COMPOSIÇÃO QUÍMICA E VALORES DE ENERGIA METABOLIZÁVEL APARENTE CORRIGIDA DE ALGUNS ALIMENTOS ENERGÉTICOS DETERMINADOS COM FRANGO DE CORTE

Rodolfo Alves Vieira, Luiz Fernando Teixeira Albino, Melissa Isabel Hannas, Gabriel da Silva Viana, Jorge Cunha Lima Muniz, Diego Ladeira da Silva, Valdir Ribeiro Junior, José Vinicius Carvalho Reis

Resumo


O experimento foi conduzido no Setor de Avicultura do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Viçosa, a fim de avaliar os valores energéticos de alguns alimentos para frangos de corte. O experimento teve como objetivo determinar os valores de energia metabolizável aparente (EMA) e energia metabolizável
aparente corrigida pelo balanço de nitrogênio (EMAn), além da determinação da composição química dos alimentos. O método tradicional de coleta de excretas foi utilizado em frangos de corte, no período de 14 a 24 dias de idade. Os animais foram distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado, sendo que cada tratamento contou com seis repetições de seis aves por unidade experimental. Cada alimento substituiu a ração referência nos níveis de 30 a 40%, de acordo com o tipo de alimento. As aves foram alojadas em baterias metálicas com bandejas para coleta de excretas. Os valores de EMAn (kcal/kg) com base na matéria natural dos alimentos energéticos foram: milheto inteiro, 3136 kcal/kg; milheto moído grosso, 3152 kcal/kg; milheto moído fino, 3170 kcal/kg; milho-1, 3247 kcal/kg; milho-2, 3368 kcal/kg; milho gelatinizado, 3029 kcal/kg; sorgo, 3221 kcal/kg; casca de soja, 913 kcal/kg; arroz parboilizado, 1774 kcal/kg e arroz integral, 2493 kcal/kg.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21206/rbas.v4i2.261

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



ISSN Online 2236-9724, ISSN Impresso 2317-5818, ISSN Cd rom 2178-5317