Efeitos da Qualidade da Governança Pública no Sentimento de Confiança da População em Países da América Latina

Autores

  • Paulo Sergio Almeida-Santos UNB- Universidade de Brasília/Universidade Federal de Mato Grosso https://orcid.org/0000-0003-1297-7233
  • Andreia Carpes Dani FURB- Universidade Regional de Blumenau
  • Cristian Bau Dal Magro FURB.
  • José Matias-Pereira Universidade de Brasília.
  • Vinícius Costa da Silva Zonatto FURB.

DOI:

https://doi.org/10.21118/apgs.v10i4.5518

Palavras-chave:

Sentimento de Confiança. Governança Pública. América Latina.

Resumo

O estudo investiga o efeito da qualidade da governança pública no sentimento de confiança da população em países da América Latina entre 2006 e 2014. Os achados revelam que a população brasileira apresentou maior interesse na política, comparativamente à população dos demais países analisados. O Chile é o país que possui melhores indicadores de qualidade da governança pública, enquanto Colômbia, Argentina e Peru os piores. Os melhores indicadores de confiança no governo são apresentados por Brasil e Uruguai, enquanto os piores por Colômbia e Peru. As evidências encontradas permitem concluir que os atributos da governança pública: menor estabilidade política, maior qualidade regulatória e maior voz e responsabilização, determinam a menor confiança no governo. Os achados revelam a necessidade de ações nestes países, que permitam maior interação entre sociedade e governo, para que se possa melhorar os indicadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Sergio Almeida-Santos, UNB- Universidade de Brasília/Universidade Federal de Mato Grosso

Doutorando em Ciências Contábeis pela Universidade Brasília. Professor da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal de Mato Grosso.

Andreia Carpes Dani, FURB- Universidade Regional de Blumenau

Doutoranda em Ciências Contábeis e Administração pela FURB.

Cristian Bau Dal Magro, FURB.

Doutorando em Ciências Contábeis e Administração pela FURB.

José Matias-Pereira, Universidade de Brasília.

Pós-doutor em Administração pela Universidade de São Paulo. Doutor em ciência política (área de governo e administração pública) pela Universidade
Complutense de Madrid. Professor e pesquisador associado do programa de pós-graduação em Ciências Contábeis da Universidade de Brasília

Vinícius Costa da Silva Zonatto, FURB.

Doutor em iências Contábeis e Professor no programa de pós-graduação da FURB.

Referências

Bouckaert, G. & Van de Walle, S. (2003). Comparing measures of citizen trust and user satisfaction as indicators of ‘good governance’: difficulties in linking trust and satisfaction indicators. International Review of Administrative Sciences, v. 69, n. 3, p. 329-343.

Bovaird, T. & Löffler, E. (2003). Evaluating the quality of public governance: indicators, models and methodologies. International Review of Administrative Sciences, v. 69, n. 3, p. 313-328.

Cheung, A. B. L. (2013). Public governance reform in Hong Kong: Rebuilding trust and governability. International Journal of Public Sector Management, v. 26, n. 5, p. 421-436.

Christensen, T. & Lagreid, P. (2005). Trust in government: The relative importance of service satisfaction, political factors, and demography. Public Performance & Management Review, v. 28, n. 4, p. 487-511.

Delhey, J. & Newton, K. (2005). Predicting cross-national levels of social trust: global pattern or Nordic exceptionalism? European Sociological Review, v. 21, n. 4, p. 311-327.

Heintzman, R. & Marson, B. (2005). People, service and trust: is there a public sector service value chain? International Review of Administrative Sciences, v. 71, n. 4, p. 549-575.

Kikuchi, M. (2008). Assessing government efforts to (Re) build trust in government: challenges and lessons learned from Japanese experiences. Research in Public Policy Analysis and Management, v. 17, p. 201-25.

Kim, S. (2010). Public trust in government in Japan and South Korea: Does the rise of critical citizens matter? Public Administration Review, v. 70, n. 5, p. 801-810.

