Representação da velhice

reflexões sobre estereótipo, preconceito e estigmação dos idosos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31423/oikos.v32i1.9889

Palavras-chave:

Envelhecimento , Estigmatização , Estereótipos , Velhice

Resumo

No atual contexto, compreender as diferentes representações sociais torna-se importante por trazer elementos que podem auxiliar na construção de uma velhice saudável e satisfatória. Neste artigo, objetiva-se descrever os estereótipos relacionados à velhice, refletindo sobre os preconceitos que envolvem idosos, a fim de desconstruir a estigmatização desses indivíduos. Para maior entendimento sobre as especificidades que envolvem os idosos, realiza-se um levantamento da literatura, propiciando a discussão e a compreensão desta temática, de modo descritivo, em bases de dados da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações – BDTD (teses e dissertações); da Scientific Electronic Library Online – Scielo; e no Portal de Periódicos Capes. Desse modo, foi possível concluir que a sociedade prioriza a valorização da juventude em detrimento da velhice; mas é importante haver espaço, em nossa cultura, à vivência da heterogeneidade. Assim como o reconhecimento das necessidades decorrentes das alterações biopsicossociais da velhice pode amenizar/eliminar o preconceito e o negativismo decorrentes dessa fase de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rita Márcia Andrade Vaz de Mello, Universidade Federal de Viçosa

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Viçosa , Mestrado em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa , Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais e Pós-doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Université Paris Descartes (Sorbonne) . Atuou como Coordenadora geral dos Cursos Lato Sensu da Universidade Federal de Viçosa/Programa Nacional Escola de Gestores. Professora Titular da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Didática, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação, formação de professores, avaliação e políticas públicas educacionais.Autora de artigos e capítulos de Livros Nacionais e Internacionais .Organizadora e autora de livros : VAZ DE MELLO, R. M. A.;SOARES, L. A.; Intercessões entre Papel, Atribuição, Mediação e Prática Pedagógica dos Tutores Presenciais na Formação Continuada de Professores a Distância , 2013, 122p. ISBN 978-85-8042-845-2 ; BARBOSA, J. M. S.;VAZ DE MELLO, R. M. A.; Plano de Desenvolvimento da Educação: um enfoque na escola básica (ebook) , 2015 ; BARBOSA, J. M. S.;VAZ DE MELLO, R. M. A.; Plano de Desenvolvimento da Educação: Um enfoque na escola básica: e na atuação do gestor escolar , Ed. Novas Edições Acadêmicas, 1ª ed., v. 1, 136p, ISBN 6130169442 , 2015 ; VAZ DE MELLO, R. M. A.;BARBOSA, J. M. S.; Formação continuada e a a distância de gestores escolares da Educação Básica: a experiência formativa da Universidade Federal de Viçosa , 1 ª ed. Curitiba, PR:Editora CRV, 2017. v. 1. 152p. ISBN: 9788544413203 ; VAZ DE MELLO, R. M. A.;BARBOSA, J. M. S.; Formação de profissionais da Educação Básica pública: reflexões para se pensar a educação a distância , 2017 ISBN 978-85-4441449-1

Referências

ABREU, M. C. de. Velhice - uma nova paisagem. São Paulo: Ágora, 2017. 200 p.

ALCÂNTARA, A. de O. Velhos institucionalizados e família: entre abafos e desabafos. Campinas: Editora Alínea, 2004.

ALVES, V. P.; VIANNA, L. G. Políticas públicas para a educação gerontológica na perspectiva da inserção social do idoso: desafios e possibilidades. Ensaio, Rio de Janeiro, v. 18, n. 68, p. 489-510, 2010.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 1977.


BRASIL. Ministério da Saúde. Estatuto do Idoso. Ministério da Saúde. 2 ed. rev. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2007. 70 p.

CASADEI, G. R. et al. Influência das redes sociais virtuais na saúde dos idosos. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v. 16, n. 29, p. 1963, 2019.

DEBERT, G. A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: EDUSP, 2012.

DIAS, I. O uso das tecnologias digitais entre os seniores. Motivações e interesses. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 68, p. 51-77, 2012.

