A interferência da carreira do magistério superior na qualidade de vida dos docentes da Universidade Federal de Viçosa-MG

  • Michelle Barbosa Soares Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde (FACISA - UNIVIÇOSA) / Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)
  • Simone Caldas Tavares Mafra Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Palavras-chave: Professor, Bem-estar, Sobrecarga ocupacional,

Resumo

Qualidade de Vida (QV) é conceito abrangente, que envolve as dimensões consideradas importantes para o ser humano. O estudo objetivou verificar se a carreira dos docentes universitários da Universidade Federal de Viçosa interfere na QV dos professores. O estudo foi realizado na cidade de Viçosa, MG, tendo como unidade de pesquisa a Universidade Federal de Viçosa (UFV), campus Viçosa. Foram selecionados de forma aleatória 13 docentes universitários que estão lotados na UFV, campus Viçosa. Os resultados mostraram que os docentes se sentem realizados com seu trabalho, entretanto a sobrecarga de trabalho pode diminuir o seu tempo de lazer, diminuindo o tempo para a realização de atividade física, afetando as condições de saúde dos mesmos. Conclui-se que há sobrecarga de trabalho na carreira dos docentes universitários, e carência de conscientização dessa situação pelos gestores, para que haja modificação nas políticas de legitimação do atual sistema educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michelle Barbosa Soares, Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde (FACISA - UNIVIÇOSA) / Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)
Bacharel em Fisioterapia. Possui mestrado pela Universidade Federal de Viçosa - MG, na linha de pesquisa Família e Sociedade. Atualmente é professora na Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde (FACISA - UNIVIÇOSA). Doutoranda pela Universidade Federal de São Carlos em Fisioterapia na linha de pesquisa Recursos Eletrotermofoterápicos. Tem experiência nas áreas de Fisioterapia Dermatofuncional, Recursos Eletrotermofototerápicos, Saúde da Mulher e Fisioterapia Pediátrica.
Simone Caldas Tavares Mafra, Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Possui graduação em Economia Domestica pela Universidade Federal de Viçosa (1989), mestrado (1996) e doutorado (1999) em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é Professora Titular da Universidade Federal de Viçosa. Em 2011 realizou o pós-doutorado, no Sealy Center on Aging da University of Texas Medical Branch, Texas, Estados Unidos, centro este colaborador da WHO/PAHO na linha de pesquisa Minority Aging, sob a orientação da Dra. Rebeca Wong.Tem experiência destacada na área de Engenharia de Produção, com ênfase em Planejamento Ergonômico do Trabalho, atuando principalmente nos seguintes temas: análise ergonômica do trabalho, gestão da idade, ageismo, envelhecimento ativo, qualidade de vida no trabalho, qualidade de vida, envelhecimento funcional, envelhecimento populacional, risco social e envelhecimento, trocas intergeracionais. É pesquisadora e coordenadora do Grupo de Pesquisa ERGOPLAN (Grupo de Planejamento Ergonômico do Trabalho) e do Grupo Risco Social e Envelhecimento. Orientadora junto ao Programa de Pós-Graduação em Economia Doméstica nas linhas de pesquisa "Famílias, Políticas Públicas e Desenvolvimento Humano e Social" e "Trabalho, consumo e Cultura". Desde 2007 é bolsista da SESu/MEC, na modalidade tutora do Programa de Educação Tutorial em Economia Doméstica. Em 2013 assumiu a vice presidência da Associação Nacional de Estudos e Pesquisas em Envelhecimento (ASPEN).
Publicado
2018-12-31
Como Citar
Soares, M. B., & Mafra, S. C. T. (2018). A interferência da carreira do magistério superior na qualidade de vida dos docentes da Universidade Federal de Viçosa-MG. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 29(2), 350-371. https://doi.org/10.31423/oikos.v29i2.3788