ISOTERMAS DE DESSORÇÃO DE SEMENTES DE BETERRABA

Autores

  • Paulo Cesar Corrêa
  • Gabriel Henrique Horta de Oliveira
  • Ana Paula Lelis Rodrigues de Oliveira
  • André Luis Duarte Goneli
  • Fernando Mendes Botelho

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v24i1.619

Palavras-chave:

Beta vulgaris, equilíbrio higroscópico, modelagem matemática

Resumo

Alterações físicas e químicas de produtos agrícolas podem ocorrer durante o armazenamento, levando à perdas quantitativas e qualitativas. Portanto, o conhecimento acerca da relação entre o produto, a temperatura (T) e a umidade relativa (UR) do ambiente é necessário para diminuir possíveis alterações. Dito isto, este trabalho objetivou determinar o modelo matemático mais adequado para predizer o teor de água de equilíbrio (Xeq) de sementes de beterraba, cv. “Chata do Egito”, em diferentes T e UR. Xeq foi alcançado por meio do método estático, utilizando soluções salinas saturadas, com valores de UR entre 11 e 96 %. Sementes foram colocadas no interior de dessecadores contendo as soluções salinas, posteriormente armazenadas em câmaras BOD em diferentes T (10; 20; 30; 40 e 50 ºC). Xeq foi obtido quando a variação entre três pesagens consecutivas fosse igual ou menor a 0,01 g. O teor de água foi determinado pelo método gravimétrico usando estufa a 105 ± 1°C até a massa constante. Cinco modelos matemáticos (Chung Pfost, Copace, Halsey Modificado, Henderson e Henderson Modificado) foram ajustados aos dados experimentais de Xeq. O modelo mais adequado foi escolhido considerando a magnitude do erro médio relativo (MRE), desvio padrão da estimativa (SE) e análise de resíduos. O modelo de Chung-Pfost foi o que mais se ajustou aos dados experimentais, apresentando valores de 8,04 % e 0,62 % b.s. de MRE e SE, respectivamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-05-04

Como Citar

Corrêa, P. C., Oliveira, G. H. H. de, Oliveira, A. P. L. R. de, Goneli, A. L. D., & Botelho, F. M. (2016). ISOTERMAS DE DESSORÇÃO DE SEMENTES DE BETERRABA. Revista Engenharia Na Agricultura - Reveng, 24(1), 15-21. https://doi.org/10.13083/reveng.v24i1.619

Edição

Seção

Armazenamento e Processamento de Produtos Agrícolas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)