Kim, S. (2010). Public trust in government in Japan and South Korea: Does the rise of critical citizens matter? Public Administration Review, v. 70, n. 5, p. 801-810.

Kissler, L. & Heidemann, F. G. (2006). Governança pública: novo modelo regulatório para as relações entre Estado, mercado e sociedade? Revista de Administração Pública, v. 40, n. 3, p. 479-499.

Levi, M. (1998). A state of trust. Trust and governance, v. 1, p. 77-101.

Löffler, E. (2001). Governance: Die neue Generation von Staats-und Verwaltungs-modern-isierung. Verwaltung und Management, p. 212-215.

Mimicopoulos, M., Kyj, L., Sormani, N., Bertucci, G. & Qian, H. (2007). Public governance indicators: A literature review. New York, NY: United Nations Department of Economic and Social Affairs.

Mishler, W. & Rose, R. (2001). Political support for incomplete democracies: Realist vs. idealist theories and measures. International Political Science Review, v. 22, n. 4, p. 303-320.

Morris, S. D. & Klesner, J. L. (2010). Corruption and trust: Theoretical considerations and evidence from Mexico. Comparative Political Studies, v. 43, n. 10, p. 1258-1285.

Nye, J. S., Zelikow, P.& King, D. C. (1997). Why people don't trust government. Harvard University Press.

Park, H. & Blenkinsopp, J. (2011). The roles of transparency and trust in the relationship between corruption and citizen satisfaction. International Review of Administrative Sciences, v. 77, n. 2, p. 254-274.

Porumbescu, G. A. (2015). Does transparency improve citizens’ perceptions of government performance? Evidence from Seoul, South Korea. Administration & Society.

Porumbescu, G. A. & Park, Y. (2014). Examining the distinctiveness of antecedents to trust in government. African and Asian Studies, v. 13, n. 3, p. 315-337.

Rennó, L. R. (2001). Confiança interpessoal e comportamento político: micro fundamentos da teoria do capital social na América Latina. Revista Opinião Pública, v. 7, n. 1, p. 33-59.

Rothstein, B. & Teorell, J. (2008). What is quality of government? A theory of impartial government institutions. Governance, v. 21, n. 2, p. 165-190.

Rothstein, B. & Uslaner, E. M. (2005). All for all: Equality, corruption, and social trust. World politics, v. 58, n. 01, p. 41-72.

Uslaner, E. M. (2003). Trust, democracy and governance: Can government policies influence generalized trust? In: Generating social capital. Palgrave Macmillan US, p. 171-190.

Van de Walle, S., Van Roosbroek, S. & Bouckaert, G. (2008). Trust in the public sector: is there any evidence for a long-term decline? International Review of Administrative Sciences, v. 74, n. 1, p. 47-64.

Van Ryzin, G. G. (2005). Expectations, performance, and citizen satisfaction with urban services. Journal of Policy Analysis and Management, v. 23, n. 3, p. 433-448.

Welch, E. W., Hinnant, C. C. & Moon, M. J. (2005). Linking citizen satisfaction with e-government and trust in government. Journal of public administration research and theory, v. 15, n. 3, p. 371-391.

WGI - The Worldwide Governance Indicators. (2015). Disponível em: < http://info.worldbank.org/governance/wgi/index.aspx#home>. Acesso em: 03 jun. 2016.

Downloads

Publicado

2018-10-01

Como Citar

Almeida-Santos, P. S., Dani, A. C., Dal Magro, C. B., Matias-Pereira, J., & Zonatto, V. C. da S. (2018). Efeitos da Qualidade da Governança Pública no Sentimento de Confiança da População em Países da América Latina. Administração Pública E Gestão Social, 10(4), 228–238. https://doi.org/10.21118/apgs.v10i4.5518

Edição

Seção

Transparência, Accountability e Governança Pública

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.