Percepções de profissionais sobre a violência contra as mulheres nos serviços de proteção no município de São João del-Rei – MG

Palavras-chave: Violência Contra as Mulheres. Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher. Centro de Referência Especializada em Assistência Social. Rede de Atendimento.

Resumo

Este artigo apresenta as percepções dos profissionais que atuam nos serviços de atendimento às mulheres em situação de violência no município de São João del-Rei/MG. A pesquisa teve como base teórica a Política Nacional e o Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, que propõem, em linhas gerais, a articulação entre os serviços e o fortalecimento de uma rede de apoio que visa o enfrentamento à violência contra as mulheres. O estudo consistiu em uma pesquisa quali-quantitativa na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher e no Centro de Referência Especializada em Assistência Social da Cidade da São Joao del-Rei. Percebeu-se pelos dados obtidos uma situação preocupante em termos de violência na referida cidade, além de alguns entraves no seu enfrentamento, como: ausência de capacitação e especialização dos profissionais; inexistência de uma rede articulada; e escassez de ações municipais baseadas na Política e no Pacto Nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Caroline Matos Soares, Universidade Federal de Viçosa

Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Ouro Preto( UFOP). Especialista em Política de Assistência Social/SUAS. Mestra em Economia Doméstica pela Universidade Federal de Viçosa (UFV).Suas principais áreas de pesquisa e atuação são: gênero, assistência e saúde mental.

Marcia Barroso Fontes, Universidade Federal de Viçosa

Possui graduação e mestrado em Economia Doméstica pela Universidade Federal de Viçosa. Atualmente é professora Adjunto III da UFV, doutora em Demografia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Membro do grupo de pesquisa Famílias, Políticas Públicas, Desenvolvimento Humano e Social do DED/UFV. Tem experiência na área de Família, atuando principalmente nas temáticas relacionadas a políticas sociais, mudanças demográficas e economia domiciliar, composição e arranjos domiciliares, abordagem quali quanti e trabalho / família.

Referências

ANDRADE, Luciana Vieira Rubim; CAMPOS, Mariana de Lima. A institucionalização de políticas de enfrentamento às violências contra as mulheres em minas gerais: conquistas, entraves e desafios. Feminismos, v. 6, n 1, p. 78-89, 2018.

ARAÚJO, Annamaria da Silva. Política Social Pública De Enfrentamento A Violência Contra A Mulher: uma tentativa de garantia dos direitos humanos das mulheres. In: V Jornada Internacional de Políticas Públicas. São Luís, Brasil,2011.

ARRUZZA, Cinzia. Considerações sobre gênero: reabrindo o debate sobre patriarcado e/ou capitalismo. Revista Outubro, n. 23, p. 33-58, 2015. Disponível em: http://outubrorevista.com.br/ wpcontent/uploads/2015/06/2015_1_04_Cinzia-Arruza.pdf

BANDEIRA, Lourdes Maria. Três décadas de resistência feminista contra o sexismo e a
Violência feminina no Brasil: 1976 a 2006. Sociedade e Estado, v. 24, n. 2, p. 401-438, 2009.

BANDEIRA, LOURDES Maria; DE ALMEIDA, Tânia Mara Campos. A transversalidade de gênero nas políticas públicas. Revista do CEAM, v. 2, n. 1, p. 35, 2013.

BRASIL. Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres. Rede de enfrentamento à violência contra as mulheres. Brasília: SPM, 2011. Disponível em: http://www.spm.gov.br/sobre/publicacoes/publicacoes/2011/rede-de-enfrentamento

CAMPOS, Mariana de Lima. BRASIL, Flávia de Paula Duque. Mulheres do campo e políticas voltadas para o enfrentamento da violência: Um estudo com foco nas ações desenvolvidas em Minas Gerais. Seminário Internacional Fazendo Gênero, Florianópolis, 2017.

COSTA, Ana Alice Alcantara; SARDENBERG, Cecilia Maria Bacellar. (Org.). Introdução. In: O feminismo no Brasil: reflexões teóricas e perspectivas. Salvador: UFBA/NEIM, 2008. pp. 23-31. Disponível em: http://www.neim.ufba.br/wp/wp-content/uploads/2013/11/feminismovinteanos.pdf

GREGORI, Maria Filomena. Cenas e Queixas: um estudo sobre mulheres, relações violentas e práticas femininas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1993.

MATOS, Marlise. Quarta onda feminista e o Campo crítico-emancipatório das diferenças no Brasil: entre a destradicionalização social e o neoconservadorismo político. Encontro Anual da ANPOCS, 2014. Anais... Caxambu, 2014.

MARTINS, Ana Paula Antunes; CERQUEIRA, Daniel; MATOS, Maria Vieira Martins. A institucionalização das políticas públicas de enfrentamento à violência contra as mulheres no Brasil (versão preliminar). Nota Técnica n. 13. Brasília: IPEA, 2015.

PASINATO, Wânia; SANTOS Cecilia MacDowell. Mapeamento das Delegacias da Mulher no Brasil. Campinas: PAGU/UNICAMP; 2008. Disponível em: http//www.observatorioseguranca.org/pdf/MAPEO_Brasil[1].pdf

PASINATO, Wânia. Oito anos de Lei Maria da Penha. Entre avanços, obstáculos e
desafios. Estudos Feministas, v. 23, n. 2, 2015.

PASINATO Wânia. Atendimento às mulheres em situação de violência em Belo Horizonte. In: LEOCÁDIO, Elcylene e LIBARDONI, Marlene (org.). O desafio de construir redes de atenção às mulheres em situação de violência. Brasilia: Agende, 2006.

REZENDE, Daniela Leandra; ANDRADE, Luciana Vieira Rubim. Rede não especializada de atendimento à mulher em situação de violência em Viçosa, Minas Gerais. Revista de C. Humanas. Viçosa, v 14, n. 1, p. 207-225, 2014.

RIBEIRO, Daniella Borges. ROSA, Edinete Maria. Os serviços de atendimento à mulher em situação de violência no município de Serra/ES. Revista Textos & Contextos. Porto Alegre, v. 9, n. 1, 2010.

SANTOS, Cecília MacDowell. Da delegacia da mulher à Lei Maria da Penha: absorção/tradução de demandas feministas pelo Estado. Revista crítica de ciências sociais, n. 89, p. 153-170, 2010. Disponível em: https://journals.openedition.org/rccs/3759

SILVA, Rosa Maria Frugoli A Delegacia dos Fundos: uma etnografia na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher. São Paulo, 2017.

SILVEIRA, Lenira Politano da. “Serviços de atendimento a mulheres vítimas de violência”. In: DINIZ, Simone G. et al. (Org.) Vinte e cinco anos de respostas brasileiras em violência contra a mulher (1980-2005): alcances e limites. São Paulo: Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde, 2006. p. 45-77

SOUZA, Viviana Monteiro Costa; CORDEIRO, Rosineide de Loudes Meira. Os desafios das redes de enfrentamento à violência doméstica no Recife. Ciências humanas e sociais, v. 1, n. 3, p. 91-109. Recife, 2014.
Publicado
2020-06-03
Como Citar
Matos Soares, A. C., & Barroso Fontes, M. (2020). Percepções de profissionais sobre a violência contra as mulheres nos serviços de proteção no município de São João del-Rei – MG. Oikos: Família E Sociedade Em Debate, 31(1), 76-95. https://doi.org/10.31423/oikos.v31i1.10036