Mulheres negras na sociedade de consumo: reflexões sobre processos de enegrecimento

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31423/oikos.v31i2.9363

Palavras-chave:

Enegrecimento, Cotidiano, Consumo

Resumo

O presente estudo buscou entender as relações entre a identidade negra, embranquecimento e cultura de consumo para as mulheres negras. Para tanto, considerou-se a bibliografia existente e o procedimento metodológico privilegiado foi a realização de entrevistas semi-orientadas com uma amostra não-probabilística. A análise e a discussão foram inspiradas na teoria das práticas discursivas e produção de sentidos e apontam para uma tomada de consciência que modifica percepções de situações vivenciadas; há acompreensão da importância de movimentos de fortalecimento e do enegrecimento como forma de resistência. A pesquisa propõe ser instrumento de promoção de autoafirmação para a luta antirracista, com vistas à contribuição para um novo processo de educação e socialização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gioconda Sousa Silva Lima, UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco

Mulher negra, mãe, psicóloga, pós-graduada em Psicologia Organizacional e do Trabalho e mestranda pelo programa de pós-graduação em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social pela UFRPE

Laura Susana Duque Arrazola, UFRPE - Universidade Federal Rural de Pernambuco

Doutora docente do Departamento de Ciências do Consumo e dp Programa de Pós-Graduação em Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social.

Downloads

Publicado

2020-08-22

Como Citar

Lima, G. S. S., & Arrazola, L. S. D. (2020). Mulheres negras na sociedade de consumo: reflexões sobre processos de enegrecimento. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 31(2), 335 - 358. https://doi.org/10.31423/oikos.v31i2.9363