Prefeituras priorizam o desenvolvimento local? Um estudo qualitativo do caso de Montes Claros/MG de acordo com a visão de gestores públicos locais

  • Felipe Fróes Couto Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
  • Ivan Beck Ckagnazaroff Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
Palavras-chave: Desenvolvimento Local, Prefeitura, Capacidade Administrativa

Resumo

No presente artigo, parte-se do pressuposto de que as prefeituras possuem um importante papel na promoção do desenvolvimento local. É por meio das prefeituras que os cidadãos buscam resolver os problemas do cotidiano, de suas casas e dos serviços públicos ofertados. Assim, as prefeituras, além de possuir estruturas de serviços públicos, devem também possuir capacidade de planejar e implementar políticas capazes de transformar a realidade das pessoas. O presente trabalho é um estudo qualitativo cujo objetivo é analisar as percepções dos gestores públicos do município sobre a capacidade da prefeitura de Montes Claros/MG de planejar, implementar e gerenciar ações de desenvolvimento local. Para a coleta de dados e tratamento do tema, foram entrevistadas, no presente caso, 15 autoridades locais no período de janeiro a março de 2015. Os entrevistados relataram um cenário em que as preocupações com desenvolvimento local são, na estrutura de gastos das prefeituras, apenas acréscimos não prioritários, pois não estão relacionados aos objetivos delimitados pelos governos estadual e federal, que são as principais fontes de repasse de recurso e de controle governamental. Ações de desenvolvimento local, por não serem consideradas prioritárias no presente caso, são consideradas complementares e recebem tratamento equivalente na administração local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Fróes Couto, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES
Professor de Educação Superior na Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES. Mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (2015). Possui MBA em Direito Tributário e em Gestão Financeira pelas Faculdades  IBS/FGV.  Membro do Núcleo de Estudos de Gestão Pública (NEGP) e do Núcleo de Estudos Organizacionais Críticos e Transdisciplinares (NEOCT) da UFMG.
Ivan Beck Ckagnazaroff, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
Possui graduação em Economia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1981), mestrado em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (1988) e doutorado em Doctoral Programme Aston Business School - Aston University (1993). Atualmente é professor associado do Departamento de Ciencias Administrativas e do Cepead da Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

ANDION, Carolina. Análise de redes e desenvolvimento local sustentável. Revista de administração Pública. Rio de Janeiro. set/out, 2003 p. 1033-1054.

BARDIN, Lawrence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, Lda, 2008.

BOISIER, Sergio. Em busca do esquivo desenvolvimento regional: Entre a caixa-preta e o Projeto Político. Revista Planejamento e Políticas Públicas, n. 13, Junho de 1996.

BRAGA, Maria Ângela Figueiredo. Industrialização da área mineira da Sudene – um estudo de caso: Montes Claros: Unimontes, 2008.

BRANDÃO, C. A.; COSTA, E. J. M.; ALVES, M. A. S. Construir o Espaço Supra-Local de Articulação Sócio-Produtiva e das Estratégias de Desenvolvimento. Belo Horizonte: CEDEPLAR, 2004.

BUARQUE, Sérgio C. Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável: Material para orientação técnica e treinamento de multiplicadores e técnicos em planejamento local e municipal. Projeto de Cooperação Técnica INCRA/IICA. Brasília, 1999.

CARVALHO, Juvenilda Soares de. Conselhos Municipais: Sua contribuição para o desenvolvimento local. Anais dos Encontros Nacionais da Anpur, v. 8. Porto Alegre, 1999.

COMIM, F.; BAGOLIN, I. Aspectos qualitativos da pobreza no Rio Grande do Sul. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 23, n. especial, 2002. p. 467-490.

DOWBOR, Ladislau. A comunidade Inteligente: visitando as experiências de gestão local. In: Silvio Caccia-Bava Veronika Paulics, Peter Spink (Orgs.). Novos Contornos da Gestão Local: conceitos em construção. São Paulo: Pólis, Programa Gestão Pública e Cidadania / FGV-EAESP, 2002.

