MÉTODOS DE ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NA ÁREA DE INFLUÊNCIA DOS CANAIS DA TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

Autores

  • Andre Keiiti Ide
  • Cícero Lopes da Silva

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v25i6.758

Palavras-chave:

agrometeorologia, Penman-Monteith-FAO, semiárido brasileiro

Resumo

Dentre as equações de estimativa da evapotranspiração de referência, a de Penman-Monteith-FAO é considerada a mais precisa. Porém, necessita de grande número de variáveis meteorológicas, tornando essa estimativa onerosa pelo elevado custo das estações agrometeorológicas. Por outro lado, existem outros métodos que demandam menos dados, representando uma maneira menos onerosa de se estimar a evapotranspiração de referência, condição essa que deve ser observada quando os usuários de sistemas de irrigação são pequenos produtores. O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho dos métodos de Hargreaves-Samani, Thornthwaite-48, Thornthwaite modificado, Camargo-71, Blaney-Criddle, Jensen-Haise, Radiação FAO 24, Aerodinâmico e Energético, na estimativa da evapotranspiração de referência na área de influência da Transposição das águas do rio São Francisco. Foram utilizados dados meteorológicos do período de 1995 a 2014. O método de Hargreaves-Samani obteve desempenho classificado como “ótimo”, sendo este desempenho consistente ao longo da área estudada. Por necessitar somente de dados de temperatura do ar, sugere-se esse método como alternativa de uso aos pequenos produtores na estimativa da evapotranspiração de referência na região estudada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-12-21

Como Citar

Ide, A. K., & Silva, C. L. da. (2017). MÉTODOS DE ESTIMATIVA DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NA ÁREA DE INFLUÊNCIA DOS CANAIS DA TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO. Revista Engenharia Na Agricultura - Reveng, 25(6), 526-539. https://doi.org/10.13083/reveng.v25i6.758

Edição

Seção

Meteorologia Aplicada