A matemática financeira a serviço da educação financeira: reflexões sobre planejamentos financeiros

Autores

  • Paulo Tadeu Gandra Campos Colégio de Aplicação COLUNI
  • Chang Kuo Rodrigues UFJF/PPGEM

DOI:

https://doi.org/10.47328/rpv.v11i1.13268

Palavras-chave:

Educação Financeira, Engenharia Didática, Teoria Antropológica do Didático

Resumo

A proposta deste artigo, voltada para professores e futuros professores de Matemática, repousa no campo da Educação Financeira, com vistas a discutir estratégias para, sem a aquisição de dívidas, realizar desejos de consumo, além de enfatizar a importância de se poupar antes para gastar depois. A inquietação que gerou esse trabalho nasceu da observação das várias reportagens disponibilizadas na mídia a respeito do alto percentual de famílias brasileiras endividadas. Por meio da metodologia Engenharia Didática e da Teoria Antropológica do Didático, o trabalho foi estruturado objetivando buscar respostas que indiquem quais estratégias usamos para realizar desejos de consumo sem entrar em dívidas. Como dinâmica para a atividade, aplicamos a um grupo de sete graduandos e recém graduados em Matemática uma atividade contendo uma hipotética aquisição de um bem. Em seguida, discutimos e refletimos sobre as estratégias que têm como objetivo realizar tal desejos de consumo, sobretudo aqueles que indiquem algum planejamento prévio, para averiguar se existem alternativas que respondem a tal inquietação, fazendo uso de saberes matemáticos básicos, logo, acessíveis a professores e estudantes do Ensino Médio. Assim, o presente artigo propõe semear ideias em professores da Educação Básica no que se refere a projetos relativos à Educação Financeira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMOULOUD, S. Fundamentos da didática da matemática. Edição atualizada. Curitiba, PR: Editora UFPR, 2007.

ARTIGUE, M. Ingénierie Didactique. Recherches em Didactique dês Mathématiques. Grenoble: La PenséeSauvage-Éditions, v. 9.3, 281-308, 1988.

BRASIL, Presidência da República. Decreto Federal no 7.397, 22 de Dezembro de 2010. [online] Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Decreto/D7397.htm. Acesso em: 20 nov. 2017.

__________, Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Diário Oficial da União, 21 de dezembro de 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.

pdf. Acesso em: 19 jul. 2020.

CHEVALLARD, Y. Conceitos fundamentais da didática: as perspectivas trazidas por uma abordagem antropológica. In: BRUN, J. (org.). Didática das Matemáticas. Tradução: Maria José figueiredo. Lisboa: Instituto Piaget, 1996, p. 115-152.

GIANETTI, E. O Valor do Amanhã. 2ª edição. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

MIGUEL, M. I. R. Ensino e Aprendizagem do Modelo Poisson: uma experiência com modelagem. 2005. 259 folhas. Tese (Doutorado em Educação Matemática) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.

RODRIGUES, C. K. O Teorema Central do Limite: um estudo ecológico do saber e do didático. 2009. 213 folhas. Tese (Doutorado em Educação Matemática) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

SILVESTRE, M. Tesouro Direto a nova poupança. 1ª edição. Barueri, SP: Faro, 2016.

Downloads

Publicado

01-05-2022

Como Citar

GANDRA CAMPOS, P. T.; KUO RODRIGUES, C. . A matemática financeira a serviço da educação financeira: reflexões sobre planejamentos financeiros. Revista Ponto de Vista, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 01–15, 2022. DOI: 10.47328/rpv.v11i1.13268. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/13268. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)