Diversidade e diferença

movimentos do currículo nos murais de uma escola

Palavras-chave: Currículo. Diferença. Diversidade.

Resumo

A diversidade atravessa documentos oficiais da educação e ressoa em currículos e práticas pedagógicas produzindo discursos de respeito e tolerância. Este trabalho é de abordagem qualitativa e utiliza como estratégia metodológica a arqueologia de Foucault para analisar condições de possibilidade de irrupção de discursos sobre diversidade na educação brasileira. Foram analisados trabalhos de estudantes expostos em murais de uma escola nos quais três discursos foram mapeados: discurso jurídico, de igualdade e de tolerância. O objetivo é problematizar esses discursos a partir de uma análise ancorada na diferença pensada por Deleuze (1988). Conclui-se que, ao difundir discursos sobre diversidade, o currículo reclama um lugar para as identidades diversas, mas não questiona a norma que as produz. Neste sentido, a diferença deleuzeana permite pensar um currículo que foge da representação, pois a diferença não é, ela varia infinitamente à medida que se repete.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amarildo Inácio dos Santos, Universidade Regional de Blumenau
Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Bahia (PPGED-UFBA) na linha de pesquisa Currículo e (In)formação.
Gicele Maria Cervi, Universidade Regional de Blumenau

Doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora do quadro da Universidade Regional de Blumenau.

Referências

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (versão final). 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/02/bncc-20dez-site.pdf. Acesso em: 20 mar. 2018.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 5 out. 1988.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação. Secretária de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial [da] União, Poder Executivo, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989. Define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo. Brasília, DF: Senado Federal, 1989.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/introducao.pdf. Acesso em: 21 mar. 2018.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: Pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. p. 151-172.

CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault: um percurso pelos seus temas, percursos e autores. Tradução Ingrid Müller Xavier. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica,

DELEUZE, Gilles. Conversações, 1972-1990. Tradução de Peter Pál Pelbart. São Paulo: Editora 34, 2013.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Tradução Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. 2 ed. Tradução Ana Lúcia de Oliveira, Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 2011. v. 1.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Tradução Aurélio Guerra Neto, Ana Lúcia de Oliveira, Lúcia Cláudia Leão e Suely Rolnik. Rio de Janeiro: Editora 34, 2012. v. 3.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 7. ed. Tradução Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 20 ed. Tradução Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 2007.

FOUCAULT, Michel. Os anormais: Curso no Collège de France (1974-1975). Tradução Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. 8. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

GUATTARI, Félix; ROLNIK, Suely. Micropolítica: cartografias do desejo. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.); HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2012. p. 103-133.

LINS, Daniel. Tolerância ou imagem do pensamento?. In: PASSETI, Edson; OLIVEIRA, Salete de (Org.). A tolerância e o intempestivo. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2005. p. 19-33.

LOURO, Guacira Lopes. Currículo, gênero e sexualidade - O “normal”, o “diferente” e o “excêntrico”. In: LOURO, Guacira Lopes; FELIPE, Jane; GOELLNER, Silvana Vilodre (Org.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. 8 ed. Petrópolis: Vozes, 2012. p. 43-53.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999. 174p.

ORWELL, George. A revolução dos bichos. Tradução Heitor Aquino Ferreira. São Paulo: Globo, 2002.

PARDO, José Luis. El sujeto inevitable. In: CRUZ, Manuel (Org.). Tiempo de subjetividad. Tradução Tomaz Tadeu da Silva. Barcelona: Paidós, 1996. p. 133-154.

PASSETTI, Edson. Segurança, confiança e tolerância: comandos na sociedade de controle. São Paulo em Perspectiva, v. 18, n. 1, p. 151-160, jun. 2004.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Identidade e diferença: impertinências. Educação e sociedade. São Paulo, ano 23, n. 79, p. 65-66, ago. 2002.

SILVA, Tomaz Tadeu da. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

SCHWENGBER, Maria Simone Vione. O uso das imagens como recurso metodológico. In: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves (Org.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. 2. ed. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2014. p. 263-280.

ZOURABICHVILI, François. O vocabulário de Deleuze. Rio de Janeiro: Sinergia - Relume Dumará, 2004.

Publicado
2019-02-16
Como Citar
Santos, A. I. dos, & Cervi, G. M. (2019). Diversidade e diferença: movimentos do currículo nos murais de uma escola. Educação Em Perspectiva, 10, e019003. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v10i0.7059