A formação continuada de professores a partir de três perspectivas

o senso comum pedagógico, pacotes formativos e a práxis pedagógica

  • Evandro Consaltér Universidade de Passo Fundo
  • Altair Alberto Fávero Universidade de Passo Fundo
  • Carina Tonieto Universidade de Passo Fundo
Palavras-chave: Formação continuada. Possibilidades. Desafios.

Resumo

O presente estudo é desenvolvido a partir de uma abordagem analítico bibliográfica sobre três enfoques, amplamente estudados por Benincá (2002), que podem orientar a formação continuada de professores: o processo informal e espontâneo, a busca por cursos de formação continuada e o método da práxis pedagógica, caracterizado pela autoformação e formação coletiva. O objetivo é analisar como cada uma dessas modalidades formativas compreende a prática pedagógica do professor e se coloca como possibilidade de qualificar o exercício da profissão docente. Como suporte para o nosso enfoque investigativo, utilizaremos principalmente os estudos de Benicá (2002), Bachelard (1996, 2001) e Fávero e Tonieto (2010). Entendemos que a melhor compreensão dessas possibilidades de formação continuada pode oferecer aos professores possibilidades de qualificar as práticas docentes e de prospectar novas e melhores políticas para esta finalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evandro Consaltér, Universidade de Passo Fundo

Doutorando em Educação (Bolsista Capes) pela UPF, Mestre em Educação, na linha de pesquisa Políticas Educacionais (UPF). Graduado em Letras (UPF). Membro do Grupo de Pesquisa Docência Universitária, Políticas Educacionais e Expansão da Educação Superior da UFP.

Altair Alberto Fávero, Universidade de Passo Fundo

PhD (Bolsista Capes) pela Universidad Autónoma del Estado de México (UAEMéx), Doutor em Educação (UFRGS), Mestre em Filosofia do Conhecimento (PUCRS),  Graduado em Filosofia (UPF). Professor Titular III da UPF onde atua no Curso de Filosofia, no Mestrado e Doutorado em Educação.  

Carina Tonieto, Universidade de Passo Fundo

Doutora em Educação (UPF), Mestre em Educação (UPF/Bolsista Capes), especialista em Gestão Educacional (UFSM), graduada em Filosofia (UPF), Professora do curso de Filosofia e Área de Ética e Conhecimento na UPF e no Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul/IFRS/Campus de Ibirubá.

Referências

ALFERES, Marcia Aparecida. MAINARDES, Jefferson. A formação continuada de professores no Brasil. Anais do Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá. Maringá: UEM, 2011.

AQUINO, Júlio Gropa. MUSSI, Mônica Cristina. As vicissitudes da formação docente em serviço: a proposta reflexiva em debate. Educação e Pesquisa, São Paulo, 2001, v.27, n.2, p.211-227, jul./dez.
BACHELARD, Gaston. O novo espírito científico. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2001.
BACHELARD, Gaston. A Formação do espírito científico. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.
BALL, S. “Intelectuais ou técnicos? O papel indispensável da teoria nos estudos” educacionais. In: BALL, Stephen; MAINARDES, Jeferson. (Orgs.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011.
GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. de Sá; ANDRÉ, M. E. D. de Afonso. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011.
BECKER, Fernando. A epistemologia do professor: o cotidiano da escola. Petrópolis: Vozes, 1993.
BENINCÁ, Elli. O sendo comum pedagógico: práxis e resistência. Dissertação. Porto Alegre: UFRGS, 2002.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9.394, 20 de dezembro de 1996. Brasília: MEC, 2006.