______. Governabilidade e Descentralização. In: O Novo Município. Economia política local, Perspectiva, vol. 10, n3, SEADE, São Paulo, 1996

FAURÉ, Yves-A., HASENCLEVER, Lia. Caleidoscópio do desenvolvimento local no Brasil: diversidade das abordagens e das experiências. Rio de Janeiro: E-papers, 2007.

FAURÉ, Y-A.; HASENCLEVER, L.; MELO, L. M. Configurações Produtivas Locais e Desenvolvimento Municipal: Explorações no Interior Fluminense. In: FAURÉ, Yves-A., HASENCLEVER, Lia (Orgs.). Caleidoscópio do desenvolvimento local no Brasil: diversidade das abordagens e das experiências. Rio de Janeiro: E-papers, 2007.

FRANCO, Augusto de. Porque precisamos de Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável. Brasília: Instituto de Política/Millenium, 2ª edição, 2000.

GRINDLE, Merilee S. Going Local: Decentralization, Democratization and the Promise of Good Governance. New Jersey: Princeton Press, 2007.

GUERRERO, M. G. La red social como elemento clave del desarrollo local. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Estudos Rurais, 1996.

MARTINS, Sérgio Ricardo Oliveira; Desenvolvimento Local: questões conceituais e metodológicas. Revista Internacional de Desenvolvimento Local. Vol. 3, N. 5, Set. 2002.

MARTINS, Rafael D’Almeida; VAZ, José Carlos e CALDAS, Eduardo de Lima. A gestão do desenvolvimento local no Brasil: (des)articulação de atores, instrumentos e território. Revista de Administração Pública (RAP). Rio de Janeiro: EBAPE, 2010

MENDELL, Marguerite. Qu’est-ce que le développement? In: TREMBLAY, M.; TREMBLAY, P.; TREMBLAY, S. (orgs.). Développement local, économie sociale et démocratie. Canadá: Editora da Universidade de Québec, 2002.

MONTES CLAROS. Lei nº 3.502 de dezembro de 2005. Altera a redação dos arts. 4º, 5º e 7º da Lei nº 2.300 de 26 de dezembro de 1995 e dá outras providências. Disponível em: , acesso em abril de 2015.

______. Lei nº 4.684/2013. Cria o Conselho de Desenvolvimento Sustentável de Montes Claros – CODEMC, e dá outras providências. Disponível em: < http://leisdemoc. blogspot.com.br/2014/05/lei-n-46842013.html>, acesso em abril de 2015.

MOURA, Maria Suzana; MELO, Vanessa Paternostro; CASTRO, Rocío; MEIRA, Ludmila e LORDÊLO, José Alberino Carvalho. Gestão do desenvolvimento local, tempos e ritmos de construção: o que sinalizam as práticas. Revista de Administração Pública (RAP). Rio de Janeiro: EBAPE, 2002

NINACS, William A. Le pouvoir dans la participation au développement local. Dans un context de mondialisation. In: TREMBLAY, M.; TREMBLAY, P.; TREMBLAY, S. (orgs.). Développement local, économie sociale et démocratie. Canadá: Editora da Universidade de Québec, 2002.

OLIVEIRA, Francisco de. Aproximações ao enigma: o que quer dizer desenvolvimento local? São Paulo. Pólis, Programa Gestão Pública e Cidadania/EAESP/FGV, 2001.

PEREIRA, C. A. M.; HERSCHMANN, M. Comunicação, cultura e gestão de organizações privadas e públicas na perspectiva do desenvolvimento local sustentável. Trabalho apresentado no Núcleo de Relações Públicas e Comunicação Organizacional, XXVI Congresso Anual em Ciência da Comunicação, Belo Horizonte/MG, 02 a 06 de setembro de 2003.

SCHULZE-BÖING, Matthias. Inclusion and Local Development. Challenges for Local and Regional Government. Revista de Assistência Social. Ano IX, n.4, p. 147-152, 2010.

YIN, Robert. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4.ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.
Publicado
2016-11-18
Como Citar
Couto, F. F., & Ckagnazaroff, I. B. (2016). Prefeituras priorizam o desenvolvimento local? Um estudo qualitativo do caso de Montes Claros/MG de acordo com a visão de gestores públicos locais. Administração Pública E Gestão Social, 8(4), 225-234. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/apgs/article/view/4931
Seção
Artigos