Consórcios Intermunicipais para o Desenvolvimento: Determinantes da Cooperação entre os Municípios Baianos

Palavras-chave: ação coletiva institucional, cooperação intergovernamental, gestão municipal

Resumo

O presente artigo se propõe a identificar quais as características econômicas, fiscais, demográficas e geográficas dos municípios baianos influenciam a formação de consórcios intermunicipais de desenvolvimento. A fundamentação teórica do estudo baseou-se na Teoria da Ação Coletiva Institucional, importante lente adotada na literatura para a análise dos fatores que condicionam a propensão à cooperação intergovernamental. Quanto ao método, o estudo é descritivo e exploratório, com abordagem quantitativa, que utilizou bases de dados secundárias para analisar, pela estatística inferencial e o modelo de regressão logística, os dados coletados dos 417 municípios baianos. Os resultados evidenciaram três características correlacionadas, ou seja, que influenciam a formação de consórcios intermunicipais de desenvolvimento: maior receita tributária, maior porte (população) e municípios inseridos em aglomeração urbana. Sugere-se que estudos futuros analisem a economia de escala decorrente desses acordos e avaliem a influência da orientação política na cooperação intermunicipal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiana Aparecida Ferreira Doin, UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
Doutoranda em Administração pela Universidade Federal da Bahia, bolsista CAPES, membro do Núcleo de Estudos Aplicados a Organizações de Utilidade Social (NOUS), na linha de pesquisa Economia do Compartilhamento. Possui mestrado em Administração e especialização em Gestão Estratégica de Negócios pela Universidade Federal do Espírito Santo, e graduação em Administração pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Profissional da área de Tecnologia da Informação entre 1998 e 2013, como analista de desenvolvimento, gerente de contas, consultora técnica e gestora de contratos, colaborando com os principais fabricantes de software e hardware internacionais. Num intervalo de dois anos nesse período, atuou como compradora e gestora de suprimentos no setor gastronômico, moveleiro e construção civil. Ministrou aulas por três anos como professor voluntário na Universidade Federal do Espírito Santo e Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Participou de palestras e projetos de extensão tecnológica na Universidade Federal do Espírito Santo e na Universidade Federal da Bahia. Possui interesse em estudos sobre economia do compartilhamento, novos formatos de negócio mediados pelas tecnologias de informação e comunicação, organizações de utilidade social, parcerias intersetoriais, governança colaborativa, inovação social, interculturalidade, diversidade e gênero.
Laerson Morais Silva Lopes, UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

Professor Assistente na Faculdade de Ciências Contábeis da Universidade Federal da Bahia. Doutorando em Administração pela UFBA. Mestre em Contabilidade, Graduado em Ciências Contábeis e Especialização em Gestão Contábil e Tributária, também pela UFBA, atualmente leciona as disciplinas de Contabilidade para Organizações do Terceiro Setor, Contabilidade Tributária e de Perícia Contábil, além de ministrar aulas em cursos de Pós Graduação das disciplinas Perícia Tributária, Planejamento e Gestão Tributária, na Faculdade de Ciências Contábeis-UFBA. Além disso, tem experiência na área empresarial, conhecendo portanto a prática profissional, desenvolvendo diversos trabalhos em gestão empresarial, controladoria, perícia contábil, gestão tributária e de custos em empresas de diversos segmentos e portes. Atuação, também, como pesquisador e orientador em pesquisas científicas.

 
Adelzira Souza Afonso, UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO
Possui Mestrado em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Espírito Santo, Graduação em Ciências Contábeis pela Faculdade Moraes Junior -Mackenzie Rio, Graduação em Administração pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Atuou como Analista Financeira em Empresas de Grande Porte do Setor de Comércio Exterior, entre outros. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração Financeira e Contabilidade Gerencial, Estudos sobre Disclosure Financeiro de Empresas S.A de Capital Fechado e Governança Corporativa. Atualmente é professora substituta do Departamento de Ciências Contábeis da Universidade Federal do Espirito Santo.
Ariádne Scalfoni Rigo, UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
Doutorado em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Mestrado em Administração pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Possui graduação em Administração de Cooperativas pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), MG. Atualmente é professora da Escola de Administração da UFBA e do Programa de Pós Graduação em Administração (NPGA). É vice-coordenadora do NPGA e editora da revista Organizações & Sociedade (O&S). Pesquisa nas áreas Organizações e Gestão Social. Atualmente, tem se interessado pelas temáticas relacionadas às Políticas Públicas em Economia e Finanças Solidária, Moedas Sociais e Desenvolvimento de Territórios. É membro do comitê gestor da Research Association on Monetary Innovation and Community and Complementary Currency Systems (RAMICS).

