O trabalho feminino e o preparo da alimentação: o caso das mulheres trabalhadoras da Universidade Federal de Viçosa

  • Cristina Teixeira Lelis Universidade Federal de Viçosa
  • Karla Maria Damiano Teixeira Universidade Federal de Viçosa
  • Neuza Maria da Silva Universidade Federal de Viçosa

Resumo

A colocação profissional e independência da mulher afetam a composição da alimentação e provocam uma organização de valores e hábitos, que podem trazer consequências no padrão alimentar. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar se existe influência do trabalho exercido pelas mulheres no preparo da alimentação, e as estratégias utilizadas nas novas relações espaço-tempo. A pesquisa teve como amostra 101 mulheres que trabalhavam nos diferentes setores ocupacionais da Universidade Federal de Viçosa. Os dados foram obtidos através de uma entrevista fundamentada em um roteiro semi-estruturado, e analisados por meio da análise de conteúdo. O estudo concluiu que qualquer mudança na família, tal como a atividade remunerada exercida pela mulher, produz um remanejamento de funções, e os hábitos alimentares, apesar de sofrerem influência, não são totalmente diferenciados quando se analisa a inserção feminina no mercado de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristina Teixeira Lelis, Universidade Federal de Viçosa
Mestre em Economia Doméstica pela Universidade Federal de Viçosa
Karla Maria Damiano Teixeira, Universidade Federal de Viçosa
Professora Associada do Departamento de Economia Doméstica
Neuza Maria da Silva, Universidade Federal de Viçosa
Professora Associada do Departamento de Economia Doméstica

Referências

BRUSCHINI, C ; RICOLDI, A. M. Família e trabalho: difícil conciliação para mães trabalhadoras de baixa renda. Cadernos de Pesquisa, v. 39, n. 136, 2009.

COEN-PIRANI, D. ; LEÓN, A.; LUGAUER, S. The effect of household appliances on female labor force participation: Evidence from microdata. Labour Economics, v. 17, 2009.

FONSECA, A. B.; SOUZA, T. S. N.; FROZI, D. S.; PEREIRA, R. A. Modernidade alimentar e consumo de alimentos: contribuições sócio-antropológicas para a pesquisa em nutrição. Ciência & Saúde Coletiva, v.16, n. 9, Rio de Janeiro, 2011.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Análise do Consumo Alimentar Pessoal no Brasil. IBGE, 2011. Disponível em:. Acesso em: 22 mar. 2012.

_______. POF 2008/09 mostra desigualdades e transformações no orçamento das famílias brasileiras. IBGE, 2010. Disponível em:< http://www.ibge.gov.br/home/ presidencia/ noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1648&id_pagina=1>. Acesso em: 1 fev. 2012.

_______. Síntese de Indicadores Sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Rio de Janeiro: IBGE, 2008. Disponível em:< http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/sinteseindicsociais2008/indic_sociais2008.pdf>. Acesso em 4 fev. 2012.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. IPEA, 2010. PNAD 2009 – Primeiras Análises: O Mercado de Trabalho Brasileiro em 2009. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2012.

JOFFER, S. da C. As relações de gênero no trabalho: uma análise da inserção das mulheres e homens na rede de fast food. In: Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder, Florianópolis. Anais… Florianópolis, 2008.

LAMBERT, J. L.; BATALHA, M. O.; SPROESSER, R. L.; SILVA, A. L. da; LUCCHESE, T. As principais evoluções dos comportamentos alimentares: o caso da França. Revista de Nutrição, v.18, n. 5, Campinas, 2005.

LIMA, M. de F. E. M; LIMA-FILHO, D. de O. Condições de trabalho e saúde do/a professor/a universitário/a. Ciência e cognição, v.14, n.3, Rio de Janeiro, 2009.

MADALOZZO, R.; MARTINS, S. R.; SHIRATORI, L. Participação no mercado de trabalho e no trabalho doméstico: homens e mulheres têm condições iguais? Insper Working Paper, 2008.

MARINHO, M. C. S.; HAMANN E. M.; LIMA, A. C. DA C. F. Práticas e mudanças no comportamento alimentar na população de Brasília, Distrito Federal, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Materna e Infantil, v.7, n.3, Recife, 2007.