DIAS, M. A. F.; PAÚL, C.; WATANABE, H. A. W. Representações sociais de velhice e suas relações com declínio e finitude em comentários e críticas publicados na mídia. Revista Kairós Gerontologia, v. 17, n. 1, p.125-143, 2014.

FALLER, J. W.; TESTON, E. F.; MARCON, S. S. A velhice na percepção de idosos de diferentes nacionalidades. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 128-137, 2015.

FARIA, A. M. A. de; et al. Projeto de vida na terceira idade: o trabalho da orientação profissional na sensibilização de um grupo de idosas. Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 2, n. 3, 2017.

FREIRE FILHO, J. Mídia, estereótipo e representação das minorias. Eco Pós. Rio de Janeiro: Pós-Graduação em Comunicação e Cultura, UFRJ, v. 7, n. 2, p. 45-65, 2004.

FREUD, S. Luto e melancolia. A história do movimento psicanalítico. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

GAETA, I. P.; MELLO, L. T. de; HAYAR, M. A. S. P. Psicogerontologia – A psicologia Analítica, o Envelhecimento e as Questões da Modernidade. In: FRAGOSO, V.; MAYOR, M. In: (coordenação) Gerontologia e Transdisciplinaridade I. São Paulo: Portal do Envelhecimento, 2017, p. 89-105.

GUERRA, A. C.; CALDAS, C. P. Dificuldades e recompensas no processo de envelhecimento: a percepção do sujeito idoso. Ciência & Saúde Coletiva, v. 15, n. 6, 2010.

HUMMEL, C.; LALIVE D’EPINAY, C. Aging in Western societies. Geneva: Centre Interdisciplinary Gerontology, University of Geneva; 2005. p. 141-155.

KACHAR, V. Envelhecimento e perspectivas de inclusão digital. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo, v. 13, n. 2, p. 131-147, 2010.

KAFKA, F. Metamorfose. São Paulo: Conrad, 2010.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de Metodologia Científica. 6 ed. 7 reimpr. São Paulo: Atlas, 2007.

LECHAKOSKI, R. de M.; WILDAUER, E. W. Os idosos na internet: uma análise da utilização da internet pelos idosos no Brasil. Universidade Federal do Paraná, 2019.

MENEZES, M. do R. A Influência da inclusão da pessoa idosa: ensino superior e sua qualidade de vida. Universidad Autónoma de Asunción – Paraguay. Magister en Ciencias de la Educación, 2019.

MENEZES, T. M. de O.; LOPES, R. L. M.; AZEVEDO, R. F. A pessoa idosa e o corpo: uma transformação inevitável. Rev. Eletr. Enf. v. 11, n. 3, p. 598-604, 2009.

MERCADANTE, E. F. Velhice: identidade e subjetividade. In: QUEIROZ, Z. P. V. Perspectiva cultural do envelhecimento. São Paulo (SP): Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social: Fundação Padre Anchieta, 2009.

MINAYO, M. C. de S.; COIMBRA JÚNIOR, C. E. A. Entre a liberdade e a dependência: reflexões sobre o fenômeno social do envelhecimento. Antropologia, saúde e envelhecimento. Fiocruz, 2002.

MINAYO, M.C.S,. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M.C.S. (Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 23 Ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

MINÓ, N. M.; FARIAS, R. de C. P. Percepções de crianças e adolescentes sobre o envelhecimento e estigmas ligados à velhice, 2016. 105 p. (Dissertação de Mestrado em Economia Doméstica). Universidade Federal de Viçosa, 2016.

MINÓ, N. M.; MELLO, R. M. A. V. de. A velhice nas imagens e vídeos divulgados no Facebook: pedagogias culturais na formação do pensamento coletivo. Rev. Educ., Cult. Soc., v. 9, n. 1, p. 67-78, 2019.

MONTE, N. L. do et al. Desafios do processo de inclusão dos idosos frente às tecnologias de informação: um estudo reflexivo. Anais CIEH, v. 2, n. 1, 2015.

MONTEIRO, P. P. Envelhecer ou Morrer, eis a questão. Coleção Envelhecer & Viver, Gutemberg Editora: Belo Horizonte, 2008.

MONTEIRO, P. P. Envelhecer: histórias, encontros, transformações. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

MORAES, R. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 2009.

