Uma investigação sobre as motivações às ajudas entre idosos e seus familiares e amigos em São Paulo, 2000

Autores

  • Cristiane Silva Corrêa
  • Bernardo Lanza Queiroz Professor do Departamento de Demografia da UFMG e pesquisador do Cedeplar
  • Dimitri Fazito Professor do Departamento de Demografia da UFMG e pesquisador do Cedeplar

Resumo

A literatura aponte três teorias principais para explicar as relações de ajuda observada nas redes sociais: Altruísmo, Troca e Reciprocidade. A evidência empírica sugere que tais modelos ajudam a exlpicar o fenômeno observado, mas os estudos são, em sua maioria, feitos em países desenvolvidos, não existindo muitos trabalhos para economias emergentes (como o Brasil). Neste estudo, buscaram-se evidências sobre as relações de ajuda a partir de dados da SABE 2000, para relações de troca entre idosos e sua rede social, em São Paulo, Brasil. Os resultados corroboraram as diferentes linhas admitindo que todas as possibilidades de expressão das relações de ajuda são válidas. As evidências contribuem para a discussão internacional acerca da transferências intergeracionais, em especial o cuidado e tempo dedicado aos idosos, assim como ajudam a esclarecer sobre os padrões brasileiros de transferência e podem contribuir para diminuir potenciais efeitos adversos ao se implementarem políticas públicas.

Palavras-chave: Transferências. familiares. Idosos. Rede de apoio.

ABSTRACT

There are three main theories to explain the familial transfer arrangements: altruism, exchange and reciprocity. There is a large body of literature analyzing and testing these models for more developed economies, but little research is found in emerging economies. In this paper, we investigate family transfers, familial and social support for the elderly, using Brazilian data (SABE 2000). There is evidence that all three theories might explain the observed patterns of help and support found in or study. Our results contribute to a better understanding of the intergenerational transfers, especially in the Brazilian scenario,and shed some light on the possibible effects of public policies on the support and familial transfer system.

Keywords: Family transfers. Elderly. Social support network.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiane Silva Corrêa

Professora do Departamento de Estatística/UFRN.
Doutoranda e Mestre em Demografia - Cedeplar/UFMG.
Bacharel em Ciências Atuariais - UFMG.

Referências

ANS(a). Informações em Saúde Suplementar. Dados gerais. Taxa de cobertura (%) de
planos privados de saúde (Brasil – 2003-2009). Disponível em: <http:// www.ans.gov.br/
portal /site/ informacoesss/ iss_dados_gerais.asp>. Acesso em: 29 dez. 2009.

ANS(b). A ANS. Entenda o setor. Planos quanto ao tipo de cobertura assistencial.
Disponível em: <http://www.ans.gov.br/ portal/site/ entenda_setor/
entenda_setor_topico_647.asp>. Acesso em: 29 dez. 2009.

ARRONDEL, L.; MASSON, A. Altruism, exchange or indirect reciprocity: what do data
on family transfer show? In: MERCIER-YTHIER, J.; KOLM, S. Economics of Giving,
Reciprocity and Altruism. North-Holland, 2002.

BECKER, G. S. A treatise on the family. Cambridge; London: Harvard University Press,
1981. 288 p.

CAMARANO, A. A.; KANSO, S.; MELLO, J. L.; PASINATO, M. T. Famílias: espaço de
compartilhamento de recursos e vulnerabilidades. In:

CARAMANO, A. A. (Org.). Os
novos brasileiros: muito além dos 60? Rio de Janeiro: IPEA, 2004. p.137-67.

CAMARANO, A. A.; KANSO, S.; MELLO, J. L. Quão além dos 60 poderão viver os
idosos brasileiros? In: CAMARANO, Ana Amélia (Org.). Os novos idosos brasileiros:
muito além dos 60? Rio de Janeiro: IPEA, 2004. v. 1, p. 1-594.

CAMARANO, A. A.; PASINATO, M. T. Envelhecimento, pobreza e proteção social na
América Latina. Rio de Janeiro: IPEA, julho de 2007. (Texto para discussão n° 1292).

CARVALHO, J. A. M.; GARCIA, R. A. O envelhecimento da população brasileira: um enfoque
demográfico. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 725-733, maio-jun. 2003.

