Principais situações de vulnerabilidade social das famílias da Microrregião de Ubá/MG

  • Leiliane Chaves Mageste de Almeida Universidade Federal de Viçosa-MG
  • Maria das Dores Saraiva de Loreto UFV
  • Karla Maria Damiano Teixeira UFV
  • Suely de Fátima Ramos Silveira UFV

Resumo

Com a finalidade de compreender o contexto de vulnerabilidades a que estão sujeitas as famílias brasileiras, este estudo objetivou-se em verificar a vulnerabilidade social das famílias dos municípios que compõem a Microrregião de Ubá da Zona da Mata Mineira/MG, utilizando a análise documental de dados secundários provenientes do PNUD e do MDS. Os resultados apontaram que o Índice de Desenvolvimento Humano da Microrregião (0,676) vem evoluindo positivamente nas três últimas décadas, contudo permanece menor que o IDH-M do Brasil (0,727), necessitando melhorar principalmente o IDH-Educação. Segundo Censo CRAS 2013 (MDS), as principais situações de vulnerabilidade vivenciadas pelas famílias da área de abrangência dos CRAS da Microrregião são: situações de negligência em relação às crianças/adolescentes, presença de usuários de crack e ou outras drogas, negligência em relação à pessoa idosa. Conclui-se que o quadro de vulnerabilidades é multifacetado, mostrando a suscetibilidade das famílias em termos de proteção social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leiliane Chaves Mageste de Almeida, Universidade Federal de Viçosa-MG
Em abril de 2013, iniciou o mestrado no Programa de Pós-graduação em Economia Doméstica da UFV, área de concentração Economia Familiar, com atuação na linha de pesquisa: "Famílias, Políticas Públicas e Avaliação de Programas e Projetos Sociais", submetendo-se à defesa em março de 2015.

Referências

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Concepção de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. Brasília: MDS, 2013a.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Norma Operacional Básica – NOB/SUAS 2012. Brasília: MDS, 2012.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política de Assistência Social Brasileira: Sistema Único de Assistência Social-SUAS. Brasília: MDS, 2014.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política Nacional de Assistência Social. Brasília: MDS, 2004.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Assistência Social - Política de Direitos à Seguridade Social. Caderno Capacita SUAS, N. 1. 2013b.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Vigilância Socioassistencial: garantia do caráter público da Política de Assistência Social. Caderno Capacita SUAS, N. 3. 2013c.

BUSSO, G. La vulnerabilidad social y las políticas sociales a inícios del siglo XXI: una aproximación a sus potencialidades y limitaciones para los países latinoamericanos. Santiago do Chile: CEPAL/CELADE, 2001.

CAMPOS, E. B. O Protagonismo do usuário da assistência social na implementação e controle social do SUAS. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à fome/ Conselho Nacional de Assistência Social – Brasília, DF CNAS, MDS, 2009.

CARVALHO, I. M. M. de; ALMEIDA, P. H. de. Família e proteção social. São Paulo em Perspectiva, v. 17, n. 2, p. 109-122, 2003.

DI GIOVANNI, G. Sistemas de Proteção Social: uma introdução conceitual. In: Reforma do Estado e Políticas de Emprego no Brasil. Campinas: UNICAMP, 1998.

GIDDENS, A. Modernidade e Identidade. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.
GODINHO, I. C. Pobreza e desigualdade social no Brasil: um desafio para as Políticas Sociais. In: Conferência do Desenvolvimento Nacional, 2. 2011, Brasília. Anais...Brasília: I Circuito de Debates Acadêmicos. IPEA, 2011.

GOLDANI, A. M. Família, gênero e políticas: famílias brasileiras nos anos 90 e seus desafios como fator de proteção. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 19, n. 1, p. 29-48, jan./jun. 2002.
JANNUZZI, P. de M. Indicadores sociais e as políticas públicas no Brasil. Revista eletrônica de jornalismo científico. 2008. Disponível em: . Acesso em: 16 mar. 2015.

KAZTMAN, R. Notas sobre la medición de la vulnerabilidad social. México: BID-BIRF-CEPAL, 2000. Borrador para discusión. 5 Taller regional, la medición de la pobreza, métodos e aplicaciones. Disponível em: . Acesso em: 05 mar. 2015.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Censo SUAS. Disponível em: Acesso em: 5 mar. 2015.

______. Orientações Técnicas: Centro de Referência de Assistência Social - CRAS. Brasília: MDS, 2009.

MORAES, M. Q. Família e feminismo. Cadernos de Pesquisa, v. 40, n. 37, p. 44-51, 1981.

NASCIMENTO, A. M. População e família brasileira: ontem e hoje. In: XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2006, Caxambú. Anais...Caxambú: ABEP, set. 2006.

PEREIRA, P. A. P. Porque também sou contra a focalização das políticas sociais. Mimeografado, 2003.
PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO – PNUD - BRASIL. Atlas Brasil 2013. Disponível em . Acesso em: 2 mar. 2015.

SANTOS, M. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo, Edusp, 2002.

SENNA et al. Programa Bolsa Família: nova institucionalidade no campo da política social brasileira? Revista Katálysis, v. 10, n.1, p. 86-94, Jan./Jun. 2007.

SPOSATI, A. Modelo de proteção social não contributiva: concepções fundantes. In: Concepção e gestão da proteção social não contributiva no Brasil. Brasília, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. UNESCO, 2009.
VAITSMAN, J.; RODRIGUES, R. W. S.; PAES-SOUSA, R. O sistema de avaliação e monitoramento das políticas e programas sociais: a experiência do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome do Brasil. 2006. Disponível em: < http://unesdoc.unesco.org/images/0014/001485/148514por.pdf>. Acesso em: 5 mar. 2015.
Publicado
2016-06-24
Como Citar
Almeida, L. C. M. de, Saraiva de Loreto, M. das D., Damiano Teixeira, K. M., & Ramos Silveira, S. de F. (2016). Principais situações de vulnerabilidade social das famílias da Microrregião de Ubá/MG. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 27(1), 31-58. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3719
Seção
Artigos