Feminicídio durante a pandemia da COVID-19

Autores

  • Rosario Martinho Sunde Pontificia Universidade Catolica do Rio Grande do Sul - PUCRS- Brasil https://orcid.org/0000-0001-5906-3856
  • Lucildina Muzuri Conferso Sunde Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)- Brasil
  • Larissa Fenalte Esteves Pontificia Universidade Catolica do Rio Grande do Sul - PUCRS- Brasil https://orcid.org/0000-0002-0185-5508

DOI:

https://doi.org/10.31423/oikos.v32i1.11081

Palavras-chave:

Feminicídio, Mulher, Pandemia, COVID-19

Resumo

Este é um artigo de Revisão Sistemática,  com o objetivo de analisar o índice de mulheres vítimas de feminicídio no período da pandemia da COVID-19. A busca de dados ocorreu durante o mês de junho de 2020, em 5 bases de dados (LILACS, SciElo, Science Direct, MEDLINE e PsycInfo) por meio de PRISMA. Foram achados, inicialmente, cerca de 951 artigos, dos quais 9 foram usados para a análise final. Concluiu-se que o índice de feminicídio aumentou consideravelmente durante esse período em relação aos meses anteriores, devido ao isolamento social. Este fator impossibilita que as vítimas consigam sair de casa e a nova rotina dentro de casa coabitando com o agressor vulnerabiliza sua vida. Sugere-se, assim, que se promova políticas de divulgação de leis e princípios dos direitos humanos e de violência contra mulheres, sensibilizando as vítimas e pessoas próximas a denunciar os agressores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosario Martinho Sunde, Pontificia Universidade Catolica do Rio Grande do Sul - PUCRS- Brasil

Doutorando em Psicologia Clínica na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS. Menbro do Grupo
de Pesquisa-Avaliação em Bem-Estar e Saúde Mental. Bolsista CAPES-Brasil (2018). Graduado em Psicologia
Escolar pela Universidade Pedagógica Nampula (2008) e mestrado em Administração e Gestão Escolar pela
Universidade Pedagógica-Nampula (2015). Docente da Universidade Rovuma - UniRovuma - Moçambique.

Lucildina Muzuri Conferso Sunde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)- Brasil

Mestranda do Programa de Pos-Graduacao em Saude Coletiva da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)- Brasil, docente do Centro de Educacao Inclusiva Josina Machel de Nampula- Mocambique, graduada em Psicologia Escolar pela Universidade Pedagogica de Mocambique.

Larissa Fenalte Esteves, Pontificia Universidade Catolica do Rio Grande do Sul - PUCRS- Brasil

Aluno de Graduação do Curso de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) – Brasil. Membro do Grupo de Pesquisa-Avaliação em Bem-Estar e Saúde Mental no Programa de Pos-Graduacao da PUCRS.

Referências

Agência Brasil, Direitos Humanos. Casos de feminicídio crescem 22% em 12 estados durante pandemia. Agência Brasil, Publicado em 01/06/2020-14:34PorLetyciaBond-RepórterdaAgênciaBrasil- São Paulo, 2020. Disponível em:https://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2020-06/casos-de-feminicidio-crescem-22-em-12-estados-durante-pandemia; acesso no 25 de junho de 2020.

Agência Brasil, Direitos Humanos. Sete em cada 10 vítimas de feminicídio em SP foram mortas em casa. Agência Brasil, Publicado em 13/04/2020-21:51PorCamilaBoehm-RepórterdaAgênciaBrasil- São Paulo, 2020. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2020-04/sete-em-cada-10-vitimas-de-feminicidio-em-sp-foram-mortas-em-casa; acesso no 25 de junho de 2020.

ALBARRAN, Jenny. Referentes conceptuales sobre femicidio / feminicidio: Su incorporación en la normativa jurídica Venezolana. Comunidad y Salud [online]. 2015, vol.13, n.2, pp. 75-80. ISSN 1690-3293

ARTIGO19 BRASIL. Dados sobre feminicídio no Brasil. Defendendo a Liberdade de Expressão e Informação, Rua João Adolfo, 118, conjunto 802 CEP 01050-020 | Centro | São Paulo | SP, 2018. Disponível em: https://artigo19.org/wp-content/blogs.dir/24/files/2018/03/Dados-Sobre-Feminic%C3%ADdio-no-Brasil-.pdf; acesso no 25 de junho de 2020.

