DESENVOLVIMENTO DA SOJA COM APLICAÇÕES DE HORMÔNIOS EM DIFERENTES DENSIDADES DE CULTIVO

Autores

  • Sydney Antonio Frehner Kavalco EPAGRI.
  • Velci Queiróz de Souza Universidade Federal de Santa Maria.
  • Diego Nicolau Follmann Universidade Federal de Santa Maria.
  • Ivan Ricardo Carvalho Universidade Federal de Santa Maria.
  • Maicon Nardino Universidade Federal de Pelotas.
  • Gustavo Henrique Demari Universidade Federal de Pelotas.

DOI:

https://doi.org/10.21206/rbas.v4i2.265

Resumo

Objetivou-se com este trabalho determinar os efeitos diretos e indiretos fenotípicos das plantas de soja submetidas a diferentes concentrações de hormônios e densidades de cultivo. Este experimento foi
conduzido em 2013/2014 na Universidade Federal de Santa Maria Campus de Frederico Westphalen. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso organizado em esquema fatorial, sendo três densidades de cultivo,
quatro concentrações de hormônios, dispostos em três repetições. As densidades utilizadas foram 110.000, 180.000 e 245.000 plantas ha-1. As concentrações de hormônios utilizadas correspondem a: (I) Ausência de aplicação, (II) 250 ml ha-1 de Stimulate® aplicado em V5, (III) 500 ml ha-1 de Stimulate® aplicado em R1, (IV) 750 ml ha-1 de Stimulate® aplicado em R5. A análise de variância revelou interação significativa entre densidades de cultivo x concentrações de hormônios para as variáveis RG, IPL, NLR, NRH, NRR, NR, CR,
NL1, NL2, NL3 e MMG. Ausência de interação foi evidenciada para os caracteres AH e NLH. A utilização de hormônios na dose de 750 ml ha-1 aplicado no estádio R5 da soja contribuiu para o incremento dos caracteres NLH, NRR, NR, CR, NL1, NL2 quando utilizou-se a densidade de 110.000 plantas ha-1. O rendimento de grãos não foi influenciado pelas concentrações de hormônios, mas a densidade de cultivo de 245.000 plantas ha-1 evidenciou superioridade para este caráter. Efeitos diretos positivos ao rendimento de grãos foram revelados através dos caracteres NLH e MMG, e negativos por meio de NLR, NRH, NRR e NL3.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sydney Antonio Frehner Kavalco, EPAGRI.

Engenheiro Agrônomo, EPAGRI.

Velci Queiróz de Souza, Universidade Federal de Santa Maria.

Engenheiro Agrônomo, Universidade Federal de Santa Maria.

Diego Nicolau Follmann, Universidade Federal de Santa Maria.

Engenheiro Agrônomo, Universidade Federal de Santa Maria.

Ivan Ricardo Carvalho, Universidade Federal de Santa Maria.

Engenheiro Agrônomo, Universidade Federal de Santa Maria.

Maicon Nardino, Universidade Federal de Pelotas.

Engenheiro Agrônomo, Universidade Federal de Pelotas.

Gustavo Henrique Demari, Universidade Federal de Pelotas.

Engenheiro Agrônomo, Universidade Federal de Pelotas.

Referências

ALCANTARA NETO, F. et al. Análise de trilha do rendimento de grãos de soja na microrregião do Alto Médio Gurguéia. Comunicata Scientiae, v.2, n.2, p.107-112, 2011.

ALLEONI, B.; BOSQUEIRO, M.; ROSSI, M. Efeito do regulador vegetal Stimulate no desenvolvimento e produtividade do feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.). Publicatio Uepg, v.6, p.23-25, 2000.

CARVALHO, S.P. Métodos alternativos de estimação de coeficientes de trilha e índices de seleção, sob multicolinearidade. Viçosa: UFV, 1995. 163p.

CARVALHO, E.A.; REZENDE, P.M. Avaliação de cultivares de soja [Glycine max (L.) Merrill] para o Sul de Minas Gerais. Ciência e
Agrotecnologia, v.31, p.1616-1623, 2007.

CARVALHO, F.I.F.; LORENCETTI, C.; BENIN, G. Estimativas e implicações da correlação no melhoramento vegetal. Pelotas: Universidade Federal de Pelotas, 2004.142p.

CASTRO, P.R.C.; APPEZZATTO, B.; LARA, C.W.A.R. et al. Ação de reguladores vegetais no desenvolvimento, aspectos nutricional,
anatômicos e na produtividade do feijoeiro (Phaseolus vulgaris) cv. Carioca. Anais ESALQ, v.47, p.11-28, 1990.

CASTRO, P.R.C. Agroquímicos de controle hormonal na agricultura tropical. Piracicaba, 2006. 46p.

COIMBRA, J.L.M. Consequências da multicolinearidade sobre a análise de trilha em canola. Ciência Rural, v.35, p.347-352, 2005.

CONAB. Acompanhamento da safra brasileira de grãos. Brasília, 2013.
CRUZ, C.D.; CARNEIRO, P.C.S. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. Viçosa, UFV, 2003.585p.

CRUZ, C.D. Programa GENES: biometria. Viçosa: UFV, 2006. 382p.

CRUZ, C.D.; REGAZZI, A.J. Modelos biométricos aplicados ao
melhoramento genético. Viçosa, UFV, 1994. 390p.

GONDIM, T.C.O.; ROCHA, V.S.; SEDIYAMA, C. et al. Análise de trilha para componentes do rendimento e caracteres agronômicos de trigo sob
desfolha. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.43, n.4, p.487-493, 2008.

KAVALCO, S.A.F. et al. Análise de trilha em genótipos de trigo submetidos ao estresse por encharcamento. Semina: Ciências
Agrárias, Londrina, v.35, n.4, p.1683-1696, jul./ ago. 2014.

MAUAD, M.; SILVA, T.L.B.; NETO, A.I. et al. Influência da densidade de semeadura sobre características agronômicas na cultura da soja. Agrarian, v.3, p.175-181, 2010.

NAVARRO JUNIOR, H.M.; COSTA, J.A. Contribuição relativa dos componentes do rendimento para produção de grãos em soja.
Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.37, p.269-274, 2002.

PEIXOTO, C.P.; CÂMARA, G.M.S.; MARTINS, M.C. et al. Épocas de semeadura e densidade de plantas de soja: I. Componentes da produção e rendimentos de grãos. Scientia Agricola, v.57, p.89-96, 2000.

VENCOVSKY, R.; BARRIGA, P. Genética biométrica no fitomelhoramento.
Ribeirão Preto, Sociedade Brasileira de Genética, 1992. 496p.

VESOHOSKI, F.; MARCHIORO, V.S.; FRANCO, F.A. et al. Componentes do rendimento de grãos em trigo e seus efeitos diretos e indiretos na
produtividade. Revista Ceres, Viçosa, v.58, n.3, p.337-341, 2011.

WRIGHT, S. Correlation and causation. Journal of Agricultural Research, v.20, p.557-585, 1921.

Downloads

Publicado

2014-12-30

Como Citar

Kavalco, S. A. F., Souza, V. Q. de, Follmann, D. N., Carvalho, I. R., Nardino, M., & Demari, G. H. (2014). DESENVOLVIMENTO DA SOJA COM APLICAÇÕES DE HORMÔNIOS EM DIFERENTES DENSIDADES DE CULTIVO. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 4(2). https://doi.org/10.21206/rbas.v4i2.265

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)