Percepção do trabalho do agente comunitário de saúde pelos usuários atendidos nas unidades básicas de saúde da família de Viçosa, MG: tarefas realizadas e normas prescritas

Gracilene Maria Almeida Muniz Braga, Simone Caldas Tavares Mafra, Emília Pio da Silva, Andreia Patrícia Gomes, Mônica Santos Souza Melo

Resumo


O Agente Comunitário de Saúde (ACS) é considerado referencia pelas famílias para o acesso aos serviços de saúde.  O objetivo do presente trabalho foi conhecer a opinião dos indivíduos vulneráveis (hipertenso, gestante, idoso e diabético) sobre o trabalho do ACS. Usando uma abordagem qualitativa e descritiva, utilizou-se para a coleta de dados entrevista semiestruturada com 48 indivíduos vulneráveis que constituiu a amostra deste estudo, sendo 13 hipertensos, 9 gestantes, 13 idosos e 13 diabéticos, das 13 Unidades Básicas de Saúde da Família de Viçosa. Para a análise dos dados utilizou-se a análise do conteúdo e estatística descritiva. Os dados demonstraram que, 82% dos entrevistados acreditam que o trabalho do ACS contribui para acesso aos serviços de saúde e 62% alegaram conhecer as atribuições e tarefas dos ACS.  Apenas 40% dos indivíduos associaram as tarefas dos ACS ao acompanhamento das famílias e 23% à visita domiciliar.   Assim, sugere-se um reposicionamento do ACS para um lugar de maior destaque na ESF a partir da compreensão do trabalho desenvolvido pelos mesmos.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais