ALTERAÇÕES NOS NÍVEIS DE ANTIOXIDANTES EM POLPA DE MANGA

Danielle Fabíola Pereira da Silva, Rosana Gonçalves Pires Matias, José Osmar da Costa e Silva, João Paulo Gava Cremasco, Alejandro Hurtado Salazar, Claudio Horst Bruckner

Resumo


De acordo com o padrão respiratório, a manga é uma fruta climatérica e, por isso, amadurece e se deteriora rapidamente mesmo em ambiente refrigerado. Este trabalho teve como objetivo avaliar o método mais eficaz de congelamento e armazenamento para polpa de manga ‘Palmer’. Os métodos de congelamento
e armazenamento testados foram: freezer a -20±2°C (F), congelamento em nitrogênio líquido e armazenamento em freezer -20±2°C (CNF), ultra freezer a -80±2°C (UF) e com congelamento em nitrogênio líquido e armazenamento
em ultra freezer a -80±2°C (CNUF). As amostras foram acondicionadas em papel alumínio e avaliadas, quinzenalmente, por até 60 dias e depois, mensalmente, até 150 dias de armazenamento. Houve redução média de 5% no teor de sólidos solúveis e de 11% para o teor de acidez titulável para todos os tratamentos. A redução no teor de ácido ascórbico foi brusca para todos os tratamentos, com perdas de 81,1%; 75,1%; 77,3% e 75,5% para
polpa armazenada por 150 dias em CNF, CNUF, F e UF, respectivamente, evidenciando que nenhum dos métodos de congelamento utilizados é eficaz para preservar os teores de AA da polpa de manga ‘Palmer’. Os teores de carotenóides são preservados durante 150 dias de armazenamento utilizando tanto o método CNF quanto o CNUF.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21206/rbas.v4i2.255

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



ISSN Online 2236-9724, ISSN Impresso 2317-5818, ISSN Cd rom 2178-5317