CONSERVAÇÃO PÓS-CHOLHEITA DE MAXIXE (Cucumis anguria) SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO.

  • Antonia Mirian Nogueira de Moura Guerra Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra https://orcid.org/0000-0001-9475-306X
  • Deyse dos Santos Silva Discente do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra, Av. 23 de Agosto s/nº, Bairro Assunção, CEP: 47100-000, Barra – BA.
  • Régila Santos Evangelista Discente do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra, Av. 23 de Agosto s/nº, Bairro Assunção, CEP: 47100-000, Barra – BA. https://orcid.org/0000-0001-5739-6382
  • Maria Gabriela Magalhães Silva Discente do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra, Av. 23 de Agosto s/nº, Bairro Assunção, CEP: 47100-000, Barra – BA. https://orcid.org/0000-0001-5878-634X
Palavras-chave: Atmosfera modificada, Perda de massa, Vida pós-colheita.

Resumo

O objetivo avaliar a influência das condições de armazenamento sobre a vida pós-colheita de maxixes. Foram avaliados os maxixes armazenados sem embalagem a 10 ºC, sem embalagem a 25 ºC, com saco plástico a 10 ºC, com saco plástico a 25 ºC, em bandeja de poliestireno + PVC a 10 ºC e em bandeja + PVC a 25 ºC. Os períodos de armazenamento foram de 0, 3, 6, 9 e 12 dias consecutivos. Ao final do período de armazenamento, os frutos acondicionados em bandeja + PVC a 10 °C apresentavam-se em boas condições de consumo. O acondicionamento em bandeja + PVC a 10 °C foi a condição que permitiu o retardamento do escurecimento dos frutos, sendo que ao 12 dias de armazenamento os frutos apresentavam-se em boas condições para consumo. O acondicionamento em sacos plásticos a 10 °C as perdas de massa foram inferiores a 5% aos 12 dias de avaliação. O acondicionamento do maxixe em sacos plásticos e bandeja + PVC ambas a 10 ºC proporcionaram pH ácido ao final do período de armazenamento. As embalagens estudadas, quando associadas à baixa temperatura de armazenamento, mostraram-se eficientes em retardar a redução nos teores de vitamina C nos frutos de maxixe. Os teores de pigmentos não foram influenciados pelas condições de armazenamento, entretanto, o período de armazenamento ocasionou reduções nos teores de clorofilas e incrementos nos de carotenóides.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonia Mirian Nogueira de Moura Guerra, Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra
Engª. Agrª., D.Sc., Professora da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra
Deyse dos Santos Silva, Discente do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra, Av. 23 de Agosto s/nº, Bairro Assunção, CEP: 47100-000, Barra – BA.

Discente do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra, Av. 23 de Agosto s/nº, Bairro Assunção, CEP: 47100-000, Barra – BA.

Régila Santos Evangelista, Discente do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra, Av. 23 de Agosto s/nº, Bairro Assunção, CEP: 47100-000, Barra – BA.

Discente do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra, Av. 23 de Agosto s/nº, Bairro Assunção, CEP: 47100-000, Barra – BA.

Maria Gabriela Magalhães Silva, Discente do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra, Av. 23 de Agosto s/nº, Bairro Assunção, CEP: 47100-000, Barra – BA.

Discente do curso de Agronomia da Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro Multidisciplinar Campus de Barra, Av. 23 de Agosto s/nº, Bairro Assunção, CEP: 47100-000, Barra – BA.

Referências

ÁLVARES, V.S. 2006. Pré-resfriamento, embalagem e hidratação pós-colheita de salsinha. 161f. Dissertação (Doutorado em Fitotecnia) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG.

ANDRADE JÚNIOR, V.C.; GUIMARÃES, A.G.; AZEVEDO, A.M.; PINTO, N.A.V.D.; FERREIRA, M.A.M. Conservação pós-colheita de frutos de morangueiro em diferentes condições de armazenamento. Horticultura Brasileira, v. 34, n. 3, p. 405-411, 2016.

ARRUDA, M.C.; BLAT, S.F.; OJEDA, R.M.; CALIXTO, M.C.; TESSARIOLI NETO, J. Conservação de raízes de beterraba cv. early wonder sob atmosfera modificada. Revista brasileira Agrociência, v. 10, n. 2, p. 255-257, 2004.

