MANEJO DA IRRIGAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE MINIMILHO POR EVAPOTRANSPIRAÇÃO

Autores

  • Adriana Maria Meneghetti
  • Lúcia Helena Pereira Nóbrega
  • Reginaldo Ferreira Santos

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v16i3.36

Palavras-chave:

lâminas de irrigação, tanque classe A, dados de produção

Resumo

Lâminas de irrigação em cultivo de minimilho, determinadas pela evapotranspiração da cultura, baseadas na evaporação do tanque classe A, foram aplicadas ao se atingir valores acumulados de 15, 30, 45 e 60 mm, com delineamento estatístico inteiramente casualizado, quatro tratamentos e cinco repetições. Resultados foram submetidos à análise de variância e médias comparadas em nível de 5 % de significância pelo teste de Tukey e análise de regressão. Selecionou-se cinco plantas por parcela para análise do número de espigas por planta (NE), estatura de inserção da primeira espiga (EI), comprimento da espiga com (CECP) e sem palha (CESP), diâmetro da espiga com (DECP) e sem palha (DESP), massa da espiga com (MECP) e sem palha (MESP), número de fileira de grãos por espiga (NF E-1) e número de espigas com 360g (NE360). Quanto maior a lâmina e maior a freqüência de aplicação, maior NE, EI, NF E-1 e NE360, e menor CECP, CESP, DECP, DESP, MECP, MESP. Melhores resultados comerciais foram obtidos com 15 mm com aproveitamento de 18 % das espiguetas. A irrigação deve ser realizada quando a evapotranspiração da cultura indicar valores acumulados de 15 a 30 mm. A utilização de valores maiores ocasiona redução na produtividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Meneghetti, A. M., Nóbrega, L. H. P., & Santos, R. F. (2008). MANEJO DA IRRIGAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE MINIMILHO POR EVAPOTRANSPIRAÇÃO. Revista Engenharia Na Agricultura - Reveng, 16(3). https://doi.org/10.13083/reveng.v16i3.36

Edição

Seção

Recursos Hídricos e Ambientais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)