CONDICIONAMENTO DE MUDAS DE MORINGA A DIFERENTES CICLOS DE REGA

Autores

  • Jenickson Rayron da Silva Costa
  • Gleiciana Nascimento de Almeida
  • Lunara Grazielly Costa da Silva
  • Gleidiane Nascimento de Almeida
  • Elaine Cristina Alves da Silva

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v27i1.894

Palavras-chave:

Crescimento, déficit hídrico, rustificação, Moringa oleifera

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o condicionamento de mudas de Moringa oleifera a diferentes ciclos de rega. Foi utilizado o delineamento inteiramente casualizado com cinco tratamentos: rega diária (RD); rega a cada cinco dias (R5D); rega a cada dez dias (R10D); rega a cada quinze dias (R15D) e rega a cada vinte dias (R20D), com cinco repetições por tratamento. O experimento teve duração de 60 dias e as variáveis avaliadas foram altura (H); diâmetro (DC); número de folhas (NF); peso da matéria seca das folhas (PMSF); caule (PMSC); raiz (PMSR); alocação da biomassa das folhas (ABF), do caule (ABC) e da raiz (ABR) e o índice de qualidade de Dickson (IQD). O estresse hídrico afetou o DC, NF, PMSPA, PMSC e PMSR, contudo não houve diferenças significativas para a H e ABR. O condicionamento hídrico por rega a cada 5 dias é o mais recomendado. No entanto, o ciclo de rega, até 20 dias, pode ser utilizado como técnica de rustificação para a produção de mudas de Moringa oleifera.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-03-15

Como Citar

Costa, J. R. da S., Almeida, G. N. de, Silva, L. G. C. da, Almeida, G. N. de, & Silva, E. C. A. da. (2019). CONDICIONAMENTO DE MUDAS DE MORINGA A DIFERENTES CICLOS DE REGA. Engenharia Na Agricultura, 27(1), 80–87. https://doi.org/10.13083/reveng.v27i1.894

Edição

Seção

Recursos Hídricos e Ambientais