Famílias, mulheres e cuidados

efeitos da pandemia de covid-19 em Santa Catarina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31423/oikos.v32i1.11335

Palavras-chave:

Família, Gênero, Cuidado, Pandemia de Covid-19

Resumo

Este artigo analisa os efeitos da pandemia de Covid-19 na dinâmica de famílias e no cotidiano de mulheres em decorrência do isolamento social, a partir de estudo exploratório realizado entre maio/junho de 2020 com famílias residentes em Santa Catarina. Os dados de natureza quanti-qualitativa foram obtidos por meio de formulário online constituindo uma amostra não probabilística do tipo bola de neve, composta de 2.101 respondentes e abrangendo todas as mesorregiões do estado catarinense. Apresenta-se neste texto, as características sociodemográficas dos participantes e de suas famílias e alguns dos principais efeitos da pandemia nas dinâmicas familiares, tais como: a sobrecarga das mulheres com a realização de trabalho remunerado e não remunerado na esfera privada da casa, associado ao acompanhamento dos filhos submetidos ao ensino remoto. Esse contexto evidenciou o acirramento das desigualdades de gênero, a reprodução da divisão sexual do trabalho e a reprivatização do cuidado

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edilane Bertelli, Universidade Federal de Santa Catarina

Assistente Social. Doutora em Serviço Social pela PUC/SP. Docente do Departamento de Serviço Social da UFSC.  Integra o Núcleo de Pesquisa Interdisciplinar Sociedade, Família e Política Social - NISFAPS e a Rede de Pesquisa Família e Política Social - REFAPS. Tem experiência na área de Serviço Social e atuação nos temas: relações de gênero, divisão sexual do trabalho, famílias, políticas sociais, sistemas de proteção social e trabalho profissional.

Liliane Moser, Universidade Federal de Santa Catarina

Assistente Social. Doutora em Serviço Social pela PUC/SP. Professora do Departamento de Serviço Social e do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da UFSC.  Integra o Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa Sociedade, Família e Política Social - NISFAPS, a Rede de Pesquisa Família e Política Social - REFAPS e coordena o Observatório de Políticas Sociais e Famílias Catarinenses - OPSFaC. 

Carmen Rosario Ortiz Gutierrez Gelinski, Universidade Federal de Santa Catarina

Economista. Doutora em Sociologia Política pela UFSC. Docente do Departamento de Economia da UFSC. Integra os grupos de pesquisa: NISFAPS - Núcleo de pesquisa interdisciplinar sociedade, família e políticas sociais, NINEIT - Núcleo interdisciplinar de estudos da inovação e do trabalho, ECOS - Ecologia humana e sociologia da saúde e REFAPS - Rede de estudos sobre família e políticas sociais. Atua na área de economia, com ênfase em politicas públicas.

Referências

ALVES, José E. Diniz, CAVENAGHI, Suzana. Tendências demográficas, dos domicílios e das famílias no Brasil. Aparte, Rio de Janeiro, IE/UFRJ, 25/08/2012. Disponível em: http://wiki.dpi.inpe.br/lib/exe/fetch.php?media=ser457-cst310:aulas-2014:leituras:alves_cavenaghi_2012.pdf; acesso em outubro de 2020.

ARRIAGADA, Irma. Estruturas familiares, trabalho e bem-estar na América Latina. In: ARAUJO, Clara; PICANÇO, Felícia; SCALON, Celi (Orgs.). Novas conciliações e antigas tensões? Gênero, família e trabalho em perspectiva comparada. Bauru: Edusc, 2007. p. 223-265.

BARCELOS, Mariana S. A Incorporação da família nos serviços de saúde: um debate a partir das concepções dos profissionais num hospital de alta complexidade. 2011. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Socioeconômico, Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, Florianópolis, 2011.

GAMA, Andrea de Souza. Trabalho família e gênero: impactos dos direitos do trabalho e da educação infantil. São Paulo: Cortez, 2014.

GORZ, André. Metamorfoses do trabalho. São Paulo: Annablume, 2003.

IBGE. Mulheres dedicam mais horas aos afazeres domésticos e cuidado de pessoas, mesmo em situações ocupacionais iguais a dos homens. Agência IBGE Notícias, 26/04/2019. Disponível em https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa; acesso em outubro de 2020.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Anual. Rio de Janeiro: IBGE, 2019.

KERGOAT, Danièle. O cuidado e a imbricação das relações sociais. In: ABREU, Alice Rangel de Paiva; HIRATA, Helena; LOMBARDI, Maria Rosa (Orgs.). Gênero e Trabalho no Brasil e na França: perspectivas interseccionais. São Paulo: Ed. Boitempo, 2016.

KÜCHEMANN, Berlindes Astrid. Envelhecimento populacional, cuidado e cidadania: velhos dilemas e novos desafios. Revista Sociedade e Estado, v. 27, n. 1, p. 165-180, jan./abr., 2012.

MIOTO, Regina Celia Tamaso. Família e Políticas Sociais. In: BOSCHETTI, Ivanete et al. (Orgs.) Política social no capitalismo: tendências contemporâneas. São Paulo, Cortez, 2014.

MOSER; Liliane; DAL PRÁ, Keli R. Os Desafios de Conciliar Trabalho, Família e Cuidados: evidências do “familismo” nas políticas sociais brasileiras. Textos & Contextos, Porto Alegre, v. 15, n. 2, p. 382-392, 2016.

NASCIMENTO, Arlindo Mello. População e família brasileira: ontem e hoje. Anais do XV Encontro Nacional de Estudos Populacionais. Caxambu, MG: ABEP, 2006. Disponível em: http://www.abep.org.br/publicacoes/index.php/anais/article/view/1579, acesso em agosto de 2020.

NISFAPS. Projeto do levantamento de dados: Os efeitos da pandemia de Covid-19 nas famílias residentes em Santa Catarina. DSS, CNM, PPGSS, Universidade Federal de Santa Catarina, 2020.

SOF. Sempreviva Organização Feminista. Pesquisa Sem Parar: o trabalho e a vida das mulheres na pandemia. São Paulo, 2020. Disponível em: http://mulheresnapandemia.sof.org.br/; acesso em setembro de 2020.

TRONTO, Joan. Capítulo 1 - Economía, ética y democracia: três linguajes em torno al cuidado. In: GAVIRIA, Luz Gabriela Arango et al (Orgs.). Género y cuidado: teorias, escenarios y políticas. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia; Universidad de los Andes; Pontificia Universidad Javeriana, 2018.

VILLA, Simone Barbosa. Os formatos familiares contemporâneos: transformações demográficas. Observatorium: Revista Eletrônica de Geografia, v.4, n.12, p. 02-26, dez. 2012.

VINUTO, Juliana. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas, Campinas, v. 22, n. 44, p. 203-220, ago./dez. 2014.

Downloads

Publicado

2021-04-29

Como Citar

Bertelli, E. ., Moser, L., & Gutierrez Gelinski, C. R. O. . (2021). Famílias, mulheres e cuidados: efeitos da pandemia de covid-19 em Santa Catarina. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 32(1), 35-54. https://doi.org/10.31423/oikos.v32i1.11335