BRACKMANN, A.; STEFFENS, C.A.; GIEHL, R.F.H. Indução da perda de massa fresca e a ocorrência de distúrbios fisiológicos em maçãs ‘Royal Gala’ durante o armazenamento em atmosfera controlada. Revista Brasileira de Armazenamento, v. 32, n. 2, p. 87-92, 2007.

BRACKMANN, A.; PAVANELLO, E.P.; BOTH, V.; JANISCH, D.I.; SCHMITT, O.J.; GIMÉNEZ, G. Avaliação de genótipos de morangueiro quanto à qualidade e potencial de armazenamento. Revista Ceres, v. 58, p. 542-547, 2011.

BRODY, A.L. Envasado de alimentos en atmosferas controladas, modificadas y vacio. Zaragoza: Acribia. 220p. 1996.

CALEGARO, J.J., PEZZI, E., BENDER, R.J. Utilização de atmosfera modificada na conservação de morangos em pós-colheita. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 37, p. 1049-1055, 2002.

CERQUEIRA, A.P. Conservação pós-colheita de pimentas-de-cheiro (capsicum chinense) armazenadas sob atmosfera modificada e refrigeração. 51 p. Dissertação (Mestrado em Produção Vegetal) – Universidade Federal do Tocantins, Gurupi, TO, 2012.

CHITARRA, M.I.F.; CHITARRA, A.B. Pós-colheita de frutos e hortaliças: fisiologia e manuseio. 2 ed., Lavras: Ed UFLA. 785 p. 2005.

FERREIRA, D.F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, v. 35, p. 1039-1042, 2011.

FERREIRA, M.D. Redução nas perdas pós-colheita em frutas e hortaliças: Um grande desafio. Embrapa Instrumentação - Capítulo em livro técnico (INFOTECA-E), 2017. Disponível em: < https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/handle/doc/1084319> Acesso em 18/07/2019.

FILGUEIRA, F.A.R. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 3. ed. Viçosa: UFV. 421 p. 2008.

GUSTAVSSON, J.; CEDERBERG, C.; SONESSON, U.; VAN OTTERDIJK, R.; MEYBECK, A. 2011. Global Food Losses and Food Waste Section. In: International Congress “Save Food!” at Interpack 2011, Düsseldorf, Germany. FAO, Rural Infrastructure and Agro-Industries Division. p. 29.

HARDENBURG, R.E.; WATADA, A.E.; WANG, C.Y. 1986. The comercial storage of fruits, vegetables, and florist and nursery stocks. Washington: U.S. Department Agriculture. 130p. (Handbook, 66).

IAL - Instituto Adolfo Lutz. 2008. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. São Paulo: Ed. Digital.

KALBASI-ASHTARI, A. 2004. Effects of post-harvest pre-cooling processes and cyclical heat treatment on the plysico-chemical properties of “Red Haven Peaches” and “Shahmavch Pears” during cold storage. Agricultural Engineering International: the CIGR Journal of Scientific Researh and Development, 6, July.

LEMOS, O.L. 2011. Utilização de biofilmes comestíveis na conservação pós-colheita do pimentão ‘Magali R’. 141f. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Vitória da Conquista- BA, 2011.

LICHTENTHALER, H.K. 1987. Chlorophylls and carotenoids, the pigments of photosynthetic biomembranes. In: Douce, R., Packer, L. (Ed.). Methods in enzymology. New York: Academic. p. 350-382.

MACHADO, N.P.; COUTINHO, E.F.; CAETANO, E.R. Embalagens plásticas e refrigeração na conservação pós-colheita de jabuticabas. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 29, n. 1, p. 166-168, 2007.

MOTA, W.F.; FINGER, F.L.; CECON, P.R.; SILVA, D.J.H.; CORRÊA, P.C.; FIRME, L.P.; MIZOBUTSI, G.P. Conservação e qualidade pós-colheita de quiabo sob diferentes temperaturas e formas de armazenamento. Horticultura Brasileira, v. 28, n. 1, p. 7-11, 2010.

MORETTI, C.L. 2006. Protocolos de avaliação de qualidade química e física de tomate. Embrapa Hortaliças, Brasília, DF. Comunicado técnico 32, 12p.

NASCIMENTO, A.M.C.B.; NUNES, R.G.F.L.; NUNES, L.A.P.L. 2011. Elaboração e avaliação química, biológica e sensorial de conserva de maxixe (Cucumis anguria L.). Revista ACTA Tecnológica - Revista Científica, v. 6, n. 1, p. 123-136, 2011.

OLIVEIRA, L.S. 2012. Efeito do hidroresfriamento, da temperatura e da rehidratação na conservação pós-colheita de coentro. 67f. Dissertação (Mestrado em Fisiologia Vegetal) - Universidade Federal de Viçosa. Viçosa, MG. 2012.

PARASKEVOPOULOU-PARAUSSI, G.; VASSILAKAKIS, M. Effects of temperature, duration of cold storage and packing on postharvest quality of strawberry fruit. Acta Horticulture, v. 379, p. 337-344, 1995.

PARIASCA, J.A.T; MIYAZAKI, T.; HISAKA, H.; NAKAGAWA, H.; SATO, T. Effect of modified atmosphere packaging (MAP) and controlled atmosphere (CA) storage on the quality of snow pea pods (Pisum sativum L. var. saccharatum). Postharvest Biology and Technology, v. 21, p. 213-223, 2001.

PEREIRA, J.M.A.T.K.; MINIM, V.P.R.; PUSCHMANN, R.; VANETTI, M.C.D.; SOARES, N.F.F.; MORETTI, C.L.; VIEIRA, J.V. Qualidade físicoquímica de mini-cenouras revestidas. Revista Ceres, v. 55, n. 6, p. 537-542, 2008.

PINHEIRO, A.C.M.; VILAS BOAS, E.V.B.; LIMA, L.C. Influência do CaCl2 sobre a qualidade pós-colheita do abacaxi cv. pérola. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 25, n. 1, p. 32-36, 2005.

PRATES, M.F.O.; ASCHERI, D.P.R. Efeito da cobertura de amido de fruta-de-lobo e sorbitol e do tempo de armazenamento na conservação pós-colheita de frutos de morango. Boletim do CEPPA, v. 29, n. 1, p. 21 – 32, 2011.

SILVA, F.C. 2012. Utilização de permanganato de potássio na conservação pós-colheita de maxixe. 41f. Dissertação (Mestrado em Fitotecnia) – Universidade Federal de Viçosa. Viçosa - MG, 2012.

SILVA, F.C. 2016. Crescimento e alterações fisiológicas pós-colheita em frutos de maxixe (Cucumis anguria). 91f. Tese (Doutorado em Fitotecnia) – Universidade Federal de Viçosa. Viçosa, MG, 2016.

SILVA, F.C.; RIBEIRO, W.S.; FRANÇA, C.F.M.; ARAÚJO, F.F. Action of potassium permanganate on the shelf-life of Cucumis anguria fruit. Acta Horticulturae, v. 1071, p. 105-111, 2015.

SILVEIRA, P.T.S.; SILVA, N.M.C.; REIS, M.F.T.; LANDIM, L.B.; AQUINO, A.A. Qualidade pós-colheita do maxixe (cucumis anguria L.) revestido com amido de milho adicionado do extrato de própolis. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, v. 9, n. 2, p. 1888-1899, 2015.

TAVARES, J.T. DE Q.; SANTOS, C.M.; DE CARVALHO, L.A.; DA SILVA, C.L. Determinação volumétrica de ácido ascórbico pelos métodos de Tilmans e Balemtine. Magistra, v. 7, p. 1-8, 1999.

VILA, M.T.R. 2004. Qualidade pós-colheita de goiaba ‘Pedro Sato’ armazenados sob refrigeração e atmosfera modificada por biofilme de fécula de mandioca. 66f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG, 2004.

VON ELBE, J.H. Colorantes. In: Fennema, O.W. Química de los alimentos. 2.ed. Zaragoza: Wisconsin – Madison Cap.10, p.782-799. 2000.

YOKOYAMA, S.; SILVA JÚNIOR, A. A. Maxixe: uma hortaliça pouco conhecida. Agropecuária Catarinense, v. 1, n. 3, p. 12-13, 2000.

Publicado
2020-08-31
Como Citar
Guerra, A. M. N. de M., Silva, D. dos S., Evangelista, R. S., & Silva, M. G. M. (2020). CONSERVAÇÃO PÓS-CHOLHEITA DE MAXIXE (Cucumis anguria) SOB DIFERENTES CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 10(1), 145-154. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9138

Most read articles by the same author(s)