Trabalho versus aposentadoria: desvendando sentidos e significados

  • Maria Alice Lopes Coelho Bressan Universidade Federal de Viçosa
  • Simone Caldas Tavares Mafra Universidade Federal de Viçosa
  • Lucia Helena de Freitas Pinho França Universidade Salgado de Oliveira, Niterói, RJ
  • Mônica Santos de Souza Melo Universidade Federal de Viçosa
  • Maria das Dores Saraiva de Loreto Universidade Federal de Viçosa

Resumo

Esta pesquisa procurou analisar comparativamente o significado do trabalho para os servidores docentes e técnico-administrativos da Universidade Federal de Viçosa, com o objetivo de identificar nas falas dos sujeitos o lugar ocupado pelo trabalho em suas vidas e compreender, assim, as implicações desse fator no momento de transição para a aposentadoria. Na coleta de dados foi utilizada a entrevista semiestruturada e na análise dos significados do trabalho para os sujeitos da pesquisa, a análise do discurso da linha francesa proposta por Patrick Chareudeau. Os resultados sugerem forte significação subjetiva positiva apresentada pelos entrevistados e importante vínculo emocional, evidenciando satisfação e envolvimento com o trabalho e a Organização. A partir da análise desses resultados, conclui-se que há fortes indícios de que o desligamento do trabalho na aposentadoria nos diversos níveis ocupados pelos servidores da UFV pode ser tarefa difícil e envolver, principalmente, dificuldades emocionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Alice Lopes Coelho Bressan, Universidade Federal de Viçosa
Mestranda em Economia Doméstica pela Universidade Federal de Viçosa, Psicóloga da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas da Universidade Federal de Viçosa e docente do curso de Psicologia da Univiçosa – União de Ensino Superior de Viçosa.
Simone Caldas Tavares Mafra, Universidade Federal de Viçosa
Pós-doutora em Minority Aging pela University of Texas Medical Branch, USA, Professora Associada do Departamento de Economia Doméstica da Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, Brasil.
Lucia Helena de Freitas Pinho França, Universidade Salgado de Oliveira, Niterói, RJ
Ph.D. em Psicologia Social pela Universidade de Auckland, Nova Zelândia e Professora Titular da UNIVERSO - Universidade Salgado de Oliveira, Niterói, RJ, Brasil.
Mônica Santos de Souza Melo, Universidade Federal de Viçosa
Doutora em Assuntos Lingüísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e Professora Adjunta da Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, Brasil.
Maria das Dores Saraiva de Loreto, Universidade Federal de Viçosa
Pós-doutora em Família e Meio Ambiente pela University of Guelph, Canadá, Professora Associada do Departamento de Economia Doméstica da Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, Brasil.

Referências

ALBRECHT, P. A. T. Sentidos do trabalho para concurseiros: a busca do emprego estável como estratégia de inserção no mundo do trabalho contemporâneo. 2010. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

ANTUNES, R.; ALVES, G. A. Estruturação do mundo do trabalho na era da mundialização do capital. Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 25, p. 335-351, maio-ago. 2004.

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho?: ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade no mundo do trabalho. São Paulo: Cortez; Campinas, SP: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 2005.

________. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2009.
BASSO, I. S. Significado e sentido do trabalho docente. Caderno CEDES, Campinas, v. 19, n. 44, abr. 1998. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2011.

BORGES, L. O.; FILHO, A. A. A. Mensuração da motivação do significado do trabalho. Estudos em Psicologia, Natal, RN, v. 6, n. 2, p. 177-194, 2001.

BORGES, L. de O.; YAMAMOTO, O. H. O mundo do trabalho. In: ZANELI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; BASTOS, A. V. B. Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto alegre: Artmed, 2004.

BOTH, T. L. Jubilamento: o interdito de uma vida de trabalho e suas repercussões na velhice. 2004. 98 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social e Institucional) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.

BRASIL. Lei No 11.091, de 12 de janeiro de 2005. Estruturação do Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação, no âmbito das Instituições Federais de Ensino vinculadas ao Ministério da Educação, e dá outras providências. Brasília: Ministério da Educação, 2005a.

________. Constituição (1988). Emenda Constitucional nº 47, de 5 de julho de 2005. Altera os arts. 37, 40, 195 e 201 da Constituição Federal, para dispor sobre a previdência social, e dá outras providências. Brasília: Senado Federal, 2005b.

BÚRIGO, C. C. D. Universidade Pública Federal Brasileira: democraticamente massificada. Revista de Estudios y Experiencias en Educación, UCSC, Edición Especial, v. 1, n. 1, 2007. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2011.

CHANLAT, O. O gerencialismo e a ética do bem comum: a questão da motivação para o trabalho nos serviços públicos. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DEL CLAD SOBRE LA REFORMA DEL ESTADO Y DE LA ADMINISTRACIÓN PÚBLICA, 7., 2002. Lisboa. Anais… Portugal, 2002. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2010.

CHARAUDEAU, P. Linguagem e discurso: modos de organização. São Paulo: Contexto, 2008.

CLOT, YVES. A função psicológica do trabalho. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

COSTA, A. B.; SOARES, D. H. P. Orientação psicológica para aposentadoria. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 9, n. 2, jul.-dez. 2009.

COUTINHO, M. C.; DIOGO, M. F.; JOAQUIM, E. P. Sentidos do trabalho e saber tácito: estudo de caso em uma universidade pública. PSIC – Revista de Psicologia da Vetor Editora, v. 9, n. 1, p. 99-108, jan.-jun. 2008.

CRUZ, T. A.; ALVARENGA, S. C.; CARMO, M. I.; SILVA, A. R. (Coord.). Retrato Social de Viçosa 2007. Viçosa, MG: CENSUS, 2008.