Referências

Abrucio, F. L. (2005). Reforma do Estado no Federalismo Brasileiro: a situação das administrações públicas estaduais. Revista Brasileira de Administração Pública, 39(2), 401-420.
Abrucio, F. L. & Sano, H. A. (2011). Experiência de Cooperação Interestadual no Brasil: formas de atuação e seus desafios. Cadernos ADENAUER, 4, 22-31.
Abrucio, F. L.; Filippim, E. S. & Dieguez, R. C. (2014). Inovação na cooperação intermunicipal no Brasil: a experiência da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) na construção de consórcios públicos. Revista de Administração Pública, 47(6), 1543–1568.
Afonso, A. S.; Vieira, C. M.; Santos Júnior, J. L. & Doin, T. A. F. (2016). Desafios para o financiamento dos planos municipais de resíduos sólidos: O caso do Condoeste. In: J. L. dos Santos Júnior & A. S. Afonso. (Orgs.). Desafios para o desenvolvimento capixaba: uma perspectiva transdisciplinar. Curitiba: CRV.
Andrew, S. A. (2009). Recent Developments in the Study of Interjurisdictional Agreements: An Overview and Assessment. State and Local Government Review, 41(2), 133–142.
Bel, G. & Warner, M. E. (2016). Factors explaining inter-municipal cooperation in service delivery: a meta-regression analysis. Journal of Economic Policy Reform, 19(2), 91–115.
Benton, J. E. (2013) Local Government Collaboration: Considerations, Issues, and Prospects. State and Local Government Review, 45(4), 220–223.
Brasil. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituição.htm. Acesso em 10/12/2017.
Carvalho, S. L. De; Xaxier, T. Dos S. & Pinto, F. L. B. (2016). Trajetória dos consórcios públicos baianos: oportunidades e desafios para uma política de desenvolvimento territorial. Anais do IX Congresso CONSAD de Gestão Pública, Brasília, DF, Brasil, 1–27.
Cruz, M. do C. M. T.; Araújo, F. F. & Batista, S. (2011). Consórcios numa perspectiva histórico-institucional. In: Municípios e estados: experiências com arranjos cooperativos. Rio de Janeiro: Fundação Konrad Adenauer.
Cunha, R. E. da. (2004). Federalismo e relações intergovernamentais: os consórcios públicos como instrumento de cooperação. Revista do Serviço Público, 55(3), 5–36.
Farah, M. F. S. & Jacobi, P. (2000). Governos locais e cooperação inter e intragovernamental no Brasil. In: M. F. Santos & H. B. Barbosa (Eds.). Novas experiências de gestão pública e cidadania. São Paulo: FGV.
Fávero, L. P (2015). Análise de dados: modelos de regressão com Excel®, Stata® e SPSS®. Rio de Janeiro: Elsevier.
Feiock, R. C. (2007). Rational Choice and Regional Governance. Journal of Urban Affairs, 29(1), 47–63.
Feiock, R. C. (2013) The institutional collective action framework. Policy Studies Journal, 41(3), 397–425.
Feiock, R. C. & Carr, J. B. (2001). Incentives, entrepreneurs, and boundary change: A Collective Action Framework. Urban Affairs Rewiew, 36(3), 382–405.
Galindo, J. M.; Cordeiro, J. C.; Villani, R. A. G.; Barbosa, E. A., Filho & Rodrigues, C. S. (2014). Gestão interfederativa do SUS : a experiência gerencial do Consórcio Intermunicipal do Sertão do Araripe de Pernambuco. Revista de Administração Pública, 48(6), 1545–1566.
Grin, E. J.; Segatto, C. I. & Abrucio, F. L. (2016). El asociativismo intermunicipal en Brasil. (1a ed). In. D. Cravacuore & A. Chacón (Eds.). El Asociativismo Intermunicipal en América Latina. Santiago do Chile: Universidad Tecnológica Metropolitana.