BRASIL. Repensando a escola: um estudo sobre os desafios de aprender, ler e escrever. Brasília: UNESCO, MEC/INEP, 2007.
CARVALHO, Mercedes. Escola, espaço de formação de professores. In: CARVALHO, M. (org.). Ensino fundamental: práticas docentes nas séries iniciais. Petrópolis: Vozes, 2006. p.13-18.
DUAYER, M.; MORAES, M. C. M. (1998). “História, estórias: morte do real ou derrota do pensamento”. Perspectiva, Florianópolis, UFSC, 1998, v.16, n.29, pp.63-74.
FÁVERO, Altair Alberto. Políticas de Formação Pedagógica: possibilidades de superar o mal-estar docente. In: CENCI, Ângelo Vitório, DALBOSCO, Cláudio Almir, MÜHL, Eldon Henrique, (org.). Sobre Filosofia e Educação: Racionalidade, diversidade e formação pedagógica. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2009.
FÁVERO, Altair Alberto; ESQUINSANI, Rosimar. Me ame, me abrace, me acolha! saberes docentes e políticas de formação continuada. Revista contrapontos – Eletrônica, 2011, v. 11, n. 1, p.6-13, jan./abr.
FÁVERO, Altair Alberto; TONIETO, Carina. O lugar da teoria na pesquisa em política educacional. In: Anais do I Encontro Latinoamericano de Professores de Política Educacional, Guarulhos, 2015.
FÁVERO, Altair Alberto; TONIETO, Carina. Educar o Educador: reflexões sobre a formação docente. Campinas: Mercado de Letras, 2010.
FÁVERO, Altair Alberto; TONIETO, Carina. Formação de professores e suas histórias de vida. In: LOPES, A. R. L. et al (orgs.). Formação de professores em diferentes espaços e contextos. Campo Grande: Editora UFMS, 2011, p.163-181.
GATTI, Bernardete Angelina. Análise das políticas públicas para a formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, 2008, v. 13, n. 37, jan./abr.

______ . A construção metodológica da pesquisa em educação: desafios. RBPAE, 2012, v. 28, n. 1, p. 13-34, jan./abr.
GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Trad. De Carlos Nelson Coutinho. 7.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

LOPES, Carine Winck. Práticas de leituras de professoras na contemporaneidade & literatura de autoajuda. Dissertação. Porto Alegre: UFRGS, 2012.

MARQUES, Mario Osório. Pedagogia: a ciência do educador. Ijuí: Unijuí, 1990.

MORAES, M. C. M. “Recuo da Teoria”. In: MORAES, M. C. M. (Org.). Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas educacionais. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.
MORAES, M. C. M. “Indagações sobre o conhecimento no campo da educação”. In: ALMEIDA, M.L.P.; MENDES, V. H. (Orgs.). Educação e racionalidade: questões de ontologia e método em educação. Campinas: Mercado de Letras, 2009.
NOVOA, António. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, António. Os professores e sua formação. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1992.
PÉREZ GÓMEZ, Angel. “O pensamento prático do professor: a formação do professor como profissional reflexivo”, in: NÓVOA, Antonio (org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1995.

PRADA, Luis Eduardo Alvarado; FREITAS, Thaís C.; FREITAS, Cinara Aline. Formação continuada de professores: alguns conceitos, interesses, necessidades e propostas. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, 2010, v. 10, n. 30, p. 367-387, maio/ago.

SARTORI, Jerônimo; SEGAT, Taciana. Formação continuada: lições de um processo. In: MÜHL, E. et al. (orgs.) Diálogo, ação comunicativa e práxis pedagógica. Passo Fundo: ed. UPF, 2015, p.97-114.

SHIROMA, E. O. “O eufemismo da profissionalização”. In: MORAES, M. C. M. (Org.) Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas educacionais. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.
SOARES, Kátia Cristina Dambisk.. Trabalho docente e conhecimento. Tese. (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.
Publicado
2019-12-29
Como Citar
Consaltér, E., Fávero, A. A., & Tonieto, C. (2019). A formação continuada de professores a partir de três perspectivas: o senso comum pedagógico, pacotes formativos e a práxis pedagógica. Educação Em Perspectiva, 10, e019040. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v10i.7121