PERFIL FERMENTATIVO DA SILAGEM DE CAPIM-ELEFANTE ADICIONADA DE TORTA DE NABO FORRAGEIRO, PINHÃO MANSO OU TREMOÇO, EM DIFERENTES PROPORÇÕES

  • Arnaldo Prata Neiva Júnior Docente, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Rio Pomba, MG, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-7677-8992
  • José Cleto da Silva Filho Docente, Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG, Brasil.
  • Edílson Rezende Cappelle Docente, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Rio Pomba, MG, Brasil.
  • Valdir Botega Tavares Docente, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Rio Pomba, MG, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-7228-1532
  • Paulo Ricardo Pereira Paula Discente, Zootecnia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Rio Pomba, MG, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-3557-0444
  • William Luiz de Souza Discente, Mestrando, Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, SP, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6814-4911
Palavras-chave: co-produto, conservação, perfil fermentativo

Resumo

 Objetivou-se avaliar a qualidade fermentativa da silagem de capim-elefante (Pennisetum purpureum) adicionada de tortas de nabo forrageiro (Raphanus sativus), de pinhão manso (Jatropha curcas) e
de tremoço (Lupinus albus L). O experimento foi conduzido no Laboratório de Pesquisa Animal da Universidade Federal de Lavras (UFLA), onde os coprodutos foram ensilados em silos experimentais de PVC,
adaptados com válvula tipo Bunsen. O delineamento utilizado foi o inteiramente casualizado (DIC) com três
repetições, onde os tratamentos foram arranjados segundo um esquema de parcelas subdivididas no tempo.
Foi utilizado o esquema fatorial 3x3 + 1, sendo 3 tipos de torta - nabo forrageiro (TNF), pinhão manso (TPM)
e tremoço (TT); 3 níveis de inclusão de torta - 5, 8, e 11% mais 1 tratamento adicional de capim-elefante.
Foram determinados os valores de pH, N-NH3
, poder tampão (PT) e ácido graxos voláteis (AGV´s). Os valores de pH obtidos nas silagens experimentais, com exceção das contendo TPM nos níveis 5 e 11%, e TT no
nível 8% apresentaram valores considerados adequados. Houve efeito (P<0,05) do nível de adição das três
tortas (TNF, TPM e TT) nas silagens de capim elefante, sendo que o menor valor foi observado no nível de
inclusão 5%, para TNF e TT. Já para TPM o menor valor de N-NH3 foi no nível 8%. Os valores médios de PT
indicam que a média do tratamento adicional é superior (P<0,05) à média da combinação dos fatores níveis
e tortas. As silagens contendo TPM, com exceção dos valores de ácido propiônico, não apresentaram valores
satisfatórios para serem classificadas como boas silagens, já que os valores de ácido acético foram superiores a 2% e os de ácido lático não entraram no intervalo de 4 a 6%. As tortas proporcionam perfis fermentativos diferentes para as silagens, indicando redução no PT, sendo que a TNF e TT proporcionaram melhores níveis de ácido lático em silagens de melhor qualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-08-31
Como Citar
Júnior, A. P. N., Silva Filho, J. C. da, Cappelle, E. R., Tavares, V. B., Paula, P. R. P., & Souza, W. L. de. (2020). PERFIL FERMENTATIVO DA SILAGEM DE CAPIM-ELEFANTE ADICIONADA DE TORTA DE NABO FORRAGEIRO, PINHÃO MANSO OU TREMOÇO, EM DIFERENTES PROPORÇÕES. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 10(1), 124-132. https://doi.org/10.21206/rbas.v10i1.8369