BRASIL, Fórum Brasileiro de Segurança Pública; Decode. Violência doméstica durante a pandemia de Covid-19. Brasil, 2020. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2018/05/violencia-domestica-covid-19-v3.pdf, acesso no 09 de julho de 2020.

BRASIL, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada -IPEA; Fórum Brasileiro de Segurança Pública- FBSP. Atlas de violência. Brasília: Rio de Janeiro: São Paulo: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada; Fórum Brasileiro de Segurança Pública. ISBN 978-85-67450-14-8, 2019. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/download/19/atlas-da-violencia-2019; acesso no 25 de junho de 2020.

BRASIL, Secretaria-Geral, Subchefia para Assuntos Jurídicos. LEI Nº 13.104, DE 9 DE MARÇO DE 2015. Brasília, 9 de março de 2015; 194º da Independência e 127º da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13104.htm; acesso no 25 de junho de 2020.

GOMES, Izabel Solyszko. Feminicídios: um longo debate. Revista Estudos Feministas, 26(2)-2018. doi:10.1590/1806-9584-2018v26n239651

LEITE, Catalina. Países registram aumento de violência doméstica durante período de quarentena; veja como denunciar casos no Ceará. O Povo Online 2020; Disponível em: https://www.opovo.com.br/coronavirus/2020/03/30/paises-registram-aumento-de-violencia-domestica-durante-periodo-de-quarentena--veja-como-denunciar-casos-no-ceara.html; acesso no 25 de junho de 2020.

LÓPEZ-OSSORIO, Juan José; CARBAJOSA, Pablo; CEREZO-DOMÍNGUEZ, Ana Isabel; GONZÁLEZ-ÁLVAREZ, José Luis; LOINAZ, Ismael; MUÑOZ-VICENTE, José Manuel. Taxonomía de los homicidios de mujeres en las relaciones de pareja. Psychosocial Intervention, 27 , 95-104, 2018. https://doi.org/10.5093/pi2018a11

MAIA, Cláudia. Sobre o (des)valor da vida: feminicídio e biopolítica. História [online]. 2019, vol.38, e2019052. Epub Dec 02, 2019. ISSN 1980-4369. http://dx.doi.org/10.1590/1980-4369e2019052.

OLIDEN, Norman; VELÁSQUEZ, Carlos. Historia familiar y características de personalidad de un feminicida. Revista Ajayu de Psicología, Vol. 15, No. 2: 195 – 213 (Agosto 2017) ISSN 2077-2161

PÉREZ MANZANO, Mercedes. La caracterización del feminicidio de la pareja o expareja y los delitos de odio discriminatorio. Derecho PUCP, (81), 163-196, 2018. https://doi.org/10.18800/derechopucp.201802.006

ROMIO, Jackeline. A mortalidade feminina por feminicídios. ComCiência, Revista Electronica de Jornalismo Científico, Dossiê Violência (out-2017)_comciência, Artigo,Dossiê192, Disponível em: http://www.comciencia.br/a-mortalidade-feminina-por-feminicidios/; acesso no 25 de junho de 2020.

ROMIO, Jackeline Aparecida Ferreira. Feminicídios no Brasil, uma proposta de análise com dados do setor de saúde. Campinas, SP:[s.n.], 2017. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/REPOSIP/330347/1/Romio_JackelineAparecidaFerreira_D.pdf; acesso no 25 de junho de 2020.

Ruiz-Pérez, Isabel;Pastor-Moreno, Guadalupe. Medidas de contención de la violencia de género durante la pandemia de COVID-19. Gaceta Sanitaria. doi:10.1016/j.gaceta.2020.04.005

SOUSA, Tânia Teixeira Lake de. Feminicídio: uma leitura a partir da perspectiva feminista. Ex æquo, n.º 34, 2016, pp. 13-29. ISSN 0874-5560. http://dx.doi.org/https://doi.org/10.22355/exaequo.2016.34.02

VANEGAS, Farid Samir Benavides. Feminicidio y derecho penal. Revista Criminalidad, 2015, vol.57, n.1, pp.75-90. ISSN 1794-3108.

Downloads

Publicado

2021-04-29

Como Citar

Sunde, R. M., Sunde, lucildina M. C., & Esteves, L. F. . (2021). Feminicídio durante a pandemia da COVID-19. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 32(1), 55-73. https://doi.org/10.31423/oikos.v32i1.11081