Análise da distribuição da Temperatura de Superfície em relação ao Índice de Vegetação por Diferença Normalizada, em estação seca e chuvosa, no município de Teixeiras- MG

Autores

Palavras-chave:

Temperatura de Superfície; NDVI; Sensoriamento Remoto

Resumo

O emprego do sensoriamento remoto nos estudos do clima das cidades tem sido cada vez mais frequente, em razão da facilidade de aquisição das imagens orbitais, além da possibilidade de análises temporais e espaciais, que permite se fazer abordagens em diferentes escalas de análise. Por essas propriedades, tem sido utilizado não só para monitoramento de processos ambientais, como também suas respectivas respostas térmicas. Nesse sentido, o presente estudo tem por objetivo analisar o padrão da distribuição da cobertura vegetal no município de Teixeiras- MG por meio do Índice de Vegetação por Diferença Normalizada (NDVI) e suas respectivas interferências na Temperatura de Superfície em dois períodos, estação seca e chuvosa. Para tal, foram utilizadas imagens do Landsat 8, sensor TIRS/OLI nas datas de 22/12/2018 e 04/09/2019. Na estação chuvosa foram encontradas temperaturas mais amenas no ambiente rural e valores mais altos de NDVI quando comparados a estação seca, diferente da área urbana, que se mostrou mais elevada no verão. Com tudo, concluiu-se que a vegetação possui grande interferência na TST e a sua implementação de forma expressiva nos ambientes urbanos podem ser essenciais para amenização de desconfortos futuros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Larissa Galvão Fontes dos Santos, Universidade Federal de Viçosa

Atualmente é graduanda em Geografia pela Universidade Federal de Viçosa - UFV, onde foi membra voluntária do Museu de Ciências da Terra Alexis Dorofeef, atuando na área de Educação em Solos e Meio Ambiente(Março-Julho de 2019) e, atualmente, é membra e bolsista CNPq (2020/2021) pelo Laboratório de Biogeografia e Climatologia (BIOCLIMA - UFV).

Edson Soares Fialho, Universidade Federal de Viçosa

Docente do Departamento de Geografia da Universidade Federal de Viçosa, Coordenador do Laboratório de Biogeografia e Climatologia (Bioclima). Professor do Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Viçosa e Universidade Federal do Espírito Santo.

