ANÁLISE DA CONCENTRAÇÃO DE AMÔNIA EM GALPÕES DE FRANGO DE CORTE SUBMETIDOS A DIFERENTES DIETAS

Keles Regina Antony Inoue, Ilda de Fátima Ferreira Tinôco, Deborah Cunha Cassuce, Mateus Marques Bueno, Alfredo Lora Graña

Resumo


O apelo ambiental à redução de gases nocivos ao meio ambiente vem gerando uma adaptação aos meios de produção e a criação de novos modelos. Objetivou - se com o estudo monitorar a concentração de amônia, em um galpão experimental para frangos de corte, localizado no Departamento de Zootecnia da UFV, com 800 aves distribuídas em 40 boxes, sendo 20 aves em cada boxe, submetidas a cinco diferentes rações, que constituíram os tratamentos e 4 repetições. T1 - Ração com elevado nível de proteína e suplementação mínima de aminoácidos; T2 – Ração baseada no conceito de proteína ideal; T3 - T1 com suplementação de Fitase; T4 - T1 com suplementação de minerais orgânicos e; T5 combinação dos tratamentos T2, T3 e T4. O Monitoramento da concentração de amônia nos diferentes tratamentos foi realizado com sensor eletroquímico da marca Quest, modelo Safecheck 100. As maiores concentrações de amônia foram detectadas nas últimas semanas antes do abate, em função do desenvolvimento das aves. Maiores níveis foram encontrados no T1 e menores níveis de nos T2 e T5. Os tratamentos, compostos de proteína ideal (T2 e T5), que ofereceram um melhor perfil aminoacídico, favoreceram a redução da perda de nitrogênio, o que reduziu a produção de ácido úrico na cama e, conseqüentemente, a emissão de amônia no galpão. A adição da fitase e minerais orgânicos aumentaram a disponibilidade da proteína para o organismo do animal. A concentração máxima de amônia recomendada internamente às instalações é de 20 ppm, sendo assim, em nenhum dos tratamentos observou-se níveis médios superiores aos limites permitidos para os animais.

Palavras-chave


amônia, poluição do ar, nutrição

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13083/reveng.v20i1.199

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Licença Creative Commons

Revista Engenharia na Agricultura / Engineering in Agriculture | Viçosa, MG, ISSN 2175-6813