DOSE DE CAL HIDRATADA E CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS DE UM LODO DE ESGOTO DOMÉSTICO SUBMETIDO À CALEAÇÃO

Mateus Pimentel de Matos, Antonio Teixeira de Matos

Resumo


O lodo de esgoto doméstico, após ter sido higienizado com a adição de cal, pode ter aproveitamento agrícola efetuado como corretivo de acidez e de fertilidade. Entretanto, pouco se conhece das características do lodo de esgoto após ter sido submetido à caleação. Por esta razão, objetivou-se, com a realização deste trabalho, definir as doses de cal para higienização de um lodo gerado no tratamento primário de esgoto doméstico, apresentar suas características químicas, após executada a caleação, além de obter as doses para aplicação em áreas de parques e jardins. O lodo analisado foi coletado no leito de secagem da ETE José Cirilo, Muriaé, MG, e após ser peneirado (malha 2 mm), foi obtida a sua curva de incubação, adicionando-se diferentes doses (0, 25, 50, 100, 150, 200 e 250 kg m-3) de cal hidratada, Ca(OH)2. Para se manter o pH ligeiramente superior a 12, por mais de 2 h após ter sido realizada a mistura, a dose de cal a ser aplicada deve ser de 43,2 kg m-3, e por 72 h deve ser de 71,2 kg m-3. Aplicada a dose de 71,2 kg m-3 no lodo, o material
foi submetido à digestão nítrico-perclórico para quantificação das concentrações totais de N, P, K, Ca, Fe, Na, Mg, Cr, Ni, Cd, Pb, Cu, Mn e Zn. Os valores obtidos, em g kg-1, foram de 10,08 de N; 3,63 de P; 2,80 de K; 3,16 de Ca; e 52,53 de Fe, enquanto que, em mg kg-1, foram de 268,75 de Mg; 33,50 de Ni; 2,25 de Pb; 119,75 de Cu; 499,00 de Mn; e 395,50 de Zn. O Cd e o Cr não foram detectados.

Palavras-chave


higienização, resíduos sólidos, tratamento sanitário

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13083/reveng.v20i4.337

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Licença Creative Commons

Revista Engenharia na Agricultura / Engineering in Agriculture | Viçosa, MG, ISSN 2175-6813