Referências

ALLOCCA, R. A.; FIALHO, E. S. O campo térmico no perímetro urbano de Ponte Nova-MG (Zona da Mata Mineira), em situações sazonais de verão e inverno, no ano de 2017. Revista Brasileira de Climatologia, Curitiba, v. 24, n. 15, p. 300-329, 2019. Disponível em <https://revistas.ufpr.br/revistaabclima/article/view/60753/38885>. .Acesso em 1 de jun. 2020.
ALMEIDA, A. J. P.; GUIMARÃES JR., S. A. M.; ANDRADE, E. L.; FERREIRA NETO, J. V. Relação entre o Índice de Vegetação e a temperatura de superfície na estimativa e identificação das ilhas de calor na cidade de Maceió-AL. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO - SBSR, 17, Anais..., João Pessoa-PB, p. 2047-2054, 2015. Disponível em < http://www.dsr.inpe.br/sbsr2015/files/p0406.pdf>. .Acesso em 1 de jun. 2020.
ANA. Agência Nacional de Águas. Rede higrometeorológica nacional. Disponível em: https://www.ana.gov.br/monitoramento/sala-de-situacao/rede-hidrometeorologica-nacional-1. Acesso em: 15 mai 2020.
CORREA, W. S. C. Campo térmico e higrométrico da Regional Praia do Canto no município de Vitória (ES). 2014. 152 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais. Disponível em < http://repositorio.ufes.br/handle/10/3612>. .Acesso em 30 de mai. 2020
COVELE, P. Aplicação de índices das condições da vegetação em tempo quase real da seca em Moçambique usando NOOAA_AVHRR-NDVI. Espaço e Tempo, São Paulo, n. 29, p; 85-95, 2011. Disponível em < http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74207>. .Acesso em 2 de jun. 2020
DELGADO, R. C.; RODRIGUES, R. de Á.; FARIA, A. L. L.; PESSOA, C. S. Uso do sensoriamento remoto na estimativa dos efeitos de ilhas de calor. Revista Brasileira de Ciências Ambientais, São Paulo, n.25, p. 69-80, 2012. Disponível em < http://www.abes-dn.org.br/publicacoes/rbciamb/PDFs/25-08_Materia_6_artigos326.pdf>. .Acesso em 30 de mai. 2020
DORIGON, L. P. AMORIM, M. C. de C. T. Clima urbano através do sensoriamento remoto: Evolução histórica da termografia de superfície de Paranavaí/PR-Brasil. Os desafios da Geografia Física na Fronteira do conhecimento, Campinas, SP, 17, Anais..., v. 1, p. 1777-1789, 2017. SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 2017, Unicamp: Instituto de Geociências. Disponível em < https://ocs.ige.unicamp.br/ojs/sbgfa/article/view/2382>. .Acesso em 1 de jun. 2020.
FIALHO, E. S. Unidades climáticas urbanas: O caso da Ilha do Governador. Revista do Centro de Ciências Humanas, Viçosa-MG, v. 10, n. 1, p.26-46, 2010. Disponível em < https://periodicos.ufv.br/RCH/article/view/3493>. .Acesso em 2 de jun. 2020.
FIALHO, E. S. Estudos climáticos em sítios urbanos e rurais. In: FIALHO, E. S.; SILVA, C. A. (Org.). Concepções e Ensaios da Climatologia Geográfica. Dourados-MS: UFGD, 2012, v. 1, pp. 83-114.Disponível em < https://www.researchgate.net/publication/327890815_ESTUDOS_CLIMATICOS_EM_SITIOS_URBANOS_E_RURAIS>. .Acesso em 2 de jun. 2020.
FIALHO, E. S. Climatologia: ensino e emprego de geotecnologias. Revista Brasileira de Climatologia, Curitiba-PR, ano 9, v. 13, p.30-50, 2014. Disponível em < https://revistas.ufpr.br/revistaabclima/article/view/33604>. .Acesso em 2 de jun. 2020.
FIALHO, E. S. As repercussões da expansão da mancha urbana na dinâmica climática local de Viçosa-MG. Revista de Ciências Humanas, Viçosa-MG, v. 15, n. 2, p. 324-337, 2015. Disponível em < https://periodicos.ufv.br/RCH/article/view/3095/0>. .Acesso em 5 de jun. 2020.
FIALHO, E. S.; CELESTINO, E. J.; QUINA, R. R. O campo térmico em situação episódica de primavera em uma cidade de pequeno porte, na Zona da Mata Mineira: um estudo de caso em Cajuri-MG. Revista de Geografia, Recife –PE, v. 33, n. 4, p. 299 -318, 2016. Disponível em < https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistageografia/article/view/229300>. .Acesso em 2 de jun. 2020
IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais, Estimativas da população residente com data de referência 1º de julho de 2019. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/teixeiras/panorama>. Acesso em 1 maio. 2020
INMET. Instituto Nacional de Meteorologia: Normais Climatológicas do Brasil. Disponível em: <http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=clima/normaisClimatologicas>. Acesso em: 11 mai. 2020.
JENSEN, J. R. Sensoriamento Remoto do ambiente: uma perspectiva em recursos terrestres. 2 ed. São José dos Campos-SP: Parênteses, 2009.