MELLO, S. C. de. Feminismos de segunda onda no cone sul debatem o emprego doméstico: relações entre empregadas e patroas. Caderno Espaço Feminino, v. 23, n. ½, 2010.

MENDONÇA, C. P.; ANJOS, L. A. Aspectos das práticas alimentares e da atividade física como determinantes do crescimento do sobrepeso/obesidade no Brasil. Caderno de Saúde Pública, v.20, n.3, Rio de Janeiro, 2004.

NOVAES, A. L. Alimentação fora do domicílio: levantamento bibliográfico e mudanças no comportamento do consumidor. In: IV JCEA, Campo Grande. Anais… Campo Grande, 2004.

OATES, C. J.; MCDONALD, S. Recycling and the Domestic Division of Labour: Is Green Pink or Blue? Sociology, v. 40, n. 3, p. 471-433, 2006.

OLIVEIRA, S. P. de; THÉBAUD-MONY, A. Modelo de Consumo Agro-industrial: Homogeneização ou Diversificação dos Hábitos Alimentares. Cadernos de Debate, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação da UNICAMP, v. IV, 1996.

ORTIGOZA, S. A. G. Alimentação e saúde: As novas relações espaço-tempo e suas implicações nos hábitos de consumo de alimento. R. RA´E GA, Editora UFPR, n. 15, Curitiba, 2008.

PINHEIRO, A. R. de O. A alimentação saudável e a promoção da saúde no contexto da segurança alimentar e nutricional. Saúde em Debate, v. 29, n. 70, Rio de Janeiro, 2005.

POLLONIO, M. A. R. Impactos da globalização na segurança de alimentos. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2012.

PORTUGAL, S. Novas Famílias, Modos Antigos. As redes sociais na produção do bem estar. (Doutorado em Sociologia) – Universidade de Coimbra, Portugal, 2006.

RODRIGUES, F. da S.; SABES, J. J. S. A percepção do consumidor de alimentos “fora de casa”: um estudo multicaso na cidade de Campo Grande/MS. Caderno de Administração, v. 14, n.2, 2006, p. 37-45.

SCALON, C.; ARAÚJO, C.; PICANÇO, F. Gênero, Família e Trabalho numa Perspectiva Comparativa. In: Novas Conciliações e antigas tensões? “Gênero, Família e Trabalho em perspectiva comparada”. Bauru/SP: EDUSC, 2007.

SCHLINDWEIN, M. M. Influência do custo de oportunidade do tempo da mulher sobre o padrão de consumo alimentar das famílias brasileiras. 2006. 119 p. Tese (Doutorado em Ciências) - Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Piracicaba, 2006.

SCHLINDWEIN, M. M.; KASSOUF, A. L. Influência do custo de oportunidade do tempo da Mulher sobre o padrão de consumo alimentar no Brasil. Pesquisa e Planejamento econômico, v.37, n.3, 2007.

SICHIERI, R.; CASTRO, J. F. G.; MOURA, A. S. Fatores associados ao padrão de consumo alimentar da população brasileira urbana. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, Rio de Janeiro, 2003.

SILIPRANDI, E. Políticas de segurança alimentar e relações de gênero. In: FARIA, N; NOBRE, M. (Orgs.). A produção do Viver. São Paulo, 2004.

SILVA, E. B. Tecnologia e vida doméstica nos lares. Cadernos pagu, v. 10, 1998.

SILVA, E. B. Teorias sobre trabalho e tecnologias domésticas. Implicações para o Brasil. 2003. Disponível em: . Acesso em: 30 fev. 2012.

SULLIVAN, O. The Division of Domestic Labour: Twenty Years of Change? Sociology, v.34, n. 3, 2000, p. 437–56.
Publicado
2013-07-15
Como Citar
Lelis, C. T., Damiano Teixeira, K. M., & da Silva, N. M. (2013). O trabalho feminino e o preparo da alimentação: o caso das mulheres trabalhadoras da Universidade Federal de Viçosa. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 24(1), 098-124. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3671
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)