PRODUÇÃO DE FORRAGENS DE CANA-DE-AÇÚCAR E FEIJÃO-GUANDU CULTIVADOS EM MONOCULTIVO E CONSÓRCIO

  • Djalma Silva Pereira Doutorando na Universidade Federal de Viçosa
  • Rogério de Paula Lana Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  • Davi Lopes do Carmo UFV
  • Caryze Cristine Cardoso Sousa Universidade Federal da Grande Dourados
  • Bianca Amorim Gomide UFV
Palavras-chave: biomassa, gramínea, leguminosa, Saccharum officinarum.

Resumo

O consócio de culturas tem sido uma prática constante, principalmente pelos pequenos produtores, visando o aproveitamento da área, os benefícios ecológicos e ganhos econômicos. Contudo, deve-se levar em consideração a competição por água, luz e nutrientes que pode ser um fator limitante para o sucesso do consórcio. O objetivo deste trabalho foi avaliar a produção de forragens de cana-de-açúcar e feijão-guandu cultivados em monocultivo e consorciados. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com três tratamentos e cinco repetições. Os tratamentos testados foram: cana-de-açúcar em monocultivo, feijão-guandu em monocultivo e cana-de-açúcar consorciada com feijão-guandu. Os parâmetros avaliados nas plantas de feijão-guandu foram: altura das plantas, número de hastes, massa verde do caule, massa verde das folhas, massa verde da parte aérea, massa seca do caule, massa seca das folhas e massa seca da parte aérea. Na cana-de-açúcar, foram avaliados os seguintes parâmetros: altura da planta, diâmetro do colmo, número de folhas por planta, largura e comprimento da maior folha, número de plantas por metro linear e produtividade de massa verde. A altura das plantas no segundo corte e o número de hastes no primeiro corte das plantas de feijão-guandu foram superiores no tratamento consorciado com a cana-de-açúcar. Entretanto, as produtividades de massa fresca e seca das folhas foram superiores no tratamento em monocultivo. O número de folhas de cana-de-açúcar foi maior no cultivo consorciado e a produtividade de massa verde no monocultivo. O cultivo consorciado de cana-de-açúcar e feijão-guandu, no espaçamento de 1 m entre linhas alternadas, não aumenta a oferta de forragem destas culturas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Djalma Silva Pereira, Doutorando na Universidade Federal de Viçosa
Possui graduação em Agroecologia (2015) pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Mestrado (em andamento) em Agroecologia pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Tem experiência em agroecologia, com ênfase em manejo ecológico do solo e produção vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: práticas conservacionistas, plantas de cobertura e adubação verde, aproveitamento de resíduos na agricultura, leguminosas, consórcio gramínea e leguminosa, compartimentos da matéria orgânica do solo, com ênfase na agricultura familiar. Foi estagiário e bolsista de iniciação científica da Embrapa Mandioca e Fruticultura (2013-2015); Foi representante discente do Programa de Pós-Graduação em Agroecologia da UFV (2015-2016).
Rogério de Paula Lana, Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Professor Titular da Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Davi Lopes do Carmo, UFV
Doutor em Ciência do Solo - UFLA
Caryze Cristine Cardoso Sousa, Universidade Federal da Grande Dourados
Mestranda na Universidade Federal da Grande Dourados
Bianca Amorim Gomide, UFV
Graduanda em medicina veterinária pela UFV

