PROPAGAÇÃO DO MARACUJAZEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS

  • Lasara Kamila Ferreira de Souza Universidade Federal de Jataí
  • Karminne Dias Do Valle Universidade Federal de Jataí
  • Moab Acácio Barbosa Universidade Federal de Jataí
  • Diego Ismael Rocha Universidade Federal de Jataí
  • Danielle Fabíola Pereira da Silva Universidade Federal de Jataí
Palavras-chave: crescimento, formação de mudas, Passiflora edulis f. flavicarpa

Resumo

A obtenção de mudas de qualidade é resultante da utilização de substratos uniformes e estáveis, que garantem a eficiência do crescimento e desenvolvimento das plantas. No presente estudo, foi avaliada a propagação do maracujazeiro-azedo (Passiflora edulis f. flavicarpa) e da cultivar FB 200 (Flora Brasil). O experimento foi conduzido no viveiro da Universidade Federal de Jataí. Os tratamentos foram constituídos por: substrato comercial (Bioplant®) (S1), solo contendo 2 partes de solo + 1 parte de esterco + 1 parte de areia (S2) e solo proveniente de barranco, corrigido segundo a necessidade da cultura (S3). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado em esquema de parcela subdivida no tempo, tendo nas parcelas os três substratos e nas subparcelas as épocas de avaliação com oito repetições e quatro mudas por unidade experimental. Os parâmetros avaliados aos 30, 35, 40, 45, 50, 55 e 60 dias após a semeadura (DAS) foram: graus-dia, massa fresca e seca da planta, massa fresca e seca da parte aérea, massa fresca e seca da raiz, número de folhas, área foliar, área foliar específica, taxa de crescimento absoluto, diâmetro do caule e teor de clorofila total. Com base nas características avaliadas, concluiu-se que o substrato comercial Bioplant® proporcionou a obtenção de mudas de melhor qualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-07-25
Como Citar
Ferreira de Souza, L. K., Do Valle, K. D., Barbosa, M. A., Rocha, D. I., & Pereira da Silva, D. F. (2019). PROPAGAÇÃO DO MARACUJAZEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS. REVISTA ENGENHARIA NA AGRICULTURA - REVENG, 27(4), 347-358. https://doi.org/10.13083/reveng.v27i4.922
Seção
Recursos Hídricos e Ambientais