LANDSBERG, H. E. The climate of towns. Man’s Role in Changing the Face of the Earth. W. L. Thomas, Ed., University of Chicago Press, 1956.
LIU, Y.; SHINTARO, G.; ZHUANG, D. & KUANG, W. Urban surface heat fluxes infrared remote sensing inversion and their relationship with land use types. Journal of Geographical Sciences, New York, v. 22, n. 4, p.699-715, 2012. Disponível em < https://www.researchgate.net/publication/257689785_Urban_surface_heat_fluxes_infrared_remote_sensing_inversion_and_their_relationship_with_land_use_types>. .Acesso em 20 de jun. 2020
ORHAN, O.; EKERCIN, S.; DADASER-CELIK, F. Use of Landsat Land Surface Temperature and Vegetation Indices for Monitoring Drought in the Salt Lake Basin Area, Turkey. The Scientific World Journal, New York, v. 2014, p. 1-11, 2014. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/260448798_Use_of_Landsat_Land_Surface_Temperature_and_Vegetation_Indices_for_Monitoring_Drought_in_the_Salt_Lake_Basin_Area_Turkey >. Acesso em 1 jun. 2020
OKE, T.R. Boundary Layer Climates, 2nd Edition. Methuen, London, 1987, 435 pp.
PAULA, I. F. M.; PIMENTEL, F. O.; FERREIRA, C. C. M. Correlação entre a Temperatura de Superfície e o Índice Vegetativo no Perímetro Urbano de Juiz de Fora-MG. Revista de Geografia. PPGEO – UFJF. Juiz de Fora, v. 6, n. 4, p. 339-351, 2016. Disponível <https://periodicos.ufjf.br/index.php/geografia/article/view/18037>. Acesso em 6 jun. 2020
PESSI, D. D.; EREIO, P. K. B.; ALVES, G. B. M.; MARTARELLO, A. P.; OLIVEIRA, S. M. L. Qualidade da Cobertura Vegetal em Áreas de Preservação Permanente de Nascentes. Anuário do Instituto de Geociências, Rio de Janeiro, v. 41, n. 3, p. 270- 280, 2019. Disponível em < http://www.ppegeo.igc.usp.br/index.php/anigeo/article/view/13061>. .Acesso em 10 de jun. 2020
PORONGABA, G F O; AMORIM, M C de C T. Geotecnologias Aplicadas à Análise de Ilhas de Calor de Superfície em Cidades do Interior do Estado de São Paulo. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife-PE, v. 12, n. 4, p. 2041-2050, 2019. Disponível em < https://periodicos.ufpe.br/revistas/rbgfe/article/view/240229>. .Acesso em 30 de mai. 2020
PRADO, L. B.; SILVA, C. S.; SILVA, W. M.; FIALHO, E. S. Análise do comportamento térmico de uma cidade de pequeno porte, um estudo de caso do município de Porto Firme – MG. SIMPOSIO BRASILEIRO DE CLIMATOLOGIA GEOGRÁFICA. 13, Anais..., Juiz de Fora. UFJF-, 2018. Disponível em < https://www.researchgate.net/publication/329378302_ANALISE_DO_COMPORTAMENTO_TERMICO_DE_UMA_CIDADE_DE_PEQUENO_PORTE_UM_ESTUDO_DE_CASO_DO_MUNICIPIO_DE_PORTO_FIRME-MG>. .Acesso em 8 de jun. 2020
ROCHA, C. S; FIALHO, E. S. Modelando a exceção: a cidade de Teixeiras-MG e a enchente de 1975. SEMINÁRIO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA, 10, Anais..., UNESP- Rio Claro,SP, p. 696-708, 2010. Disponível em < https://www.researchgate.net/publication/273774399_MODELANDO_A_EXCECAO_A_CIDADE_DE_TEIXEIRAS-MG_E_A_ENCHENTE_DE_1975>. .Acesso em 8 de jun. 2020
USGS. Landsat 8 (L8) Data Users Handbook - Section 1. 2016. Disponível em: https://landsat.usgs.gov/landsat-8-l8-data-users-handbook-section-1 . Acesso em: 20 mai 2020.
SANTOS, L. F.; FURTADO, J. B.; FIALHO, E. S. Análise da distribuição da temperatura de superfície no município de Ervália – MG. In: SEMINÁRIO DE POS-GRADUACAO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Anais.., 7, Juiz de Fora. p. 192-201, 2019. Disponível em < https://www.ufjf.br/ppgeografia/files/2019/08/ANAIS-VII-SEMINÁRIO-DO-PPGEO.pdf>. .Acesso em 2 de jun. 2020
YUE, W. et al. The relationship between land surface temperature and NDVI with remote sensing: application to Shanghai Landsat & ETM+ data. International Journal of Remote Sensing, New York, v. 28, n. 15, 3205-3226, 2007. Disponível em < https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/01431160500306906>. .Acesso em 28 de mai. 2020

Downloads

Publicado

2020-10-21

Como Citar

GALVÃO FONTES DOS SANTOS, L.; SOARES FIALHO, E. Análise da distribuição da Temperatura de Superfície em relação ao Índice de Vegetação por Diferença Normalizada, em estação seca e chuvosa, no município de Teixeiras- MG. REVISTA PONTO DE VISTA, [S. l.], v. 9, n. 3, p. 95-112, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/10805. Acesso em: 28 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos de Iniciação Científica