EFEITOS ALELOPÁTICOS DE Sesbania virgata (CAV.) PERS NA GERMINAÇAO DE SEMENTES DE ALFACE

Emmanoella Costa Guaraná Araujo, Thiago Cardoso Silva, Tarcísio Viana de Lima

Resumo


As substâncias produzidas pelo metabolismo secundário das plantas podem interferir no comportamento morfológico, fisiológico e etológico de outros organismos. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito alelopático do extrato aquoso de diferentes órgãos de Sesbania virgata (Cav.) Pers em sementes de alface (Lactuca sativa L, Asteraceae). Foram conduzidos quatro experimentos em laboratório num delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Cada repetição foi representada por uma caixa Gerbox com 50 sementes de Lactuca sativa L. Para obtenção dos extratos aquosos, foram utilizadas sementes, cascas dos frutos, folhas e cascas do caule da planta, produzindo-se extratos nas concentrações 25, 50, 75 e 100% e 0% (controle), utilizando água destilada. Foi avaliada a taxa de germinação, índice de velocidade de germinação (IVG), tempo médio (dias) e velocidade média (dia-1). De acordo com os resultados, verificou-se que os extratos aquosos das folhas e cascas do caule de S. virgata não apresentam efeito inibitório alelopático sobre a germinação, entretanto, interferem na velocidade de germinação. Contrariamente, os extratos oriundos das sementes e cascas dos frutos apresentaram efeito alelopático sobre a germinação das sementes. Assim, pode-se concluir que S. virgata inibe o crescimento inicial de L. sativa.

Palavras-chave


aleloquímico, germinação, metabolismo secundário

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13083/reveng.v26i2.862

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 ENGENHARIA NA AGRICULTURA / Engineering in Agriculture

Licença Creative Commons

Revista Engenharia na Agricultura / Engineering in Agriculture | Viçosa, MG, ISSN 2175-6813