DESEMPENHO AGRONÔMICO E QUALIDADE DA SILAGEM DO CAPIM ELEFANTE COM ADUBAÇÃO ORGÂNICA

Paula Cristiane Trindade, Rogério Paula Lana, Cristina Mattos Veloso, Djalma Silva Pereira

Resumo


Foi objetivo avaliar o desenvolvimento do capim-elefante em resposta à adubação com esterco bovino no plantio e a qualidade da silagem resultante. O primeiro experimento visou avaliar as características agronômicas, em delineamento experimental em blocos casualizados, com quatro tratamentos (0, 6, 12 e 18 ton.ha-1 de esterco bovino) e cinco repetições, totalizando 20 unidades experimentais. No segundo experimento, foram feitos dois estudos com silagens aos 110 dias de idade da planta, em delineamentos inteiramente casualizados, com quatro tratamentos e quatro repetições, totalizando de 16 unidades experimentais cada. No primeiro caso, os tratamentos consistiram de quatro níveis de adubação (0, 6, 12 e 18 ton.ha-1 de esterco bovino) e no segundo caso adubação (0 e 18 ton.ha-1 de esterco bovino) sem e com fubá de milho (0 ou 10% p/p). Houve efeito da adubação sobre o número de plantas/ha aos 110 dias e efeito quadrático sobre a produtividade de massa verde aos 110 dias. Não houve efeito estatístico da adubação sobre a altura da planta, diâmetro do colmo e número de folhas/planta aos 110 e 220 dias. Entretanto, no ensaio em fatorial, a silagem com 18 ton.ha-1 de esterco bovino apresentou menor perda por efluente e perda total e a adição de fubá de milho reduziu o pH da silagem somente de capim-elefante no nível 0%. Conclui-se que 18 ton.ha-1 de esterco bovino maximiza a produção de massa verde na fase inicial de crescimento do capim-elefante e a utilização de 18 ton.ha-1 de esterco bovino e 10% de fubá de milho melhoram o padrão fermentativo da silagem.

Palavras-chave


esterco bovino, fubá de milho, produção orgânica, qualidade da silagem

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN Online 2236-9724, ISSN Impresso 2317-5818, ISSN Cd rom 2178-5317