O fenômeno da violência patrimonial contra a mulher: percepções das vítimas

  • Rita de Cássia Bhering Ramos Pereira Universidade Federal de Viçosa
  • Maria das Dores Saraiva de Loreto Universidade Federal de Viçosa
  • Karla Maria Damiano Teixeira Universidade Federal de Viçosa
  • Júnia Marise Matos de Sousa Universidade Federal de Viçosa

Resumo

Apesar da violência patrimonial estar presente na vida de muitas mulheres é ainda pouco representada pelas vitimas. Sendo assim, este estudo objetivou analisar o fenômeno da violência patrimonial contra a mulher, examinando as percepções das vitimas sobre seu significado, motivos e implicações. A pesquisa, de natureza qualitativa, teve como público mulheres jovens e idosas, vítimas de violência patrimonial. Os resultados mostraram que a maioria das mulheres era casada; com idade média de 36 anos; cor de pele branca e parda; com ensino fundamental incompleto; na ocupação de doméstica. A agressão, principalmente pelo marido e filho, era motivada por ciúme, alcoolismo e vulnerabilidade. A violência patrimonial, de forma isolada e combinada, estava presente principalmente na vida das mulheres idosas, associada à perda de bens, tanto de valor material quanto sentimental. Conclui-se que a violência patrimonial, de natureza complexa e multifacetada, implica em perda de direitos, significando tristeza, dor, medo e angústia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria das Dores Saraiva de Loreto, Universidade Federal de Viçosa
Professora do departamento de Economia Doméstica da Universidade Federal de Viçosa
Karla Maria Damiano Teixeira, Universidade Federal de Viçosa
Professora do departamento de Economia Doméstica da Universidade Federal de Viçosa
Júnia Marise Matos de Sousa, Universidade Federal de Viçosa
Professora do departamento de Economia Doméstica da Universidade Federal de Viçosa

Referências

ADEODATO, V. G.; CARVALHO R. R.; SIQUEIRA, V. R.; SOUZA, F. G. M. Qualidade de vida e depressão em mulheres vítimas de seus parceiros. Revista Saúde Pública, São Paulo, v.39, n.1, p. 108-113, fev, 2005.

ANDRADE, L. F.; BARBOSA, S. F. A lei Maria da Penha e a implementação do grupo de reflexão para homens autores de violência contra mulheres em S.P. Seminário Internacional Fazendo Gênero: “Construindo novas relações de gênero: a presença feminina nos territórios do saber”. Florianópolis: 2008.

APRATTO JUNIOR, P. C. A violência doméstica contra idosos nas áreas de abrangência do Programa Saúde da Família de Niterói (RJ, Brasil). Ciênc. saúde coletiva. v.15, n.6, p. 2983-2995, 2010.

ARAÚJO, L. F.; LOBO FILHO, J. G. Análise Psicossocial da Violência contra Idosos. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 22, n. 1, p.153-160, 2009.

BONAMIGO, I. S. Violências e Contemporaneidade. Rev. Katál. Florianopolis. v.11, n.2, p.204-213, 2008.

BRASIL (b). Lei n. 11.340, de 7 de agosto de 2006. Brasília, DF, 7 ago. 2006.

CAPEZ, F.; COLNAGO, R. H. Prática Forense Penal. São Paulo: Saraiva, 2011.

CAVALCANTI, S. V. S. F.A violência doméstica como violação dos direitos humanos. Jus Navigandi, Teresina, ano 10, n. 901, 21 dez. 2005.

DAHLBERG, L. L.; KRUG, E. G. Violência: Um problema global de saúde pública. Ciência & Saúde Coletiva, 11(Sup), p.1163-1178, 2007.

DATASENADO. Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher. Pesquisa de opinião pública nacional. Senado Federal Secretaria Especial de Comunicação Social e Secretaria de Pesquisa e Opinião. Brasilia-DF. 2011.

DAY, V. P.; TELLES, L. E. B.; ZORATTO, P. H. et al. Violência doméstica e suas diferentes manifestações. Revista de Psiquiatria, v. 25, supl. 1, p. 9-21, 2003.

DIAS, M. B.. A lei Maria da Penha na justiça: a efetividade da Lei 11.340/2006 de combate à violência doméstica e familiar contra a mulher. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2008

DINIZ, S.G. A violência contra as mulheres como questão de saúde no Brasil. In: DINIZ, S. G.; SILVEIRA, L. P.; MIRIM, LIZ A. (Org.). Vinte e cinco anos de respostas brasileiras em violência contra a mulher: Alcances e Limites. São Paulo: Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde, 2006. p.168-208.

