CINÉTICA DE SECAGEM DE GRÃOS DE QUINOA (Chenopodium quinoa W.)

Autores

  • Eder Stolben Moscon
  • Samuel Martin
  • Carlos Roberto Spehar
  • Ivano Alessandro Devilla
  • Francisco Rodolfo Junior

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v25i4.773

Palavras-chave:

dessorção, modelagem matemática, pseudocereal

Resumo

A secagem é um processo pós-colheita largamente utilizada para o controle e a manutenção da qualidade de produtos agrícolas. Com este estudo se objetivou analisar a secagem de grãos de quinoa e ajustar modelos matemáticos existentes aos valores experimentais de razão do teor de água. Este estudo foi realizado entre Abril e Agosto de 2014. O teor de água inicial variou entre 28,32 e 27,48% b.s., sendo os grãos submetidos a secagem em estufa com circulação forçada de ar nas temperaturas de 40, 50, 60 e 70 °C, até atingirem teores de água entre 8,94 a 5,76% b.s. Treze modelos matemáticos foram ajustados aos dados experimentais. Foram consideradas as magnitudes do coeficiente de determinação (R2), erro médio relativo (P) e do desvio padrão da estimativa (SE), e ainda a facilidade de uso do modelo. Com base nos resultados obtidos, concluiu-se que os modelos de Page, Midilli e Logarítmico foram os que apresentaram coeficientes estatísticos mais satisfatórios para descrever as curvas de secagem de quinoa, em todas as temperaturas estudadas. O modelo de Page foi selecionado para descrever as curvas de secagem de quinoa devido a simplicidade de uso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-11-01

Como Citar

Moscon, E. S., Martin, S., Spehar, C. R., Devilla, I. A., & Junior, F. R. (2017). CINÉTICA DE SECAGEM DE GRÃOS DE QUINOA (Chenopodium quinoa W.). Revista Engenharia Na Agricultura - REVENG, 25(4), 318–325. https://doi.org/10.13083/reveng.v25i4.773

Edição

Seção

Armazenamento e Processamento de Produtos Agrícolas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.