A constituição do movimento Campo de Públicas a partir da percepção de integrantes graduados em Administração

Autores

  • Sílvia Ferreira Caproni Gonçalves Universidade Federal de Alfenas - Unifal-MG
  • Virgílio Cézar da Silva Oliveira Universidade Federal de Juiz de Fora -UFJF

Palavras-chave:

Administração Pública, Psicologia Social, Identidade.

Resumo

O Campo de Públicas é um movimento multidisciplinar formado por discentes e docentes ligados aos cursos que formam gestores públicos e que, a partir de 2010, intensificou a discussão de assuntos relevantes à esfera pública. Esta pesquisa qualitativa busca compreender a constituição deste movimento a partir de referenciais teóricos sobre identidade fornecidos pela Psicologia Social e pela análise de entrevistas realizadas com integrantes graduados em Administração. Constatou-se, a partir das falas dos entrevistados que a negação da identidade pressuposta de administrador foi um fator determinante para o seu ingresso no referido movimento e que a natureza da identidade coletiva em construção expressa em suas entrevistas é de resistência à imposição de referenciais típicos da ciência administrativa hegemônica. Dinâmicas associadas ao movimento sinalizam em direção à uma identidade de projeto, ancorada na multiplicidade da formação de seus atores.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sílvia Ferreira Caproni Gonçalves, Universidade Federal de Alfenas - Unifal-MG

Pedagoga e Mestre em Gestão Pública e Sociedade, pós-graduada em Metodologia do ensino e graduada em Administração Escolar pelo Instituto de Ciências Sociais de Americana, Supervisão Escolar e Orientação Educacional pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Professor José Augusto Vieira. Trabalhou como professora em escolas particulares no estado de São Paulo e rede pública de Minas Gerais como professora e supervisora pedagógica. Foi também professora dos cursos de licenciatura da Fundação Educacional de Machado-MG. Atualmente desempenha as funções de Técnica em Assuntos Educacionais na Coordenadoria de Graduação da UNIFAL- MG e integra o grupo de pesquisa "Práticas discursivas em contexto organizacional - Pradiscor".

Virgílio Cézar da Silva Oliveira, Universidade Federal de Juiz de Fora -UFJF

Possui graduação em Administração pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2001), mestrado (2004) e doutorado (2009) em Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Lavras. É professor da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis, Universidade Federal de Juiz de Fora. Atua na área de Administração, com ênfase em Administração Pública.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

BOGDAN, R. C.; BIKKLEM, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução n. 2, de 4 de outubro de 1993. Fixa os mínimos de conteúdos e duração do curso de Graduação em Administração. Brasília, 1993. Disponível em: <http://www.cfa.org.br/download/Resn2_93.pdf>. Acesso em: 06 jun. 2011.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. 1996. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf>. Acesso em: 14 mai. 2012.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução n. 4, de 13 de julho de 2005. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração, bacharelado, e dá outras providências. 2005. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces004_05.pdf >. Acesso em: 14 mai. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Censo da Educação Superior. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/web/censo-da-educacao-superior/evolucao-1980-a-2007>. Acesso em 01 out. 2012a.

BRASIL. Ministério da Educação. Microdados para download. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/basica-levantamentos-acessar>. Acesso em 01 out. 2012b.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução n. 1, de 13 de janeiro de 2014. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação em Administração Pública, bacharelado, e dá outras providências. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content& view=article&id=20138&Itemid=866>. Acesso em: 14 mai. 2014.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. São Paulo: Paz e Terra, 2010.

CIAMPA, Antônio da Costa. A estória do Severino e a história da Severina: um ensaio de psicologia social. São Paulo: Brasiliense, 1987.

CIAMPA, Antônio da Costa. Identidade. In: LANE, Silvia Tatiana Maurer; CODO, Wanderley. Psicologia social: o homem em movimento. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 58-75.

COELHO, Fernando de Souza. Educação superior, formação de administradores e setor público: um estudo sobre o ensino de administração pública em nível de graduação no Brasil. 2006. 151 f. Tese (Doutorado) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2006.