COX, D. Motives for private income transfers. Journal of Political Economy, v. 95, p.
508-546, 1987.

COX, D.; RANK, M. R. Inter-vivos transfers and intergenerational exchange. The
Review of Economics and Statistics, v. 74, n. 2, p. 305-314, may 1992.

DATASUS(a). Indicadores demográficos. Taxa de fecundidade total. Disponível em:
<http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/idb2008/a05b.htm>. Acesso em: 18 set. 2009.

DUFLO, E. Grandmothers and granddaughters: old-age pensions and intrahousehold
allocation in South Africa. World Bank Economic Review, Oxford, v. 17, n.1, p. 1-25,
jun. 2003.

FERREIRA, A. R. S. Perspectivas da oferta de cuidadores informais da população
idosa, Brasil 2000-2015. 2007. Dissertação (Mestrado em Demografia) – CEDEPLAR,
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2007.

GIACOMIN, K. C.; UCHÔA, E.; FIRMO, J. O. A.; LIMA-COSTA, M. F. Projeto Bambuí:
um estudo de base populacional da prevalência e dos fatores associados à necessidade
de cuidador entre idosos. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro,
v. 21, n.1, p. 80-91, jan.-fev. 2005.

IKKINK, K. K.; TILBURG, T. Broken ties: reciprocity and other factors affecting the
termination of older adults’ relationships. Social Networks, v. 21, p. 131-146, 1999.

INQUIRIES IN THE ECONOMICS OF AGING. Wise ed. Chicago: University of Chicago
Press, 1998. p. 463-485.

LILLARD, L.; WILLIS, R. Motives for intergenerational transfers: evidence from
Malaysia. Demography, v. 34, n. 1, p. 115-34, fev. 1997.

MPAS(b). Informe estatístico, junho de 2008. Secretaria de Previdência Complementar,
Ministério da Previdência Social. Disponível em: <http://www.mpas.gov.br/
spc.php?id_spc=234>. Acesso em: 29 dez. 2009.

PARAHYBA, M. I.; VERAS, R. Diferenciais sociodemográficos no declínio funcional
em mobilidade física entre os idosos no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 13, n. 4,
p.1257-1264, 2008.

PEREZ, E. R.; TURRA, C. M.; QUEIROZ, B. L. Abuelos y nietos, Una a convivencia
beneficiosa para los mas jovenes? El caso de Brasil y Peru. Papeles de Poblacion,
Forthcoming, 2007.

RESTA, D. G.; BUDÓ, M. L. D. A cultura e as formas de cuidar em família na visão de
pacientes e cuidadores domiciliares. ActaScientiarum – Health Sciences Maringá, v.
26, n. 1, p. 53-60, 2004.

SAAD, P. M. Transferência de apoio intergeracional no Brasil e na América Latina. In:
CAMARANO, A. A. (Org.). Os novos idosos brasileiros. Muito além dos 60? Rio de
Janeiro: IPEA, 2004. p. 169-210.

SABE – Salud, Bienestar y Envejecimientoen América Latina y el Caribe. Disponível
em: <http://www.ssc.wisc.edu/sabe/Portugues/home-p.html>. Acesso em: 10 nov. 2009.
TILBURG, V. T. Support networks before and after retirement. Journal of Social and
Personal Relationship (SAGE, London, Newbury Park and New Delhi), v. 9, p. 433-445,
1992.

VERAS, Renato P. Envelhecimento populacional: desafios e inovações necessárias
para o setor saúde. Revista HUPE, v. 7, p. 13-20, 2008.

WELLMAN, B. Applying network analysis to the study of support. In: GOTTLIEB, B.
H. (Ed.). New York: Sage, 1981. p.171-200.

WOLF, D. A. Valuing informal elder care. In: FOLBRE, N.; BITTMAN, M. Family time:
The social organization of care. London: Routledge, 2004.

Downloads

Publicado

2011-09-28

Como Citar

Corrêa, C. S., Queiroz, B. L., & Fazito, D. (2011). Uma investigação sobre as motivações às ajudas entre idosos e seus familiares e amigos em São Paulo, 2000. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 22(1), 64-83. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/oikos/article/view/3611

Edição

Seção

Artigos