Dificuldades e resistências às tarefas de escrita

experiências de estudantes brasileiros em intercâmbio internacional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22294/eduperppgeufv.v11i..8911

Palavras-chave:

Relação com a escrita. Letramentos acadêmicos. Ciências sem fronteiras.

Resumo

Analiso entrevistas semiestruturadas com nove estudantes de engenharia e ciências da computação do Programa Ciências sem Fronteiras na Universidade da Califórnia em Santa Bárbara – Estados Unidos (UCSB) entre 2015 a 2016, para compreender dificuldades e resistências na relação com a escrita. Eles supostamente apresentam essas dificuldades e resistências por pertencerem a áreas disciplinares em que o cálculo é práxis predominante e por se encontrarem comumente dissociados da prática da escrita interativa. Os resultados mostram que as dificuldades e resistências dos estudantes residem basicamente na carência de situações didáticas, à exemplo das vivenciadas na UCSB, oportunizando uma legítima atividade intelectual (metacognitiva e metalinguística) e que desenvolvam seus letramentos sociais, em especial os que são típicos do meio acadêmico.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Messias Dieb, Universidade Federal do Ceará

Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professor do Departamento de Fundamentos da Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da UFC, onde coordena o Grupo de Pesquisa γραφή (grafí) - Laboratório de Estudos da Escrita.  

Referências

ABRIC, Jean Claude. Abordagem estrutural das representações sociais: desenvolvimentos recentes. In: CAMPOS, Pedro Humberto; LOUREIRO, Marcos Correia da Silva. (orgs.). Representações sociais e práticas educativas. Goiânia: Editora da UCG, 2003, p. 37-57.

BARRÉ-DE MINIAC, Christine. Le rapport à l'écriture: une notion à valeur euristique. Diptyque, n. 12, p. 11-23, 2008.

BAZERMAN, Charles. A theory of literate action: literate action (vol. 2). Fort Collins, Colorado/ Anderson, South Carolina: WAC Clearinghouse and Parlor Press, 2013.

BAZERMAN, Charles. Escrita, gênero e interação social. São Paulo: Cortez, 2007.

CARDOSO, Inês. A relação com a escrita extra-escolar e escolar: um estudo no ensino básico. Tese de Doutorado em Didática. Aveiro/Portugal: Universidade de Aveiro - Departamento de Didática e Tecnologia Educativa, 2009.

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber às práticas educativas. São Paulo: Cortez, 2013. (Coleção docência em formação: saberes pedagógicos).

CHARLOT, Bernard. Da relação com o saber: elementos para uma teoria. Porto Alegre: ArtMed, 2000.

HYLAND, Ken. Disciplines and discourses: social interactions in the construction of knowledge. In. STARKE-MEYERRING, Doreen. et al. (Eds.). Writing in knowledge societies: perspectives on writing. Fort Collins, Colorado/ Anderson, South Carolina: WAC Clearinghouse and Parlor Press, 2011, p. 193-214.

KOHNEN, Angela. Teachers as editors, editors as teachers. In. BAZERMAN, Charles et al. International advances in writing research: cultures, places, measures. Fort Collins, Colorado/ Anderson, South Carolina: WAC Clearinghouse and Parlor Press, 2012, p. 303-317.

LEA, Mary; STREET, Brian. The “Academic Literacies” model: theory and applications. Theory into practice. Ohio: v. 45, n. 4, p. 368-377, Oct. 2006.

MATTE, Ana Cristina Fricke; ARAÚJO, Adelma Lúcia de Oliveira Silva. A importância da escrita acadêmica na formação do jovem pesquisador. In. MOURA, Maria Aparecida. (Org.). Educação científica e cidadania: abordagens teóricas e metodológicas para a formação de pesquisadores juvenis. Belo Horizonte: UFMG/PROEX, 2012, p. 97-110.

MCLEOD, Susan.; MAIMON, Elaine. Clearing the air: WAC myths and realities. College English, v. 62, n. 5, p. 573-583, 2000.

MONKS, Edwards. The Brazil Scientific Mobility Undergraduate Program in the United States: a new phase in U.S.–Brazil educational exchange. New York: IIE, 2013.

RIBEIRO, Ana Elisa. Escrita e coautoria: uma contribuição aos estudos do letramento acadêmico. Mélanges Crapel, v. 37, n. 1, p. 59-81, 2016.

Publicado

2020-12-02

Como Citar

Dieb, M. (2020). Dificuldades e resistências às tarefas de escrita: experiências de estudantes brasileiros em intercâmbio internacional. Educação Em Perspectiva, 11(.), e020039. https://doi.org/10.22294/eduperppgeufv.v11i.8911