Referências

AMBROSANO, E. J.; CANTARELLA, H.; ROSSI, F. et al. Desempenho de adubos verdes e da primeira soqueira de cana-de-açúcar cultivados consorciadamente. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 8, n. 3, 2013.
AZEVEDO, R. L.; RIBEIRO, G. T.; AZEVEDO, C. L. L. Feijão guandu: uma planta multiuso. Revista da FAPESE, v. 3, n. 2, p. 81-86, 2007.
BARCELLOS, A. D. O.; RAMOS, A. K. B.; VILELA, L. et al. Sustentabilidade da produção animal baseada em pastagens consorciadas e no emprego de leguminosas exclusivas, na forma de banco de proteína, nos trópicos brasileiros. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 37, suplemento especial, p. 51-67, 2008.
CALVO, C. L.; FOLONI, J. S. S.; BRANCALIÃO, S. R. Produtividade de fitomassa e relação C/N de monocultivos e consórcios de guandu-anão, milheto e sorgo em três épocas de corte. Bragantia, v. 69, n. 1, p. 77-86, 2010.
CAVALCANTE, V. S.; SANTOS, V. R.; A. L.; SANTOS NETO. et al. Biomassa e extração de nutrientes por plantas de cobertura. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 16, n. 5, 2012.
COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (CONAB). Acompanhamento da safra brasileira de cana-de-açúcar: safra 2016/2017. v. 3, n. 2, Segundo levantamento, Brasília, p. 1-72, agosto 2016. Disponível também em: . Acesso em: 24 de agosto de 2016.
DANTAS, R. A.; CARMONA, R.; CARVALHO, A. M. et al. Produção de matéria seca e controle de plantas daninhas por leguminosas consorciadas com cana‑de‑açúcar em cultivo orgânico. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 50, n. 8, p. 681-689, 2015.
EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA – EMBRAPA. Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Manual de métodos de análise de solos. 2.ed. Rio de Janeiro, 1997. 212p.
ESPINDOLA, J. A. A.; GUERRA, J. G. M.; PERIN, A. et al. Bananeiras consorciadas com leguminosas herbáceas perenes utilizadas como coberturas vivas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 41, n. 3, p. 415-420, 2006.
FERREIRA, D. F. Sisvar: A guide for its bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia, v.38, p.109-112, 2014.
GODOY, R.; BATISTA, L. A. R.; SANTOS, P. M. et al. Avaliação agronômica de linhagens selecionadas de guandu (Cajanus cajan (L.) Millsp). Revista Brasileira de Zootecnia, v. 34, n. 1, p. 7-19, 2005.
MACHADO, R.; MARGARIDO, L. A. C. Ensaios com sistemas orgânicos de produção para a soca da cana-de-açúcar, utilizando a técnica do plantio intercalar. Cadernos de Agroecologia, v. 9, n. 4, 2014.
MARQUES, L. F.; BELTRÃO, N. E. M.; VALE, L. S. et al. Consórcio mamona e amendoim: opção para a agricultura familiar. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 5, n. 4, p. 222-227, 2010.
NERES, M. A.; CASTAGNARA, D. D.; SILVA, F. B. et al.Características produtivas, estruturais e bromatológicas dos capins Tifton 85 e Piatã e do feijão-guandu cv. Super N, em cultivo singular ou em associação. Ciência Rural, v. 42, n. 5, p. 862-869, 2012.
PARIZ, C. M.; ANDREOTTI, M.; AZENHA, M. V. et al. Produtividade de grãos de milho e massa seca de braquiárias em consórcio no sistema de integração lavoura-pecuária. Ciência Rural, p. 875-882, 2011.
PRELLWITZ, W. P. V.; COELHO, F. C. Produtividade de colmos, índice de área foliar e acúmulo de N na soca de cana-de-açúcar em cultivo intercalar com Crotalaria juncea L. Ceres, v. 58, n. 6, 2015.
PROVAZI, M.; CAMARGO, L. H. G.; SANTOS, P. M. et al. Descrição botânica de linhagens puras selecionadas de guandu. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 36, n. 2, p. 328-334, 2007.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA – UFV. Departamento de Engenharia Agrícola. Estação meteorológica. Dados climáticos. Viçosa, MG: UFV, 1997.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA – UFV. Departamento de Engenharia Agrícola. Estação Climatológica Principal de Viçosa. Boletim meteorológico 2015. Viçosa, 2015.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA – UFV. Departamento de Engenharia Agrícola. Estação Climatológica Principal de Viçosa. Boletim meteorológico 2016. Viçosa, 2016.
VOLTOLINI, T. V.; SILVA, J. G.; SILVA, W. E. D. L. et al. Valor nutritivo de cultivares de cana-de-açúcar sob irrigação. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 13, n. 4, 2012.
Publicado
2018-02-05
Como Citar
Pereira, D. S., Lana, R. de P., do Carmo, D. L., Sousa, C. C. C., & Gomide, B. A. (2018). PRODUÇÃO DE FORRAGENS DE CANA-DE-AÇÚCAR E FEIJÃO-GUANDU CULTIVADOS EM MONOCULTIVO E CONSÓRCIO. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 7(4). https://doi.org/10.21206/bjsa.v7i4.421
Seção
Artigos