COELHO, Fernando de Souza; OLENSCKI, Antônio Roberto Bono; CELSO, Rafael Prado. Da letargia ao realento: notas sobre o ensino de graduação em administração pública no Brasil no entremeio da crise do Estado e da redemocratização no país (1983-94). Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 45, n. 6, p. 1707- 1732, nov./dez. 2011.

COELHO, Fernando de Souza; NICOLINI, Alexandre Mendes. Revisitando as origens do ensino de graduação em administração pública no Brasil (1854-1952). Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 48, n. 2, p. 367-388, mar./abr. 2014.
HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Rio de Janeiro, RJ: DP & A, 2006.

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 20-29, mai./jun. 1995.

GUERREIRO RAMOS, Alberto. A nova ciência das organizações. Rio de Janeiro, Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1989.

ITUASSU, Cristina Trindade; TONELLI, Maria José. Notas sobre o conceito de sucesso: sentidos e possíveis (re)significações. Revista de Administração Mackenzie, São Paulo, v. 13, n. 6, p. 197-224, nov./dez. 2012.

JOVCHELOVITCH, Sandra. Psicologia social, saber, comunidade e cultura. Psicologia & Sociedade, v. 16, n. 2, p. 20-31, maio/ago. 2004.

KEINERT, Tânia Margarete Mezzomo. Os paradigmas da administração pública no Brasil (1900-92). Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 34, n. 3, p. 41-48, maio/jun. 1994.

KEINERT, Tânia Margarete Mezzomo. Administração pública no Brasil: crises e mudanças de paradigmas. São Paulo: Annablume, 2000.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: Artes Médicas; Belo Horizonte: UFMG, 1999.

NOGUEIRA, Marco Aurélio. As Possibilidades da política: ideias para a reforma democrática do Estado. São Paulo: Paz e Terra, 1998. cap. 4, p.183-213.

MARTINS, Fernando Ramalho. Identidade e estudos organizacionais: em direção a um novo paradigma? Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 11, n. 1, jan.-abr., 2013, p. 62-82.

PAES DE PAULA, Ana Paula. Administração Pública brasileira entre o gerencialismo e a gestão social. Revista de Administração de Empresas, v. 45, n. 1, jan./mar. 2005.

PIRES, Valdemir; VAINER, Carlos; FONSECA, Sérgio Azevedo. Uma definição do “Campo de Públicas”. 2012. Disponível em: <campodepublicas.wordpress.com/about/>. Acesso em: 12 dez. 2013.

SARAIVA, Luiz Alex Silva. A educação superior em administração no Brasil e a questão da emancipação: um túnel no fim da luz? Revista Gestão e Planejamento, Salvador, v. 12, n.1, p. 41–60, jan./jun. 2011.

SERVA, Maurício. A racionalidade substantiva demonstrada na prática administrativa. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 37, n. 2, p. 18 -30, abr./jun. 1997.

TAYLOR, Frederick Winslow. Princípios de administração cientifica. São Paulo: Atlas, 1980.

TENÓRIO, Fernando Guilherme. O “tipo burguês” e o pensamento organizacional. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL DE EPISTEMOLOGIA E SOCIOLOGIA DA CIÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO, 2., 2012, Florianópolis. Anais... Florianópolis, 2012.

TOLEDO, Samantha. Carreira e identidade: reflexos das exigências mercadológicas na vida pessoal e profissional dos jovens executivos de empresas multinacionais. In: ENCONTRO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 30., 2006, Salvador. Anais... Salvador, 2006.

VENDRAMINI, Patrícia. Análise do curso de Administração Pública da UDESC – ESAG à luz das competências. 2013. 249 f. Tese (Doutorado em Administração) – Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013. (mimeo).

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-11-18

Como Citar

Gonçalves, S. F. C., & Oliveira, V. C. da S. (2016). A constituição do movimento Campo de Públicas a partir da percepção de integrantes graduados em Administração. Administração Pública E Gestão Social, 8(4), 202-211. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/apgs/article/view/4910

Edição

Seção

Artigos