Hawkins, C. V. (2007). Local government joint ventures: cooperation and competition for economic development (Tese de doutorado). Department of Urban and Regional Planning of the Florida State University, Tallahassee.
Krueger, S. & Mcguire, M (2005). A Transaction Costs Explanation of Interlocal Government Collaboration. Michigan: Wayne State University.
Leroux, K. E & Carr, J. B (2007). Explaining local government cooperation on public works: evidence from Michigan. Public Works Management and Policy, 12(1), 344–358.
Linhares, P. de T. F. S.; Messenberg, R. P. & Ferreira, A. P. L. (2017). Transformações na Federação Brasileira: o consórcio intermunicipal no Brasil do início do século XXI. Boletim de Análise Político-Institucional do IPEA – Instituto Brasileiro de Pesquisas Aplicadas, 12.
Machado, J. A. & Andrade, M. L. C (2014). Cooperação intergovernamental, consórcios públicos e sistemas de distribuição de custos e benefícios. Revista Administração Pública, 48(3), p. 695–720.
Mazzali, L. & Niero, J. C. C. (2015). Arranjos intermunicipais de desenvolvimento: Fatores condicionantes da propensão a cooperar. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, 11(2), 60–92.
Morgan, D. R. & Hirlinger, M. W. (1991). Intergovernmental service contracts: A multivariate explanation. Urban Affairs Quarterly, 27(1), 128-144.
Nascimento, A. M. & Fernandes, A. S. A. (2015). Relações de Cooperação em Consórcios Públicos de Regiões Metropolitanas: análises do CONDIAM / PB e Consórcio Grande Recife / PE. Teoria e Prática em Administração, 5(1), 25–52.
Oliveira, F. de. (1995). A crise da federação : da oligarquia à globalização. In: R. B. A. Afonso & P. L. B. Silva (Eds.). A federação em perspectiva. São Paulo: Fundação do Desenvolvimento Administrativo.
Pereira, G. A. & Moreira, T. B. da S. (2016b). A influência dos consórcios intermunicipais de saúde no índice Firjan de desenvolvimento municipal (IFDM). Planejamento e Políticas públicas, 46(1), 131–159.
Pereira, G. A. & Moreira, T. B. da S. (2016a). Consórcio Público Intermunicipal: características dos municípios participantes. Revista de Políticas Públicas, 20(1), 307–325.
Post, S. S. (2004). Metropolitan area governance and institutional colletive action. In: R. C. Feiock (Ed.). Metropolitan governance: conflit, competition, and cooperation. Washington, D.C.: Georgetown University Press, 67-93.
Randolph, R. & Magalhães, G. A. (2017). Governança territorial e seus desafios: Reflexões sobre consórcios intermunicipais e comitês hidrográficos. Brazilian Journal of Development, 3(especial), 389-405.
Rios, R. B. (2015). A dimensão político-territorial dos consórcios públicos intermunicipais: uma análise da espacialidade no contexto brasileiro. Anais do I Congresso Brasileiro de Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território, Porto Alegre-RS, Brasil.
Tavares, A. F. & Feiock, R. C. (2014). Intermunicipal Cooperation and Regional Governance in Europe: An Institutional Collective Action Framework. Anais do World CongressInternational Political Science Association. Montreal.
Teixeira, E. C. (1999). Sociedade Civil e seu Papel Político: o local e o global como espaços de participação cidadã. Organizações & Sociedade, 6(14), 105–114.
Publicado
2019-11-28
Como Citar
Doin, T. A. F., Lopes, L. M. S., Afonso, A. S., & Rigo, A. S. (2019). Consórcios Intermunicipais para o Desenvolvimento: Determinantes da Cooperação entre os Municípios Baianos. Administração Pública E Gestão Social. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/apgs/article/view/5756
Seção
Artigos