MOTTA, A. B. da. Envelhecimento e sentimento do corpo. In: MINAYO, M. C. de S.; COIMBRA JÚNIOR, C. E. A. In: (organizadores). Antropologia, Saúde e Envelhecimento. Rio de Janeiro, Editora Fiocruz, 2002. p. 36-50.

NERI, A. L.; JORGE, M. D. Atitudes e conhecimentos em relação à velhice em estudantes de graduação em educação e em saúde: subsídios ao planejamento curricular. Estudos de Psicologia, v. 23, n. 2, p.127-137, 2006.

NERI, A. L. Atitudes e preconceitos em relação à velhice. In: NERI, Anita Liberalesso (Org.). Idosos no Brasil: vivências, desafios e expectativas na terceira idade. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, Edições SESC SP, p. 33-46, 2007.

NEVES, B. B.; AMARO, F.; FONSECA, J. R. S. Coming of (Old) Age in Digital Age: ICT Usage and Non-Usage Among Older Adults. Sociological Research Online, v. 18, n. 2, p. 1-14, 2013.

OLIVEIRA, A. C. A velhice conectada e suas representações na publicidade em vídeo brasileira. Dissertação apresentada à Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2018.

QUEIROZ, Z. P. V.; NETTO, M. P. Envelhecimento bem-sucedido: aspectos biológicos, psicológicos e socioculturais. In: Papaléo Netto M. Tratado de gerontologia. 2 ed. rev. ampl. São Paulo: Atheneu, 2007. p. 807-815.

RIBEIRO, M. dos S. et al. Estratégias de enfrentamento de idosos frente ao envelhecimento e à morte: revisão integrativa. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, 2017.

RODRIGUES, A. G.; SILVA, A. A. da. A rede social e os tipos de apoio recebidos por idosos institucionalizados. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 159-170, 2013.

SANTANA, C. da S.; BERNARDES, M. S.; MOLINA, A. M. T. B. Projetos de vida na velhice. Estud. interdiscipl. envelhec., Porto Alegre, v. 21, n. 1, p. 171-186, 2016.

SANTOS, G. A. Os conceitos de saúde e doença na representação social da velhice. Revista Virtual Textos & Contextos, v. 1, n.1, p. 1-12, 2002.

SCHWARZ, L. R. EnvelheSer: a busca do sentido da vida na terceira idade. São Paulo: Vetor, 2009.

SILVA, A. de O. Percepções de pessoas quinquagenárias sobre o processo de envelhecimento, 2017. 91 p. (Dissertação de Mestrado em Economia Doméstica). Universidade Federal de Viçosa, 2017.

SILVA, M. S. R. da. O medo do velho: um diálogo sobre a transitoriedade e o medo da morte. Universidade de Brasília Instituto de Psicologia. Curso de Especialização em Teoria Psicanalítica. Brasília, 2013.

SILVA-JARDIM, V. C. F.; MEDEIROS, B. F.; BRITO, A. M. Um olhar sobre o processo de envelhecimento: a percepção de idosos sobre a velhice. Rev Bras Geriat e Geront, v. 11, n. 2, p. 25-34, 2006.

TODARO, M. de A. Vovô vai à escola: a velhice como tema transversal no ensino fundamental. Campinas, SP: Papirus, 2009.

TREVISAN, M. O tempo do envelhecimento: fase, desgaste ou metamorfose. Revista Filosofia Capital. Edição Especial – Concepções acerca da Verdade. Brasília, DF. v. 9, p. 68-76, 2014.

VERAS, R. P.; OLIVEIRA, M. Envelhecer no Brasil: a construção de um modelo de cuidado. Ciência & Saúde Coletiva, v. 23, n. 6, p. 1929-1936, 2018.

WICHMANN, F. M. A.; et al. Grupos de convivência como suporte ao idoso na melhoria da saúde. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro. v. 16, n. 4, p. 821-832, 2013.

Downloads

Publicado

2021-04-29

Como Citar

Minó, N. M. ., & Vaz de Mello, R. M. A. (2021). Representação da velhice: reflexões sobre estereótipo, preconceito e estigmação dos idosos. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 32(1), 273-298. https://doi.org/10.31423/oikos.v32i1.9889