DIOGO, M. F.; MAHEIRIE, K. De balde e vassoura na mão: os sentidos que mulheres serventes de limpeza atribuem aos seus trabalhos. Revista Mal-Estar Subsubjetividade [online], v. 7, n. 2, p. 557-579, 2007. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2011.

DUARTE, C. V.; MELO-SILVA, L. L. Expectativas diante da aposentadoria: Um estudo de acompanhamento em momento de transição. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 10, n. 1, p. 45-54, 2009.

EKERDT, D. J. Frontiers of research on work and retirement. Journal of Gerontology: Social Sciences, v. 65B, n. 1, p. 69-80, 2010.

FRANÇA, L. H. de P. A Longevidade e suas consequências para o mundo do trabalho. Sinais sociais – Serviço Social do Comércio, Rio de Janeiro, Departamento Nacional, v. 4, n. 10, maio-ago. 2009a.

________. Influências sociais nas atitudes dos “Top” executivos em face da aposentadoria: um estudo transcultural. RAC, Curitiba, v. 13, n. 1, art. 2, p. 17-35, jan.-mar. 2009b.

________. Repensando a aposentadoria com qualidade: um manual para facilitadores de programas de preparação para aposentadoria em comunidades. Rio de Janeiro: CRDE UnATI UERJ, 2002.

FRANCA, L. H. de F. P.; SOARES, D. H. P. Preparação para a aposentadoria como parte da educação ao longo da vida. Revista Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 29, n. 4, dez. 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 dez. 2010.

FRANÇA, L. H. de P.; VAUGHAN, G. Ganhos e perdas: atitudes dos executivos brasileiros e neozelandeses frente à aposentadoria. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 2, p. 207-216, abr.-jun. 2008.

GEE, S.; BAILLIE, J. Happily ever after? An exploration of retirement expectations. Educational Gerontology, London, v. 25, n. 2, 109-128, 1999.

GORZ, A. Adeus ao proletariado. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

GONÇALVES, R. de C. A trajetória laboral de homens e mulheres no processo de desligamento das relações de trabalho pela aposentadoria. 2006. 129 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

GOULART, P. M. O significado do trabalho: delimitações teóricas (1955-2006). Cad. Psicol. Soc. Trab., São Paulo, v. 12, n. 1, jun. 2009. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2011.

IBGE. Primeiros dados do Censo 2010. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2011.

LUCHESE, T. G. et al. Os sentidos do trabalho: um estudo de caso em uma Instituição de Ensino Superior. Unoesc & Ciência – ACSA, Joaçaba, v. 1, n. 1, p. 79-88, jan.-jun. 2010.

MANÃS, C. M. As influências ideológicas do trabalho e as perspectivas para o século XXI. Revista da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná, Paraná, v. 37, p. 95-101, 2002. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2010.

MIGEOTTE, L. Os filósofos gregos e o trabalho na Antiguidade. In: MERCURE, D.; SPURK, J. (Orgs.). O Trabalho na História do Pensamento Ocidental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

MORIN, E.; TONELLI, M. J.; PLIOPAS, A. L. V. O trabalho e seus sentidos. Revista Psicologia & Sociedade, Florianópolis, v. 19, p. 47-56, 2007. Edição Especial 1.

MORIN, E. Os sentidos do trabalho. RAE – Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 41, jul.-set. 2001.

OFFE, C. Trabalho e sociedade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1991.

RIBEIRO, C. V. S.; LÉDA, D. B. O significado do trabalho em tempos de reestruturação produtiva. Estudos e Pesquisas em Psicologia, UERJ, RJ, v. 4, n. 2, 2º semestre, 2004.

ROSSO, S. D. Prefácio. In: MERCURE, D.; SPURK, J. (Org.). O Trabalho na História do Pensamento Ocidental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

SABIONI, G. S.; NUNES, V. K. A. (Org.). UFV em números 2009. Viçosa, MG: Editoração DTI/UFV, 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2011.

SILVA, M. G. S. Idosos aposentados: representações do cotidiano. Estudos Interdisciplinares do Envelhecimento, Porto Alegre, v. 1, p. 91-104, 1999.

SIQUEIRA, M. M. M.; PADOVAM, V. A. R. Bases teóricas do bem-estar subjetivo, bem-estar psicológico e bem-estar no trabalho. Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 24, n. 2, p. 201-209, 2008.

SOARES, D. H. P. et al. Aposenta-ação: programa de preparação para aposentadoria. Estudos Interdisciplinares sobre Envelhecimento, Porto Alegre, v. 12, p. 143-161, 2007.

TOLFO, S. R.; PICCININI, V. Sentidos e Significados do trabalho: explorando conceitos, variáveis e estudos empíricos brasileiros. Psicologia & Sociedade, v. 19, p. 38-46, 2007. Edição Especial 1.

VIEIRA, M. G.; PINTO, S. R. Visões e significados do trabalho: um olhar histórico. Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, v. 2, 2008.

WILLAIME, JEAN-PAUL. As reformas protestantes e a valorização religiosa do trabalho. In: MERCURE, D.; SPURK, J. (Org.). O trabalho na história do pensamento ocidental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005.

ZANELLI, J. C.; SILVA, N.; SOARES, D. H. P. Orientação para aposentadoria nas organizações de trabalho: construção de projetos para o pós-carreira. Porto Alegre: Artmed, 2010.
Publicado
2012-06-15
Como Citar
Bressan, M. A. L. C., Mafra, S. C. T., França, L. H. de F. P., Melo, M. S. de S., & Loreto, M. das D. S. de. (2012). Trabalho versus aposentadoria: desvendando sentidos e significados. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 23(1), 226-250. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3648
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)

1 2 > >>