Produções narrativas na formação por alternância: um estudo de caso com estudante da licenciatura em educação do campo

Autores

  • Marcelo Loures Santos Universidade Federal de Viçosa
  • Daniela Queiroz do Prado UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS https://orcid.org/0000-0002-0202-225X

DOI:

https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v12i01.13402

Palavras-chave:

Educação do Campo, Formação Inicial de Professores, Metodologia das Produções Narrativas, Formação por Alternância, Licenciatura em Educação do Campo

Resumo

As licenciaturas em Educação do Campo têm como objetivo formar professores e gestores para atuarem por áreas de conhecimento em escolas situadas no campo. Orientadas pelos princípios da Formação por alternância, esse modelo educacional pressupõe planejamento, estudos e levantamento de informações na comunidade e sua socialização entre educandos e professores. Buscamos discutir as similaridades teórico-metodológicas entre a Formação por alternância, a Metodologia das Produções Narrativas e sua aplicação em estudo de caso com uma estudante do curso de Licenciatura em Educação do Campo da Universidade Federal de Viçosa. Foram realizadas entrevistas narrativas sobre os territórios educativos em sua comunidade, refletindo a trajetória pessoal, história local e contexto nacional. A Metodologia das Produções Narrativas contribui para recuperar diferentes sentidos da experiência educativa, compreender as vicissitudes da educação do campo e atualizar experiências enquanto sujeito do campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Loures Santos, Universidade Federal de Viçosa

Professor Adjunto do Departamento de Educação na Universidade Federal de Viçosa (UFV). Doutor em Psicologia pela PUC-CAMPINAS (2009), mestre em Psicologia Social pela USP-SP (1999), psicólogo pela Universidade Federal de Minas Gerais (1994). Tem experiência em pesquisa, ensino e extensão em educação e junto aos movimentos sociais

Daniela Queiroz do Prado, UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Mestrado em Educação e bolsista de Pesquisa pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Referências

BALASCH, M.; MONTENEGRO, M. Una propuesta metodológica desde la epistemología de los conocimientos situados: las producciones narrativas. Encuentros en Psicología Social, Barcelona, jan. 2003. Disponível em: <https://www.academia.edu/762651/Una_propuesta_metodológica_desde_la_epistemología_de_los_conocimientos_situados_Las_producciones_narrativas>. Acesso em: 5 set. 2021.

CORRÊA, J. L.; NEVES, M. O. Educação do Campo: narrativas que protagonizam práticas de resistência. Ensino Em Perspectivas, Fortaleza, mar. 2021. Disponível em: <https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6055>. Acesso em: 5 maio 2021.

DE CARLI, C. Questão agrária no século XXI: os efeitos do agronegócio para as políticas de reforma agrária no Brasil e em Portugal. Amazônica - Revista de Antropologia, Recife, PE, fev. 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufpa.br/index.php/amazonica/article/view/7359>. Acesso em: 29 out. 2021.

FERNANDES, B. M. A Formação do MST no Brasil. Petrópolis, Vozes, 2000.

FREITAS, H. C. Rumos da Educação do Campo. Em Aberto, Brasília, v. 24, n. 85, p. 35-49, abr. 2011.

GERGEN, K. J. Construcionismo Social, aportes para el debate y la práctica. Bogotá: Universidad de Los Andes, 2007.

GOIKOETXEA, I. G. Tensiones y distensiones en torno a las relaciones de poder en investigaciones feministas con Producciones Narrativas. Quaderns de Psicologia, Barcelona, v. 16, n. 1, p.127-140, 2014.

GIMONET, J. C. Praticar e Compreender a Pedagogia da Alternância dos CEFFAs. Petrópolis, Vozes, 2007.

GOHN, M. G. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 14, n.50, p. 27-38, jan./mar. 2006.

GOHN, M. G. Educação não-formal, educador(a) social e projetos sociais de inclusão social, Meta: Avaliação, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 28-43, jan./abr. 2009.

