O PNAIC e sua contribuição aos professores alfabetizadores sobre o sistema de escrita alfabética

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v9i1.806

Palavras-chave:

Formação continuada. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Sistema de Escrita Alfabética.

Resumo

Este artigo apresenta resultados de um estudo que teve como objetivo compreender a contribuição do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) aos professores alfabetizadores com relação ao Sistema de Escrita Alfabética (SEA) e sobre como esse conhecimento interfere em suas ações didático-pedagógicas. Como instrumentos de coleta de dados foram utilizados questionários com perguntas abertas e fechadas, respondidos por alfabetizadores que atuam do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental em uma rede pública de ensino. Também foram realizadas entrevistas semiestruturadas com alguns professores. A pesquisa caracteriza-se como quali-quanti, cujos dados coletados são tratados por meio de uma abordagem qualitativa. Os resultados revelaram que o PNAIC contribuiu para a troca de experiências, para a reflexão sobre a prática pedagógica e estratégias de ensino-aprendizagem. Os professores dizem que a partir do PNAIC houve uma melhor compreensão acerca dos níveis de escrita.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Korn, Universidade da Região de Joinville

Mestre em Educação pela Universidade da Região de Joinville.

Rosana Mara Koerner, Universidade da Região de Joinville

Mestre e doutora em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas. Professora pela Universidade da Região de Joinville.

Referências

ANDRÉ, Marli. Formação de professores: a constituição de um campo de estudos. Educação. Porto Alegre, v. 33, n. 3, p.174-181, set./dez. 2010.

BABBIE, Earl. Métodos de pesquisas de Survey. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: formação do professor alfabetizador: caderno de apresentação/Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria à Gestão Educacional. Brasília: MEC, SEB, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Regulamentação da formação continuada ao magistério. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, no seu Art. 62, § 1. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 15 maio 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Portaria nº 867, 4 de julho de 2012. Institui o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa e as ações do Pacto e define suas diretrizes gerais. Diário Oficial da União, Brasília, 05 de julho de 2012. 2012b. Disponível em: <http://pacto.mec.gov.br/images/pdf/port_867_040712.pdf>. Acesso em: 19 jan. 2016.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização & Linguística. Editora Scipione, 2007.

GARCÍA, Carlos Marcelo. Formação de professores: para uma mudança educativa. Colecção Ciências da educação Século XXI. Porto, Portugal: Porto Editora, 1999.

GARCÍA, Carlos Marcelo. A Identidade docente: constantes e desafios. Revista Brasileira de Pesquisa Sobre Formação Docente, Belo Horizonte, Autêntica, v.1, p. 109-131, ago/dez 2009.

GATTI, Bernadete; ANDRÉ, Marli. A relevância dos métodos de pesquisa qualitativa em Educação no Brasil. In: WELLER, Wivian; PFAFF, Nicolle (Orgs.). Metodologias da pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013. P. 29-38.

GATTI, Bernadete; ANDRÉ, Marli. Estudos quantitativos em educação. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 1-30, jan./abr. 2004.

IMBERNÓN, Francisco. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

MORAIS, Artur Gomes de. Se a escrita alfabética é um sistema notacional (e não um código), que implicações isto tem para a alfabetização? In: MORAIS, Artur Gomes de; ALBUQUERQUE, Eliana; LEAL, Telma. Alfabetização: apropriação do sistema de escrita alfabética. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2005, P. 29-45.

NÓVOA, Antônio (Coord.). Os professores e a sua formação. 2ª ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

PRADA, Alvarado Eduardo Luiz; FREITAS, Thaís Campos; FREITAS, Cinara Aline. Formação continuada de professores: alguns conceitos, necessidades e propostas. Rev. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 10, n. 30, p. 367-387, maio/ago. 2010.

ROLDÃO, Maria do Céu. Que é ser professor hoje? – a profissionalidade docente revisitada. Revista das ESES, n. 9, p. 79-87, 1998. (Nova série).

SOARES, Magda. Alfabetização e Letramento: Caminhos e descaminhos. Revista Pátio, Porto Alegre, ano 8, n. 29, p. 18-22, fev./abr. 2004.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1987.

Downloads

Publicado

2018-10-19

Como Citar

KORN, E.; KOERNER, R. M. O PNAIC e sua contribuição aos professores alfabetizadores sobre o sistema de escrita alfabética. Educação em Perspectiva, Viçosa, MG, v. 9, n. 2, p. 197–214, 2018. DOI: 10.22294/eduper/ppge/ufv.v9i1.806. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/6905. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos