A relação da escolarização e os efeitos para a escolha do projeto de vida de estudantes surdos

Palavras-chave: Escolarização de surdos. Projeto de vida. Representações sociais.

Resumo

O estudo tem como objetivo apreender a relação da escolarização e os efeitos para a escolha do projeto de vida de estudantes Surdos. A fundamentação teórica está embasada na Teoria das Representações Sociais (RS) de abordagem dimensional. Tem-se como metodologia a abordagem descritiva - analítica com a utilização da técnica de associação livre de palavras. Os dados foram analisados a partir da associação entre fatores que se relacionam para se chegar as RS. Os resultados apontam que os projetos de vida dos estudantes Surdos se estruturam a partir da construção histórica de suas vivências no âmbito escolar, principalmente às relacionadas na educação básica. Esse processo ajudou os alunos Surdos a ter conhecimento, enfrentar desafios, se desenvolver e descobrir seus interesses. As correlações que assinalam a escolarização foram apontadas por representações de situações de exclusão, a descoberta da Língua de Sinais como opção para o seu desenvolvimento escolar e a escolha da faculdade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arlete Marinho Gonçalves, Universidade Federal do Pará

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Pará. Professora do Magistério Superior na Universidade Federal do Pará.

Referências

ABRIC, Jean Claude. Abordagem estrutural das representações sociais. In. MOREIRA, Antonia Silva Paredes; OLIVEIRA, Denize Cristina de (org.). Estudos Interdisciplinares de Representação Social. Goiânia, Go: AB Editora, 1998. p. 27-38.

ALVES-MAZZOTTI, Alda Judith. Representações Sociais: aspectos teóricos e aplicações à educação. Revista múltiplas leituras, v.1, n. 1, p. 18-43, jan./jun. 2008.

BOTELHO, Paula. Linguagem e letramento na educação dos Surdos: ideologias e práticas pedagógicas. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

BRASIL. Decreto n. 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamente a Lei n. 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o art. 18 da Lei n. 10.092, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, DF: Presidência da República, 2005.

BRASIL. Censo Demográfico 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 2010. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default.shtm. Acesso em: 20 set. 2016.

CHIZZOTTI, Antonio. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

DAMÁZIO, Mirlene Ferreira Macedo. Atendimento Educacional Especializado: Pessoa com Surdez. Brasília/DF: SEESP/SEED/MEC, 2007.

DOISE, Willem. Representations et relations entre groupes. In.: MOSCOVICI, Serge. Introctucion à la Psychologie Sociale. Paris: Larousse, 1995.

EDRAW MIND MAP. Programa computacional. Hong Kong, 2004. Disponível em: www.edrawsoft.com. Acesso: 10 jan. 2013.

FERNANDES, Eulália; CORREIA, Claudio Manoel de Carvalho. Bilinguismo e Surdez: A evolução dos conceitos no domínio da Linguagem. In.: FERNANDES, Eulália (org.). Surdez e bilinguismo. Porto Alegre: Mediação, 2010. p. 7-25.

GOLDFELD, Marcia. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sócio-interacionista. 5. ed. São Paulo: Plexus Editora, 2002.

GONÇALVES, Arlete Marinho. Sinais de escolarização e as repercussões nos projetos de vida: Representações Sociais de universitários Surdos. 2016. 253 f. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal do Pará, Belém-PA, 2016.

GONÇALVES, Arlete Marinho; LOBATO, Huber Kliner Guedes; NASCIMENTO, Ivany Pinto. Quero ser professor de libras e ajudar os surdos”: Representações Sociais de jovens surdos. Anais do VI Congresso Brasileiro de Educação Especial, UFSCAR, 2014. Disponível em: https://proceedings.science/cbee6/trabalhos#q=arlete&p=0. Acesso em: 20 set. 2016.

HERMANN, Walther; BOVO, Viviani. Mapas mentais: enriquecendo inteligências. São Paulo: IDPH, 2005.

JODELET, Denise. Representação Sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, Denise. As Representações Sociais. Tradução Lilian Ulup. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2001. p. 17-44.

MARKOVÁ, Ivana. Dialogicidade e Representações Sociais: as dinâmicas da mente. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

MOSCOVICI, Serge. Representações Sociais. Investigações em psicologia social. 8 ed. Petrópolis: Vozes, 2011.

MOSCOVICI, Serge. A psicanálise, sua imagem e seu público. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

NASCIMENTO, Ivany Pinto. Projeto de vida de adolescentes do ensino médio: um estudo psicossocial sobre suas representações. Imaginário, São Paulo, v. 12, n. 12, jun. 2006. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-666X2006000100004. Acesso em: 08 set. 2012.

NÓBREGA, Sheva Maia da; COUTINHO, Maria da Penha de Lima. O teste de associação livre de palavras. In.: COUTINHO, Maria da Penha de Lima et al (org.). Representações sociais: Abordagem interdisciplinar. João pessoa: UFPB, 2003. p. 67-77.

SCALON, Celi. Desigualdade, pobreza e políticas públicas: Notas para um debate. Contemporânea, n. 1 p. 49-68, jan./jun. 2011.

SPINK, Maria Jane Paris. Desvendando as Teorias Implícitas: uma Metodologia de Análise das Representações Sociais. In: GUARESCHI, Pedrinho; JOVCHELOVITCH, Sandra (org.). Textos em Representações Sociais. 4. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995. p. 117-148.

VALENTINI, Carla Beatris; BISOL, Claudia Alquati. Inclusão no ensino Superior: especificidades da prática docente com estudantes surdos. Caxias do Sul. RS: EDUCS, 2012.

Publicado
2019-03-25
Como Citar
Gonçalves, A. M. (2019). A relação da escolarização e os efeitos para a escolha do projeto de vida de estudantes surdos. Educação Em Perspectiva, 10, e019007. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v10i0.6891