Debatendo a ética na pesquisa com seres humanos por meio de um júri simulado

relato de experiência

Palavras-chave: Metodologia ativa, Júri simulado, Ética na pesquisa

Resumo

O presente estudo visa apresentar um debate sobre a ética na pesquisa com seres humanos por meio de um júri simulado. A atividade foi realizada com acadêmicos do curso de Psicologia de uma instituição privada de ensino superior localizada na cidade de Santa Maria-RS. Primeiramente os alunos foram instruídos teoricamente com uma aula expositiva que abordou a ética na pesquisa com seres humanos. Após a etapa da teorização foi proposto aos alunos que assistissem ao filme “A Experiência” (2001). Uma turma de 23 alunos foi dividida de acordo com as funções específicas de cada integrante de um julgamento para realização da atividade. Constatou-se nas argumentações dos alunos a relação da teoria com a prática, como também a postura ética, criatividade e a exposição do senso crítico. Conclui-se que o Júri simulado possibilita a argumentação no contexto da sala de aula, sendo considerado um recurso didático importante e inovador para promover aprendizagens significativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Janaína Pereira Pretto Carlesso, Universidade Franciscana

Mestrado em Distúrbios da Comunicação Humana pela UFSM. Doutora pela UFSM no Programa de Pós-graduação Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde.  Professora adjunta do curso de Psicologia e do Curso de Mestrado em Ensino de Humanidades e Linguagens da Universidade Franciscana.

Referências

ABEPIRENSE, Pacita Geovana Gama de Sousa et al. O uso de metodologias ativas na formação do profissional Enfermeiro – Tribunal do Juri Simulado: uma experiência de sucesso. In: Congresso Iberoamericano de Ciencia, Tecnología, Innovación y Educación. Buenos Aires, Argentina, 2014.

ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos; ALVES, Leonir Pessati. Estratégias de ensinagem. In: ANASTASIOU, Léa das Graças Camargos. Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias do trabalho em aula. 5. Ed. Joinville, SC: Univille, 2009. p. 67-100.

BARBOSA, Eduardo Fernandes; MOURA, Dácio Guimarães de. Metodologias ativas de aprendizagem na educação profissional e tecnológica. Boletim técnico do SENAC. Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 48-67, maio/ago. 2013.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas. Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011.

BORDENAVE, Juan Díaz; PEREIRA, Adair Martins. Estratégias de ensino-aprendizagem. 28 ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

BORGES, Tiago Silva; ALENCAR, Gidélia. Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em Revista. Salvador, ano 3, n. 4, p. 119-143, jul./ago. 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União, 2013.

CARLINI, Angélica Luciá. Aprendizagem baseada em problemas aplicada ao ensino de direito: projeto exploratório na área de relações de consumo. 2006. 295 f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.

COTTA, Rosângela Minardi Mitre et al. Construção de portfólios coletivo em currículos tradicionais: uma proposta inovadora de ensino-aprendizagem. Ciência e Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p.787-796, mar. 2012.

DIESEL, Aline; MARCHESAN, Michele Ross; MARTINS, Silvana Neumann. Metodologias ativas de ensino na sala de aula: um olhar de docentes da educação profissional Técnica de nível médio. Signos. Lajeado, ano 37, n. 1, p. 153-169, 2016.

DUARTE, Indianandra Thomasi; CARLESSO, Janaína Pereira Pretto. Psicanálise, Cinema e Subjetividade: como a sétima arte interfere na construção e reconstrução da subjetividade. Research, Society and Development. Itabira, MG, v. 8, n. 4, e2384820, 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25 ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GARCIA, Mauricio Lourenção. Cuidado em saúde: abordagem clínico-institucional junto à população em situação de vulnerabilidade social. Projeto de estágio do curso de Psicologia da Universidade Federal de São Paulo, Campus Baixada Santista, Santos, 2015.

GADOTTI, Moacir. Convite à leitura de Paulo Freire. São Paulo: Scipione, 1999.

KALATZIS, Adriana Casale. Aprendizagem baseada em problemas em uma plataforma de ensino a distância com apoio dos estilos de aprendizagem: uma análise do aproveitamento dos estudantes de engenharia. 2008. 113 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia da Produção) – Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, São Carlos, 2008.

LASCOMBE, Betina et al. Análise do Filme a “Ilha do Medo” sob o olhar da Psicologia Cognitiva. Research, Society e Development. Itabira, MG, v. 8, n. 1, e1681530, jan. 2019.

MITRE, Sandra Minardi et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência e Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 13, supl. 2, p. 2133-2144, dez. 2008.

MOREIRA, Jonathan Rosa; RIBEIRO, Jefferson Bruno Pereira. Prática pedagógica baseada em metodologia ativa: aprendizagem sob a perspectiva do letramento informacional para o ensino na educação profissional. Periódico Científico Outras Palavras. Brasília, v. 12, n. 2, p. 93-114, 2016.

OMS. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Ethics and Health. [Site]. Disponível em: http://www.who.int/ethics/research/en/index.html. Acesso em: 10 dez. 2018.

REAL, Luciane Magalhães Corte; MENEZES, Crediné Silva de. Júri simulado: possibilidade de construção de conhecimento a partir de interações em um grupo. In: MENEZES, Crediné Silva de; CARVALHO, Marie Jane Soares de; NEVADO, Roseane Aragón de (org.). Aprendizagem em rede na educação a distância: estudos e recursos para formação de professores. Porto Alegre: Ricardo Lenz, 2007. p. 93-102.

RIBEIRO, Luis Roberto de Camargo. Aprendizagem baseada em problemas (PBL): uma experiência no ensino superior. 1 ed. São Carlos, SP: EdUFSCar, 2010.

VEIGA, Léia Aparecida; FONSECA, Ricardo Lopes. O júri simulado como proposta didático-pedagógica para a formação inicial do professor de geografia na perspectiva da aprendizagem baseada em problemas (PBL). Geousp – Espaço e Tempo (online). São Paulo, v. 22, n. 1, p. 153-171, 2018.

Publicado
2019-12-20
Como Citar
Carlesso, J. P. P. (2019). Debatendo a ética na pesquisa com seres humanos por meio de um júri simulado: relato de experiência. Educação Em Perspectiva, 10, e019025. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v10i0.7142
Seção
Relatos de experiência