica nos dois tubos estudados em Argissolo Vermelho-Amarelo Distrófico, isso devido a intempéries do ambiente, textura argilosa do solo e aderência do tubo ao solo. A utilização de tubos de TECANAT e PVC necessitam de calibrações para cada solo, ficando a viabilidade de seu uso dependente ainda da qualidade de sua instalação no solo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clinimar Oliveira Amaral, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense

Técnico em Agropecuária do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, sendo responsável pelo Setor de Fruticultura e Cultura Anuais. Sempre atuou na área pedagógica supervisionando os estágios técnicos do curso Técnico em Agropecuária em seu setor. A importância da matemática aplicada nas diversas áreas de produção vegetal fez com que decidisse ingressar no curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal Fluminense, no qual se graduou em 2008. Especialista em Educação Profissional Integrada à Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos. Mestre em Produção Vegetal pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Doutor em Produção Vegetal pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribiero.

Mário Sérgio Paiva Araújo, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Mário Sérgio Paiva de Araújo, 29 anos, Doutorando em Produção Vegetal na UENF. Engenheiro Agrícola e Ambiental formado no ICA-UFMG em Montes Claros-MG, no ano de 2013, e Mestre em Engenharia Agrícola e Ambiental pela UFRRJ, no ano de 2016, sempre voltado para as áreas de recursos hídricos e ambientais.

Elias Fernandes Sousa, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (1989), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (1993) e doutorado em Produção Vegetal pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (1997). Atualmente é Professor Titular da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, na Área de Irrigação e Drenagem. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Engenharia de Água e Solo, atuando principalmente nos seguintes temas: irrigação, manejo de irrigação, evapotranspiração. 

Flávio Gonçalves Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (1992), mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (1995) e doutorado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (2006). Atualmente é professor/pesquisador da Universidade Federal de Minas Gerais. Tem experiência na área de Engenharia Agrícola, com ênfase em Irrigação e Drenagem, atuando principalmente nos seguintes temas: irrigação, salinidade, irrigação localizada, feijoeiro e banana. Atua também na área de manejo de bacias hidrográficas.

Cláudio Roberto Marciano, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Possui graduação em Agronomia (1992) pela Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira / Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (FEIS/UNESP), mestrado (1996) e doutorado (1999) em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz / Universidade de São Paulo (ESALQ/USP). Foi pesquisador bolsista DCR/CNPq na Universidade Federal de Sergipe, de outubro de 1999 a maio de 2001. Desde 2001 é Professor Associado da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em: Física do Solo; Morfologia do Solo; Manejo e Conservação do Solo; e Classificação de Solos. Atua principalmente nos seguintes temas: granulometria de solos; relações massa-volume em solos; infiltração de agua nos solos; retenção de água nos solos; condutividade hidráulica do solos; resistência mecânica dos solos; qualidade física do solo para as plantas; recuperação de áreas degradadas; e desenvolvimento de rotinas computacionais aplicadas ao estudo dos solos.

Downloads

Publicado

2019-10-21

Como Citar

Amaral, C. O., Araújo, M. S. P., Sousa, E. F., Oliveira, F. G., & Marciano, C. R. (2019). CALIBRAÇÃO DE EQUIPAMENTO DE TDR EM CONDIÇÕES DE LABORATÓRIO E CAMPO PARA DOIS TIPOS DE TUBOS DE ACESSO. Revista Engenharia Na Agricultura, 27(6), 574-582. https://doi.org/10.13083/reveng.v27i6.8091

Edição

Seção

Recursos Hídricos e Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)