Caminhos da reforma do Ensino Médio (Lei nº 13.415/2017) nos Institutos Federais: 2019 – 2022

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47328/rpv.v13i2.16890

Palavras-chave:

reforma do ensino médio, Institutos Federais, ensino médio integrado

Resumo

O objetivo do artigo é evidenciar a presença de elementos da reforma do ensino médio empreendida por meio da Lei nº 13.415/2017 nos Institutos Federais (IF), especificamente nos cursos integrados. A hipótese inicial, que se viu confirmada, é de que a reforma desenha um quadro de flexibilização curricular que resulta em desregulamentação da educação profissional e tecnológica e fragilização da concepção de formação integral que são elementos fundamentais e estruturantes dessas instituições. Por meio da análise documental de 243 Projetos Pedagógicos de Cursos (PPC) técnicos integrados ao ensino médio, constatou-se a presença dos seguintes elementos da reforma na organização dos cursos nos IF analisados: o limite de 1.800 horas definido para a formação geral e básica em consonância com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC); a secundarização e/ou desaparecimento de determinadas disciplinas e áreas do conhecimento na organização das propostas curriculares; e a presença de carga horária a distância. Restou demonstrada, por fim, a incompatibilidade entre a reforma do ensino médio e a concepção de formação presente nos cursos técnicos integrados dos IF.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAUJO, A. C. Ensino médio integrado ou ensino médio em "migalhas": a reforma no contexto dos Institutos Federais de Educação. 2022. 153 f. Relatório de Pesquisa (Estágio Pós-Doutoral em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2022.

BRASIL. Lei nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2008]. Disponível em: https://cutt.ly/vnaKWTR. Acesso em: 27 dez. 2023.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis ns. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Brasília, DF: Presidência da República, [2017]. Disponível em: https://cutt.ly/AnaK7Q4. Acesso em: 25 mai. 2023.

BRASIL. Resolução nº 6, de 20 de setembro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional e Técnica de Nível Médio. Brasília, DF: Ministério da Educação, [2012]. Disponível em: https://cutt.ly/tnaZTCs. Acesso em: 27 nov. 2022.

BRASIL. Resolução nº 3, de 21 de novembro de 2018. Atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília, DF: Ministério da Educação, [2018]. Disponível em: https://cutt.ly/KnaLQ7l. Acesso em: 22 mar. 2020.

BRASIL. Resolução nº 1, de 5 de janeiro de 2021. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, DF: Ministério da Educação, [2021]. Disponível em: https://cutt.ly/7naLXhC. Acesso em 3 abr. 2023.

BRASIL. Exposição de Motivos da Medida Provisória nº 746, de 22 de setembro de 2016. Institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e a Lei nº 11.494 de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: https://cutt.ly/SnaLdPM. Acesso em: 1 set. 2020.

BRASIL. Catálogo Nacional de Cursos Técnicos. 4ª edição, set. 2022. Brasília, DF: Ministério da Educação, [2022]. Disponível em: http://cnct.mec.gov.br/. Acesso em: 02 out. 2022.

EVANGELISTA, O. Apontamentos para o trabalho com documentos de políticas educacionais. In: ARAÚJO, Ronaldo Marcos de Lima; RODRIGUES, Doriedson S. (Orgs.). A pesquisa em trabalho, educação e políticas educacionais. Campinas: Alínea, 2012. p. 52-71

FARACO, C. A. Área de linguagem: algumas contribuições para sua organização. In: KUENZER, Acácia Zeneida (Org.). Ensino médio: construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. 4ª ed. São Paulo: Cortez, 2005. p. 97-131.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FERRETTI, C. J. A reforma do ensino médio: desafios à educação profissional. Holos, [S.L.], v. 4, p. 261-271, 1 nov. 2018a. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN). http://dx.doi.org/10.15628/holos.2018.6975.

FERRETTI, C. J. A reforma do ensino médio e sua questionável concepção de qualidade na educação. Estudos Avançados, Campinas, n. 32, v. 93, p. 25-42, dez. 2018b. Disponível em: https://bityli.com/FurZB. Acesso em: 3 abr. 2019.

FERRETTI, C. J.; KRAWCZYK, N. Flexibilizar para quê? Meias verdades da “reforma”. Retratos da Escola, [S.L.], v. 11, n. 20, p. 33, 9 ago. 2017. Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). http://dx.doi.org/10.22420/rde.v11i20.757.

FREITAS, L. C. A reforma empresarial da educação: nova direita, velhas ideias. 1ª ed. São Paulo: Expressão Popular, 2018.

FRIGOTTO, G. Concepções e mudanças no mundo do trabalho e o ensino médio. In: FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. (Orgs.). Ensino Médio Integrado: concepções e contradições. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2012. p.57-82.

FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. A gênese do Decreto n. 5.154/2004: um debate no contexto controverso da democracia restrita. In: _____(Orgs.). Ensino médio integrado: concepção e contradições. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2012. p. 21-56.

KUENZER, A. Z. Sistema educacional e a formação de trabalhadores: a desqualificação do ensino médio flexível. Ciência & Saúde Coletiva, [S.L.], v. 25, n. 1, p. 57-66, jan. 2020. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232020251.28982019.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao serviço público. 1ª ed. São Paulo: Boitempo, 2019.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. A estabilidade do currículo disciplinar: o caso das ciências. In: LOPES, A. C.; MACEDO, E. (Orgs.). Disciplinas e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002, p. 73-94.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14ª ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

MOURA, D. H. Ensino médio integrado: subsunção aos interesses do capital ou travessia para a formação humana integral? Educação e Pesquisa, [S.L.], v. 39, n. 3, p. 705-720, set. 2013. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1517-97022013000300010.

MOURA, D. H.; LIMA FILHO, D. L. A reforma do ensino médio: regressão de direitos sociais. Retratos da Escola, Brasília, v. 11, n. 20, p. 109-129, jan./jun. 2017. Disponível em: https://bit.ly/2QG9YLt. Acesso em: 11 mar. 2021.

OLIVEIRA, I. B.; FRANGELLA, R. C. P. Com que bases se faz uma base? interrogando a inspiração político-epistemológica da base nacional comum curricular (BNCC). In: SILVA, F. C. T.; FILHA XAVIER, C. (Orgs.). Conhecimentos em disputa na Base Nacional Comum Curricular. Campo Grande: Oeste, 2019. p. 25-34.

SOUZA, B. G.; GARCIA, S. R. O. A Reforma do Ensino Médio e os possíveis impactos no Instituto Federal do Paraná. Jornal de Políticas Educacionais, Curitiba, v. 16, jan. 2022. Disponível em: http://10.5380/jpe.v16i0.83313. Acesso em: 22 mar. 2022.

RAMOS, M. O projeto unitário de ensino médio sob os princípios do trabalho, da ciência e da cultura. In: FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. (Orgs.). Ensino médio: ciência, cultura e trabalho. Brasília: Mec, Setec, 2004. p. 37-52.

Downloads

Publicado

15-05-2024

Como Citar

PAIXÃO, A. E.; SILVA, M. R. da. Caminhos da reforma do Ensino Médio (Lei nº 13.415/2017) nos Institutos Federais: 2019 – 2022. Revista Ponto de Vista, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 01–20, 2024. DOI: 10.47328/rpv.v13i2.16890. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/16890. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)