ANÁLISE E MAPEAMENTO DA DEGRADAÇÃO POR SENSORIAMENTO REMOTO NA ESTAÇÃO ECOLÓGICA RASO DA CATARINA-SEMIÁRIDO BRASILEIRO

  • Douglas Alberto Universidade Federal Rural de Pernambuco -UFRPE
  • Elvis da Silva Alves Universidade Federal de Viçosa-UFV
  • Edivania Matias da Silva Universidade Federal de Alagoas-UFAL
  • Iug Lopes UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO-UFRPE
  • Wellington Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS-UFAL
Palavras-chave: albedo, árvore de decisão, caatinga, desertificação

Resumo

O Semiárido Brasileiro está passando por variações nos índices pluviométricos e acentuação do uso dos recursos naturais, e o monitoramento por imagens de satélite possibilita detectar, analisar e inferir sobre alterações da superfície da terra provocadas por processos naturais e/ou antrópicos, devendo-se monitorar constantemente as áreas de reserva ambiental e ecológica, a exemplo do Raso da Catarina, que está localizada na região mais seca do semiárido. O presente estudo objetivou analisar e mapear o avanço da degradação na Estação Ecológica Raso da Catarina no Semiárido Brasileiro, utilizando dados de superfície e imagens do Landsat-8, para os anos de 2014 a 2017. Técnicas de sensoriamento remoto foram utilizadas para estimar o Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI), albedo de superfície e Índice de Desvio Padrão Móvel (MDSI). A técnica de detecção de mudança e a classificação da degradação por árvore de decisão baseadas em regras predefinidas no NDVI, albedo e MDSI foram aplicadas para inferir sobre as alterações na área estudada. Com base nos mapas de degradação, constatou-se que houve diminuição nas áreas de vegetação, estando associada à redução nos valores do regime pluviométrico. Conclui-se que a técnica de intensidade da mudança e degradação identificou áreas degradadas durante o período de estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-08-28
Como Citar
Alberto, D., Alves, E. da S., Silva, E. M. da, Lopes, I., & Santos, W. (2019). ANÁLISE E MAPEAMENTO DA DEGRADAÇÃO POR SENSORIAMENTO REMOTO NA ESTAÇÃO ECOLÓGICA RASO DA CATARINA-SEMIÁRIDO BRASILEIRO. REVISTA ENGENHARIA NA AGRICULTURA - REVENG, 27(5), 420-430. https://doi.org/10.13083/reveng.v27i5.962
Seção
Meteorologia Aplicada