HAGE, S. A.; SILVA, H. S.; BRITO, M. M. Educação Superior do Campo: Desafios para a Consolidação da Licenciatura em Educação do Campo. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 32, n. 4, p. 147-174. out-dez., 2016

HARAWAY, D. J. Ciencia, Cyborgs y Mujeres: la reinvención de la naturaleza. Madrid: Cátedra, 1995.

HARAWAY, D. J. Testigo_Modesto@ Segundo_Milenio. HombreHembra©_Conoce_Oncorratón®: Feminismo y tecnociencia. Barcelona: UOC, 2004. Colección Nuevas Tecnologías y Sociedad. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2021.

JASMIN. Entrevistas [Interviews]. [fev. a julho de 2015]. Viçosa, 2015. 3 arquivos mp3 (240 min.). Acervo pessoal dos autores.

MARTÍNEZ-GUZMAN, A.; MONTENEGRO, M. La producción de narrativas como herramienta de investigación y acción sobre el dispositivo de sexo/género: Construyendo nuevos relatos. Quaderns de Psicologia, Barcelona, v. 16, n. 1, p. 111-125, 2014.

MELUCCI, A. A invenção do presente: movimentos sociais nas sociedades complexas. Petrópolis, RJ, Vozes, 2001.

MOLINA, M. C.; ANTUNES-ROCHA, M. I. Educação do Campo: história, práticas e desafios no âmbito das políticas de formação de educadores – reflexões sobre o PRONERA e o PROCAMPO. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 22, n. 2, p. 220-253, jul./dez. 2014.

MOLINA, M. C. Expansão das licenciaturas em Educação do Campo: desafios e potencialidades. Educar em Revista, Curitiba, n. 55, p. 145-166, jan. /mar. 2015.

MONCLUS, P. G. Terapia Ocupacional: Una disciplina para la autonomía. Prácticas y discursos de Gubernamentalidad y subjetivación en torno a una ciencia emergente. Barcelona: Universitat Autónoma de Barcelona, 2011.

ROCHA, E. N. Das práticas educativas dos Movimentos do Campo às Políticas Públicas: tramas e artimanhas pela Educação do Campo. 2013, 329 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, UNB, Brasília, 2013.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice: O social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 1995.

SANTOS, B. S. A Universidade no Século XXI. São Paulo: Cortez, 2005.

SANTOS, B. S. A Crítica da Razão Indolente: contra o desperdício da experiência. São Paulo: Cortez, 2011.

SANTOS, M. L.; BARBOSA, W. A.; KÖLLN, M. Programa de Extensão TEIA/UFV: Formação Universitária para uma Ecologia de Saberes. Educação em Revista. Belo Horizonte, v. 29, n. 4, p. 69-98, dez. 2013.

TEIXEIRA, E. S; BERNARTT, M. L.; TRINDADE, G. A. Estudos Sobre Pedagogia da Alternância no Brasil: revisão da literatura e perspectivas para a pesquisa, Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 34, n. 2, p. 227-242, maio/ago 2008.

TOURAINE, A. Crítica da Modernidade. Petrópolis: Vozes, 2002.

UNICEF. Acesso, permanência, aprendizagem e conclusão da Educação Básica na idade certa – Direito de todas e de cada uma das crianças e dos adolescentes. Brasília: UNICEF, 2012. Disponível em: <http://www.unicef.org/brazil/pt/br_oosc_ago12.pdf>. Acesso em: 22 mar. 2016.

YIN, Robert K. Estudo de Caso: Planejamento e método. Porto Alegre, Bookman, 2010.

Publicado

2023-11-22

Como Citar

SANTOS, M. L.; QUEIROZ DO PRADO, D. Produções narrativas na formação por alternância: um estudo de caso com estudante da licenciatura em educação do campo. Educação em Perspectiva, Viçosa, MG, v. 12, p. e021007, 2023. DOI: 10.22294/eduper/ppge/ufv.v12i01.13402. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/13402. Acesso em: 22 fev. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)