DUMARA, N.; POMILIO, R. A Violência contra o Idoso. In: Núcleo de Trabalhos Comunitários Curso de Especialização em Políticas de Gestão em Segurança Pública. São Paulo: Observatório Nacional do Idoso, 2007.

FALEIROS, V. P. Violência contra a pessoa idosa ocorrências, vítimas e agressores. Brasília, DF: Universa. 2007.

FLORÊNCIO, M.V. D. L.; FERREIRA FILHA, M. de O.; SÁ, L. D. A violência contra o idoso: dimensão ética e política de uma problemática em ascensão. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 9, n. 3, p. 847 – 857, 2007.

INSTITUTO AVON/IPSON. Percepções sobre a violência doméstica contra a mulher no Brasil 2011. São Paulo: Instituto Avon/Ipson, 2011.

MACHADO, L.; QUEIROZ, Z. V. Negligência e maus-tratos. In E. V. Freitas; L. Py; F. A. X. Cançado; M. L. Gorzoni; J. Doll (Eds.). Tratado de geriatria e gerontologia, Rio de Janeiro, RJ: Guanabara Koogan, 2006, p. 1152- 1159.

MESQUITA, A. P. As Marias que Não Calam: Perfil das Mulheres Vítimas de Violência após a implementação da Lei Maria da Penha em Maceió/AL. IX Seminário Internacional Fazendo Gênero: “Diásporas, Diversidades, Deslocamentos”. Santa Catarina: 2010.

MINAYO, M. C. S. Violência contra idosos: Relevância para um velho problema. Cadernos de Saúde Pública, v.11, n.3, p. 783-791, 2003.

NÓBREGA, S. M. O teste de associação livre de palavras. Maiorias e minorias do conformismo à inovação. In: Moreira, A.S.P.; Oliveira, D.C., org. Estudos Interdisciplinares de Representação Social. Goiânia: Ed. A-B, 2000.

OMS. Relatório Mundial sobre Violência e Saúde. Organização Mundial da Saúde. Secretaria de Estado dos Direitos Humanos. Genebra: OMS, 2002.

PORTELA, K. M.P; BARRETO, L. S.; TORRES, M.M. S. M. Violência contra o idoso: Um mal que cresce a cada dia na sociedade. Disponível em http://www.webartigos.com. Acesso 10/04/2012.

ROMEIRO, J. A Lei Maria da Penha e os desafios da institucionalização da “violência conjugal” no Brasil. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero: “Construindo novas relações de gênero: a presença feminina nos territórios do saber”. Florianópolis, 2008.

SAFFIOTI, H. I. B. e ALMEIDA, S. S. de. Violência de gênero: poder e impotência. Rio de Janeiro: Revinter Ltda. 1995.

SAGIM, M. B.; BIASOLI-ALVES, Z. M. M.; DELFINO, V.; VENTURINI, F. P. A mulher como vítima de violência doméstica. Família Saúde Desenvolvimento. Curitiba, v.7, n.1, p.17-23, 2005.

SANCHES, A. P. R. A.; LEBRAO, M. L.; DUARTE, Y. A. de O. Violência contra idosos: uma questão nova? Saúde soc. v. 17, n.3, p. 90-100, 2008.

SANTOS, A. C. P. de O.; SILVA, C. A. da: CARVALHO, L. S.; MENEZES, M. do R. de. A construção da violência contra idosos. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. v.10, n.1, 2007.

SEPO – Relatório de Pesquisa: Violência Doméstica Contra a Mulher. Brasília: Subsecretária de Pesquisa e Opinião Pública, 2005.

SILVA, L. L.; COELHO, E. B. S.; CAPONI, S. N. C. Violência silenciosa: violência psicológica como condição da violência física doméstica. Interface, v. 11, n. 21, p. 93-103, 2007.

SOUZA, E. R. de; MINAYO, M. C. de S. Inserção do tema violência contra a pessoa idosa nas políticas públicas de atenção à saúde no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. v. 5, n.6, 2010.
Publicado
2013-07-15
Como Citar
Pereira, R. de C. B. R., Loreto, M. das D. S. de, Damiano Teixeira, K. M., & Sousa, J. M. M. de. (2013). O fenômeno da violência patrimonial contra a mulher: percepções das vítimas. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 24(1), 206-235. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3653
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)

1 2 > >>