Futuro do trabalho e da educação

das impressões biográficas às questões teóricas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22294/eduperppgeufv.v11i00.8561

Palavras-chave:

Impressões biográficas, Futuro do trabalho, Polarização das qualificações, Educação

Resumo

O contato direto e precoce com o trabalho me antecipou inquietudes sobre requisitos de acesso ao emprego. Das dúvidas sobre a validade da Teoria do Capital Humano, que confirmaria os efeitos do conhecimento escolar para o acesso ao trabalho formal, transitei das experiências dramáticas do desemprego para questões mais complexas, advindas da teoria. Com Antunes e Braga (2009), e em contraposição a Castells (2007), mas, sobretudo, alinhado à Marx (2008) e Mészáros (2008), consideramos haver uma tendência de aprofundamento não linear, mas real, da polarização das qualificações; na absorção progressiva, mas finita, do trabalho vivo pelo trabalho morto; na ampliação residual do trabalho complexo e imaterial; na precarização e flexibilização do trabalho. A partir da teoria resisto às apologias da sociedade do conhecimento de pleno emprego (muito lazer e alta produtividade), de sorte que, pela pesquisa antevejo a combinação do movimento singular, “para frente”, das forças produtivas, e universal, “para trás”, das relações sociais de produção.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Lima, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutorado em Educação e Pós-doutorado em Historiografia da Educação Profissional, ambos pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professor Associado da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Referências

ANTUNES, Ricardo; BRAGA, Ruy (org.). Infoproletários: degradação real do trabalho virtual. São Paulo: Boitempo, 2009.

ARRIGHI, Giovanni. A ilusão do desenvolvimento. Tradução de Sandra Vasconcelos. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

BRAVERMAN, Harry. Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX. Tradução de Nathanael C. Caixeiro. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1987.

BUENO, Belmira Oliveira. O método autobiográfico e os estudos com histórias de vida de professores: a questão da subjetividade. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 28, n. 1, p. 11-30, jan./jun. 2002. https://doi.org/10.1590/S1517-97022002000100002.

CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

DEJOURS, Christophe. A loucura do trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez; Oboré, 1992.

DUARTE, Newton. A individualidade para si: contribuição a uma teoria histórico-crítica da formação do indivíduo. 3. ed. rev. Campinas, SP: Autores Associados, 2013.

HIRATA, Helena. Da polarização das qualificações ao modelo de competência. In: FERRETTI, Celso João et al. (org.). Novas tecnologias, trabalho e educação: um debate multidisciplinar. Petrópolis/RJ: Vozes, 1994. p. 124-138.

HÚNGARO, Edson Marcelo. A questão do método na constituição da teoria social de Marx. In: CUNHA, Célio da; SOUSA; José Vieira de; SILVA, Maria Abádia da (org.). O método dialético na pesquisa em educação. Campinas, SP: Autores Associados, 2014. p. 15-78.

LEONTIEV, Alexis. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte, 1978.

LUKÁCS, Georg. As bases ontológicas do pensamento e da atividade do homem. Temas de Ciências Humanas. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas, n. 4, p. 1-18, 1978.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Boitempo, 2010a.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2010b.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro 1. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo, 2008.

SMITH, Adam. A riqueza das nações. Rio de Janeiro: Ediouro, 1998.

Publicado

2020-11-16

Como Citar

LIMA, M. Futuro do trabalho e da educação: das impressões biográficas às questões teóricas. Educação em Perspectiva, Viçosa, MG, v. 11, n. 00, p. e020032, 2020. DOI: 10.22294/eduperppgeufv.v11i00.8561. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/8561. Acesso em: 6 maio. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)