INFLUÊNCIA DO INSETO-PRAGA SITOPHILUS ZEAMAIS (MOTSCHULSKY) (COLEOPTERA-CURCULIONIDAE) NA TAXA RESPIRATÓRIA E NA PERDA DE MATÉRIA SECA DURANTE O ARMAZENAMENTO DE MILHO

Autores

  • Wederson M Alves
  • Leda Rita D'Antonino Faroni
  • Ernandes Rodrigues de Alencar
  • Juliana Lobo Paes

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v16i3.27

Palavras-chave:

deterioração, perda de matéria seca, taxa respiratória

Resumo

Em decorrência das perdas que ocorrem durante o período de armazenamento de grãos, objetivou-se com este trabalho quantificar a perda de matéria seca dos grãos de milho armazenados e infestados com Sitophilus zeamais, em diferentes condições de temperatura do ar ambiente, através da determinação da taxa respiratória pela produção de CO2. Neste trabalho, foram utilizados grãos de milho da variedade BRS 3060, provenientes da EMBRAPA/CNPMS (Sete Lagoas, MG). Logo após a colheita, os grãos infestados com o inseto-praga, na proporção de 10 insetos por quilo de produto, foram armazenados dentro de recipientes, que permitiam a troca gasosa. Estes foram então, colocados em câmara do tipo BOD às temperaturas de 20, 25, 30, 35 e 40 °C. Para a determinação da produção de CO2 e conseqüente perda de matéria seca, nos intervalos de zero, 30, 45, 60, 90, 120 e 150 dias, os grãos de cada tratamento foram distribuídos em frascos de vidro, com volume igual a 800 mL, os quais foram mantidos hermeticamente fechados durante 24 horas. Após este intervalo, 5 mL de ar intergranular foi removido do interior dos frascos e injetado em um analisador de fluxo segmentado com detecção condutimétrica. Por meio da leitura obtida, da porosidade da massa de grãos, da curva-padrão do sistema e da equação dos gases perfeitos foram determinadas a taxa respiratória e a perda de matéria seca dos grãos de milho. A análise dos dados e a interpretação dos resultados obtidos, nas condições específicas deste trabalho, permitiram concluir que: o sistema em uso (analisador em fluxo bissegmentado) forneceu dados que permitiram o acompanhamento da taxa respiratória dos grãos e mostrou-se sensível para tal; a umidade dos grãos e a temperatura de armazenamento influenciam diretamente a taxa respiratória; as maiores taxas respiratórias e as maiores perdas de matéria seca devido à respiração dos grãos foram observadas para os grãos armazenados nas condições em que o inseto-praga se desenvolveu, ou seja, às temperaturas de 20, 25 e 30 °C

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Alves, W. M., Faroni, L. R. D., Alencar, E. R. de, & Paes, J. L. (2008). INFLUÊNCIA DO INSETO-PRAGA SITOPHILUS ZEAMAIS (MOTSCHULSKY) (COLEOPTERA-CURCULIONIDAE) NA TAXA RESPIRATÓRIA E NA PERDA DE MATÉRIA SECA DURANTE O ARMAZENAMENTO DE MILHO. Revista Engenharia Na Agricultura - Reveng, 16(3). https://doi.org/10.13083/reveng.v16i3.27

Edição

Seção

Armazenamento e Processamento de Produtos Agrícolas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)