O lúdico no ensino de biologia celular: possibilidades no ensino superior

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21284/elo.v10i.12290

Palavras-chave:

Aprendizagem significativa, Extensão universitária, Metodologias ativas

Resumo

Considerando as dificuldades que alguns alunos recém-ingressos na Universidade apresentam para compreender conceitos abstratos, este trabalho descreve um Curso de Extensão, na área de Biologia Celular, que foi realizado com o objetivo de contribuir com a aprendizagem efetiva de um grupo de graduandos da Universidade Federal de Viçosa (MG). O trabalho relata também a importância da experiência vivenciada para os pós-graduandos que ministraram o Curso. No Curso foram utilizadas atividades lúdicas diversificadas, escolhidas de acordo com o tema que seria abordado. Os resultados mostraram que o Curso foi muito bem aceito pelos graduandos, ajudando na compreensão dos conteúdos, através de um processo agradável e acessível, que viabilizou a construção dos saberes. Para os discentes da pós-graduação que ministraram o Curso, a experiência foi única e contribuiu para sua formação profissional dos mesmos. Portanto, a experiência foi significativa para todos os envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AZEVEDO, S. B.; PACHECO, V. A.; SANTOS, E. A. DOS. Metodologias ativas no ensino superior. Revista Docência do Ensino Superior, v. 9, p. 1–22, 2019.

BACHUR, T. P. R. et al. Paródias e contação de história: formas lúdicas de ensinar parasitologia no ensino superior. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, v. 18, n. 1, p. 79, 2019a.

BACHUR, T. P. R. et al. Paródias e contação de história: formas lúdicas de ensinar parasitologia no ensino superior. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, v. 18, n. 1, p. 79, 2019b.

CALDARELLI, P. G. A importância da utilização de práticas de metodologias ativas de aprendizagem na formação superior de profissionais da saúde. Revista Sustinere, v. 5, n. 1, p. 659–677, 28 jul. 2017.

CAMPOS, L. M. L.; BORTOLOTO, T. M.; FELÍCIO, A. K. C. A Produção De Jogos Didáticos Para O Ensino De Biologia: Contribuições E Perspectivas. Caderno dos núcleos de Ensino, v. 39, n. 5, p. 561–563, 2003.

COVOS, J. S. et al. O Novo Perfil De Alunos No Ensino Superior, E a Utilização De Jogos Lúdicos Para Facilitação Do Ensino Aprendizagem. Revista Saúde em Foco, p. 62–74, 2018.

GARDNER, H. Estruturas da Mente: A teoria das Inteligencias Múltilpas. 2a edição ed. Porto alegre: Penso, 1995.

GLASSER, W. The Quality School: Managing Students without Coercion. New York, NY - USA: Harper and Row Publishers, Inc, 1990.

GROSSI, M. G. R. O lúdico na aprendizagem de alunos de cursos técnico, graduação e mestrado: relatos de experiências. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 12, n. 3, p. 1689–1709, 2017.

LIMA, J. M. DE. O Jogo Como Recurso Pedagógico No. São Paulo: Cultura Acadêmica Editora, 2008.

LIMA, T. C. F. DE; PESSOA, A. C. R. G. Dificuldade de aprendizagem: principais abordagens terapêuticas discutidas em artigos publicados nas principais revistas indexadas no LILACS de fonoaudiologia no período de 2001 a 2005. Revista CEFAC, v. 9, n. 4, p. 469–476, 2007.

MERTZIG, P. L. L. et al. Reflexões sobre práticas coletivas e metodologias ativas no ensino superior. Revista Aproximação, v. 02, p. 45–50, 2020.

MIRANDA, S. DE. No Fascínio do jogo, a alegria de aprender. Linhas Críticas, v. 8, n. 14, p. 21–34, 1969.

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens, v. II, p. 15–33, 2015.

PAIXÃO, G. C. et al. Paródias no ensino de microbiologia: a música como ferramenta pedagógica. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, v. 11, n. 1, p. 1–12, 2017.

SILVA, L. V. S.; TANAKA, P. S. DE L.; PIRES, M. R. G. M. BANFISA and (IN) DICA-SUS in health undergraduate education: playing and learning construction. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 68, n. 1, p. 124–130, 2015.

SOUZA, L. S. DE; SANTOS, D.; MURGO, C. S. Metodologias Ativas na Educação Superior em Saúde Brasileira: Uma Revisão Integrativa frente ao Paradigma da Prática Baseada em Evidências. Revista Internacional de Educação Superior, v. 7, p. 1–32, 2020.

SOUZA, P. M. B. DE et al. Metodologias ativas de ensino e aprendizagem no ensino da Anatomia Humana: Uma experiência usando massa de modelar e outras ferramentas de comunicação em um projeto de monitoria. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 6, p. 41834–41843, 2020.

VERISSIMO, A. C. B.; SANTOS, A. M. DOS. POR QUE PENSAR O LÚDICO NA UNIVERSIDADE? Anais do XV Seminário Internacional de Educação. Anais do XV Seminário Internacional de Educação. Novo Hamburgo, RS: Universidade FEEVALE, 2016

ZUANON, Á. C. A.; DINIZ, R. H. S.; NASCIMENTO, L. H. DO. Construção de jogos didáticos para o ensino de Biologia: um recurso para integração dos alunos à prática docente. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, v. 3, n. 3, p. 49–59, 2011.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2021-06-08

Como Citar

MARRIEL, N. B., LADEIRA, L. C. M., ARAÚJO, R. dos S., SILVA, J. da, MARTINS, A. L. P., & TAVARES, M. G. (2021). O lúdico no ensino de biologia celular: possibilidades no ensino superior. Revista ELO – Diálogos Em Extensão, 10. https://doi.org/10.21284/elo.v10i.12290

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)