Representações sociais sobre o envelhecer e os direitos sociais dos idosos. O caso do Programa Municipal da Terceira Idade, Viçosa – Minas Gerais

  • Clara Mafalda Pinto Bessa de Sousa Universidade Federal de Viçosa
  • Rita de Cássia Pereira Farias Universidade Federal de Viçosa
  • Sheila Maria Doula Universidade Federal de Viçosa
  • Simone Caldas Tavares Mafra Universidade Federal de Viçosa

Resumo

O estudo teve como objetivo analisar as representações sociais sobre o ser idoso, o envelhecimento e a velhice como processo, e os direitos sociais da pessoa idosa e sua respectiva efetivação. Foram entrevistados, aleatoriamente, utilizando a entrevista semi-estruturada, vinte idosos (com idades entre 62 e 84 anos), participantes do Programa Municipal da Terceira Idade (PMTI) da cidade de Viçosa, Minas Gerais. Os resultados apontam para três tipos de representação social do envelhecimento: uma representação positiva de ganhos e realização pessoal, ligada à panóplia de atividades que estes idosos encontram no âmbito do PMTI; uma representação negativa associada à perda de saúde e dependência e uma terceira de conformação, no qual o envelhecimento é visto como uma contingência natural e inevitável. Ficou evidente a limitação no conhecimento dos seus direitos, designadamente direitos de domínio público e as dificuldades que enfrentam na sua efetivação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clara Mafalda Pinto Bessa de Sousa, Universidade Federal de Viçosa
Mestranda em Economia Doméstica, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, Brasil; bacharel em Direito, Universidade do Porto, Porto, Portugal
Rita de Cássia Pereira Farias, Universidade Federal de Viçosa
Professora Adjunta da Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, Brasil. Doutora em Antropologia Social pela Universidade de Campinas
Sheila Maria Doula, Universidade Federal de Viçosa
Professora Associada da Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, Brasil. Doutora em antropologia Social pela Universidade de São Paulo
Simone Caldas Tavares Mafra, Universidade Federal de Viçosa
Professora Associada da Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, Brasil. Doutora em Engenharia da Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Pós-Doutorado pela University of Texas Medical Branch

Referências

BALTES, P. B. Theoretical propositions of life-span developmental psychology: On the dynamics betwen growth and decline. Developmental Psychology, 5, 611-626, 1986.
BALTES, P. B. & SMITH, J. Psicologia da sabedoria: Origem e desenvolvimento. Em A.L. Neri (Org.), Psicologia do envelhecimento (pp.41-72). Campinas / São Paulo: Papirus, 1995.
BARDIN, L. Análise de Conteúdo (pp.230). Lisboa: Edições 70, 1977.
BELTRÃO, K. I. & CAMARANO, A. A. Características sócio-demográficas da população idosa brasileira. Estudos Feministas, 5, 106-119, 1997.
BOGDAN, R. & BIKLEN, S. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.
CHARTIER, R. A. História Cultural: entre práticas e representações. Tradução Maria Manuela Galhardo (pp.245). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990.
DEBERT, G.G. As representações sociais (estereótipos) do papel do idoso na sociedade atual. Em Ministério da Previdência e Assistência Social (Org.), Anais do I Seminário Internacional. Envelhecimento populacional: uma agenda para final de século. Brasília, DF, 1996.
_____________ A reinvenção da velhice: Socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: Fapesp, 1999.
FARIAS et al. Programa Municipal da Terceira idade: Atividades e percepções dos usuários. Viçosa, 2014.
GUIMARÃES, M. C. T. V. Velhice: perda ou ganho? Dissertação de Mestrado não publicada, Departamento de Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1997.
GUSMÃO, N. M.; ALCÂNTARA. A. O.. Velhice, mundo rural e sociedades modernas: tensos itinerários. Ruris, volume 2 , número 1, março de 2008, pp. 154-180
IBGE. Perfil de idosos responsáveis por domicílios no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.
JODELET, D. Représentations sociales: un domaine en expansion. Em D. Jodelet (Org.). Les représentations sociales (pp.31-61). Paris: P.U.F., 1989.
KASTENBAUM, R. & CANDY, S. The four percent fallacy. Journal of Aging and Human Development, 4, p. 15-21, 1973.
MAUSS M. Sociologia e antropologia. São Paulo: Cosac Naify; 2003
MILES, M. & HUBERMAN, M. Qualitative Data Analysis. Sage Publications, Inc. 2and Edition, 1994.
MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.
_____________. On Social Representation. En J. P. Forgas (Ed.), Social Cognition (pp. 181-209). Londres: European Association of Experimental Social Psychology/Academic Press, 1981.
_____________. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2003.
MOSCOVICI, S. & HEWSTONE, A. De la ciência al sentido comum. Em S. Moscovici (Org.), Psicologia Social (Vol. I, pp.679-710). Barcelona: Paidós, 1985.
NASRI, F. O envelhecimento populacional no Brasil. São Paulo, 2008.
OLIVEIRA, F. S. A implementação do Estatuto do Idoso nas áreas da saúde e educação pela prefeitura municipal de Ponta Grossa. Dissertação (Mestrado) - Curso de pás-graduação em Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, PR, 2006.
PLONER, K. S., MICHELS, L. R. F., OLIVEIRA, M. A. M. & STREY, M. N. de. O significado de envelhecer para homens e mulheres. Em A. F. Silveira, C. Gewehr, L. F. R. Bonin & Y. L. Bulgacov (Eds.), Cidadania e participação social (pp.115-124). Porto Alegre: ABRAPSOSUL, 1999.
QUIVY, R. & CAMPENHOUDT, L. Manual de Investigação em Ciências Sociais. Lisboa: Gradiva, 1998.
SANTOS, M. de F. de S. A velhice na Zona Rural. Representação Social e Identidade. Em C. Nascimento-Shulze (Ed.), Novas Contribuições para a teorização e pesquisa em representação social (pp. 59-83). Rio de Janeiro: Associação Nacional
de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia, 1996.
Publicado
2016-06-24
Como Citar
Sousa, C. M. P. B. de, Farias, R. de C. P., Doula, S. M., & Mafra, S. C. T. (2016). Representações sociais sobre o envelhecer e os direitos sociais dos idosos. O caso do Programa Municipal da Terceira Idade, Viçosa – Minas Gerais. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 27(1), 135-156. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3721
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)

1 2 > >>