Universidades de classe mundial e a ideologia da excelência: tendências globais e locais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v9i1.985

Palavras-chave:

Universidade de Classe Mundial. Ideologia da excelência. Política educacional. Organismos internacionais. Iniciativas de excelência.

Resumo

Neste trabalho, que resulta de pesquisa de doutorado, analisa-se o modelo de Universidade de Classe Mundial (UCM), a partir das orientações dos Organismos Internacionais (OI), em especial o Banco Mundial (BM), e seus experts e ainda como esta concepção vem ganhando força em vários países, grupos e blocos, incentivando a promoção de programas, políticas e projetos, inclusive, no Brasil. Em termos metodológicos, utilizou-se a análise documental, considerando-se que a investigação sobre as tendências e manifestações da UCM pressupõe a compreensão da totalidade histórica e social. Conclui-se que o modelo de UCM, fundamentado pela Ideologia da Excelência, é uma tendência global que vem sendo utilizada como um arquétipo com o qual se induz à competitividade internacional e eleva-se ao paroxismo a diferenciação/hierarquização entre e intra instituições em diferentes escalas, bem como incita transformações na própria concepção de universidade.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lara Carlette Thiengo, Universidade Federal de Santa Catarina

Programa de Pós-Graduação em Educação - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Linha Trabalho e Educação.

Lucídio Bianchetti, Universidade Federal de Santa Catarina

Programa de Pós-Graduação em Educação - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pesquisador Nível 1B do CNPq.

Referências

ALTBACH, Philip et al. Trends in Global Higher Education: tracking an academic evolution. Boston: Sense Publishers, 2010.

ALTBACH. Philip; SALMI, Jamil. El camino hacia la excelencia académica: la constitución de Universidades de Investigación de Rango Mundial. Tradução para o espanhol: Ediciones Gondo e Banco Mundial. Washington, EUA: Banco Mundial, 2011.

CARNOY, Martin. et al. Expansão das Universidades em uma economia global em mudança: um triunfo dos BRIC? Brasília: Capes, 2016.

CHESNAIS, François. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere: os intelectuais; o princípio educativo; jornalismo. 6. ed. v. 2. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

HARVEY, David. O enigma do capital: e as crises do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, Karl. O Capital. Crítica da Economia Política. O Processo de Produção do Capital. Livro 1, Volume 1. 3. ed. Rio de janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

OCDE. Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico ou Econômico. Promoting Research Excellence: New Approaches to Funding. Paris, França: OECD, 2014.

SALMI, Jamil. El desafío de crear universidades de rango mundial. Colômbia: Mayol Ediciones, BM, 2009.

SADLAK, Jan.; CAI, Liu Nian (Editores). The World-Class University as Part of a New Higher Education Paradigm: From Institutional Qualities to Systemic Excellence. Bucharest, Romênia: UNESCO-Cepes, 2009.

SILVA JÚNIOR, João do Reis. The new brazilian university – A busca de resultados comercializáveis: para quem? Relatório de Pesquisa FAPESP/CNPQ. São Carlos: UFSCAR; Tempe/Phoenix, EUA: ASU, 2015.

SILVA JÚNIOR, João do Reis. The new brazillian university. A busca de resultados comercializáveis: para quem? Bauru: Canal 5, 2017.

SGUISSARDI, Valdemar. Universidade brasileira no século XXI. Desafios do presente. São Paulo: Cortez, 2009.

SGUISSARDI, Valdemar. Estudo Diagnóstico da Política de Expansão da (e Acesso à) Educação Superior no Brasil – 2002-2012. Brasília: Edital N. 051/2014 SESU. Projeto de Organismo Internacional – OEI; Projeto OEI/BRA/10/002, 2014.

THIENGO, Lara Carlette. Universidades de Classe Mundial e o consenso pela excelência: tendências globais e locais. 2018. 366f. Tese (Doutorado em Educação). Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2018.

USP. Universidade de São Paulo. Plano de Desenvolvimento Institucional 2012-2017. São Paulo, 2011.

UFMG. Universidade Federal de Minas Gerais. Plano de Desenvolvimento Institucional 2013-2017. Belo Horizonte, 2013.

UNIFESP. Universidade Federal de São Paulo. Plano de Desenvolvimento Institucional 2016-2020. 2016.

UFABC. Universidade Federal do ABC. Plano de Desenvolvimento Institucional 2012-2022. São Paulo, 2012.

UFRGS. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Plano de Desenvolvimento Institucional 2016-2026. 2016. Porto Alegre, 2016.

UNESCO. BRICS. Construir a educação para o futuro. Brasília, 2014.

Publicado

2018-10-19

Como Citar

THIENGO, L. C.; BIANCHETTI, L. Universidades de classe mundial e a ideologia da excelência: tendências globais e locais. Educação em Perspectiva, Viçosa, MG, v. 9, n. 2, p. 241–258, 2018. DOI: 10.22294/eduper/ppge/ufv.v9i1.985. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/7055. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos