Diálogos entre o projeto de extensão Preparanem e a Educação Física escolar

Autores

  • Rafael Marques Garcia Universidade Federal do Rio de Janeiro https://orcid.org/0000-0002-0837-1493
  • Leandro Teofilo de Brito Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Alex Pina de Almeida Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Erik Giuseppe Barbosa Pereira Universidade Federal do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Minorias sexuais e de gênero, Pessoas transgênero, Educação Física

Resumo

Este ensaio promove reflexões a partir do projeto de extensão PreparaNem (pré-vestibular social que prepara pessoas LGBTI+ para vestibulares), enfocando a precarização, o reconhecimento e a inclusão da identificação transgênero no campo da Educação e seus reflexos na Educação Física escolar. Para tanto, problematizamos a abordagem da temática de gênero no componente Educação Física do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), já que este é um dos veículos de preparação do projeto, e finalizamos com reflexões sobre a Educação Física escolar, discutindo como pessoas que se identificam como transgêneros encontram-se mais suscetíveis a situações de segregação e evasão das aulas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Marques Garcia, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Educação Física pela UFRJ. Professor na EEFD/UFRJ.

Leandro Teofilo de Brito, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Educação pela UERJ. Professor na EEFD/UFRJ.

Alex Pina de Almeida, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Doutoramento em Ciência do desporto pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto. Professor na EEFD/UFRJ.

Erik Giuseppe Barbosa Pereira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Ciências do Exercício e do Esporte pela UERJ. Professor na EEFD/UFRJ.

Referências

ALTMANN, Helena. Educação física escolar: relações de gênero em jogo. São Paulo: Cortez, 2015.

ANDRADE, Luma Nogueira de. Travestis na escola: assujeitamento e resistência à ordem nor-mativa. 278f. Tese (Doutorado em Educação) — Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Fortaleza/CE, 2012.

BELTRÃO, José Arlen. A Educação Física na escola do vestibular: as possíveis implicações do ENEM. Movimento, v. 20, n. 2, p. 819-840, abr./jun. 2014.

BENTO, Berenice. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Revista Estudos Feminis-tas, v. 19, n. 2, mai./ago. 2011.

BRASIL. LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: DF, dez. 1996. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm >. Acesso em 24 jan. 2020.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. Secretaria de Educação Fundamental – Brasília: MEC/SEF, 1997. 126p. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf >. Acesso em 16 jan. 2020.

BRASIL. PCN Ensino Médio +: orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curricu-lares Nacionais – Linguagens, Códigos e suas Tecnologias. Brasília: MEC/INEP, 2000. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/linguagens02.pdf >. Acesso em: 9 ago. de 2018.

BRASIL. LEI No 10.260, DE 12 DE JULHO DE 2001. Dispõe sobre o Fundo de Financiamento ao estudante do Ensino Superior e dá outras providências. Brasília: DF, jul. 2001. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LEIS_2001/L10260.htm >. Acesso em 16 jan. 2020.

BRASIL. LEI Nº 12.711, DE 29 DE AGOSTO DE 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universi-dades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providên-cias. Brasília: DF, ago. 2012a. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm >. Acesso em: 16 jan. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Matriz de Referência ENEM. Brasília: MEC/INEP, 2012b. Disponível em: < http://download.inep.gov.br/educacao_basica/enem/downloads/2012/matriz_referencia_enem.pdf >. Acesso 24 jul. 2017.

BRITO, Leandro Teofilo de; SANTOS, Mônica Pereira dos. Sexualidade e inclusão no espaço esco-lar: um debate com base na perspectiva omnilética. Revista latino-americana de Geografia e Gê-nero, v. 9, n.1, p. 51-71, 2018.

BUTLER, Judith. Anseio de reconhecimento. Equatorial- Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, v. 3, n. 5, p. 185-207, 2016.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança política das ruas: notas para uma teoria performativa de as-sembleia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro, editora Civilização Brasileira. Col. Sujeito & História, 8ª ed. 2015a.

BUTLER, Judith. Quadros de guerra: quando a vida é passível de luto. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015b.

BUTLER, Judith. Vida precária. Os poderes do luto e da violência. Belo Horizonte: autêntica Edi-tora, 2019.

COSTA NETO, Cléber Dias. PreparaNem. 2017. Disponível em < http://sigproj1.mec.gov.br/apoiados.php?projeto_id=267325 >. Acesso em 22 out. 2018.

COUTO JUNIOR, Dilton Ribeiro et al. Jovens em estado de alerta no Facebook: diálogos tecidos em/na rede como estratégia de (re-)existência à regulação das vidas precarizadas. Práxis Educativa, v. 14, n. 3, p. 1210-1229, set./dez. 2019.

CRUZ, Tania Mara; SANTOS, Tiago Zeferino. Experiências escolares de estudantes trans. Reflexão e Ação, v. 24, n. 1, p. 115-137, 2016.

DEVIDE, Fabiano Pries et al. Estudos de gênero na Educação Física Brasileira. Motriz, v. 17, n.1, p.93-103, jan./mar. 2011.

FERNANDES, Vera; MOURÃO, Ludmila. Menina de ouro e a representação de feminilidades plurais. Movimento, v. 20, n. 4, p. 1611-1629, out./dez. 2014.

FRANCO, Neil. A Educação Física como território de demarcação dos gêneros possíveis: vivências escolares de pessoas travestis, transexuais e transgêneros. Motrivivência, v. 28, n. 47, p. 47-66, mai. 2016.

FRANCO, Neil. Transfobia e cotidiano escolar: impactos na relação docente/discente. Revista de Educação Pública, v. 27 n. 65/1, p. 469-486, mai./ago. 2018.

GARCIA, Rafael Marques. Desdobramentos da heteronormatividade na formação de professo-res de educação física em uma universidade pública do Rio de Janeiro. 225f. Dissertação (Mes-trado em Educação Física) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Educação Física e Desportos, Rio de Janeiro/RJ, 2019.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Feminismos, mulheres e esportes: questões epistemológicas sobre o fazer historiográfico. Movimento, v. 13, n. 2, p. 171-196, mai./ago., 2007.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Gênero e esporte na historiografia brasileira: balanços e potenciali-dades. Revista Tempo, v. 19, n. 34, p. 45-52, jun. 2013.

GONÇALVES, Mariluci Vieira Gomes de Souza; FRANCO, Neil. Olhares e abordagens sobre cri-anças trans. Journal Health NPEPS, v. 4, n. 2, p. 405-422, jul./dez. 2019.

GRESPAN, Carla Lisboa; GOELLNER, Silvana Vilodre. Fallon Fox: um corpo queer no octógono. Movimento, v. 20, n. 4, p. 1265-1282, out./dez. 2014.

JACO, Juliana Fagundes; ALTMANN, Helena. Significados e expectativas de gênero: olhares sobre a participação nas aulas de educação física. Educação em foco, v. 22, n. 1, p. 1-26, jun. 2017.

JESUS, Jaqueline Gomes. Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos [Online]. Goiânia: Ser-Tão/UFG, 2012. Disponível em: < http://www.sertao.ufg.br/uploads/16/original_ORIENTA%C3%87%C3%95ES_POPULA%C3%87%C3%83O_TRANS.pdf?1334065989 >. Acesso em: 10 ago. 2018.

LOURO, Guacira Lopes. Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, G. L. (orgs). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 7-35.

MISKOLCI, Richard. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

OLIVEIRA JUNIOR, Isaias Batista; MAIO, Eliane Rose. Re/des/construindo in/diferenças: a ex-pulsão compulsória de estudantes trans do sistema escolar. Revista da FAEEBA-Educação e Con-temporaneidade, v. 25, n. 45, p. 159-172, jan./abr. 2016.

PERES, William Siqueira. Cenas de exclusões anunciadas: travestis, transexuais, transgêneros e a escola brasileira. In: JUNQUEIRA, Rogério (Org.). Diversidade sexual na educação: problemati-zação sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Con-tinuada, Alfabetização e Diversidade. UNESCO, 2009. p. 235-263.

PERES, Wiliam Siqueira. Travestis, escolas e processos de subjetivação. Instrumento-Revista de Estudo e Pesquisa em Educação, v. 12, n. 2, p. 57-66, jul./dez. 2010.

SERRANO, Jéssica Leite; CAMINHA, Iraquitan de Oliveira; GOMES, Isabelle Sena. Transexuali-dade e Educação Física: uma revisão sistemática em periódicos das Ciências da Saúde. Movimento, v. 23, n. 3, p. 1119-1132, jul./set. 2017.

SOUSA, Eustáquia Salvadora de; ALTMANN, Helena. Meninos e meninas: expectativas corporais e implicações na educação física escolar. Cadernos CEDES, v. 19, n. 48, p. 52-68, ago. 1999.

TEIXEIRA, Fábio Luís Santos; CAMINHA, Iraquitan de Oliveira. Preconceito no futebol feminino brasileiro: uma revisão sistemática. Movimento, v. 19, n. 1, p. 265-287, jan./mar. 2013.

Downloads

Publicado

01-05-2022

Como Citar

GARCIA, R. M.; BRITO, L. T. de; ALMEIDA, A. P. de .; PEREIRA, E. G. B. Diálogos entre o projeto de extensão Preparanem e a Educação Física escolar. Revista Ponto de Vista, [S. l.], v. 11, n. 1, p. 01–20, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/13937. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Artigos Científicos